Chegada de Estado Islâmico a cidade síria desencadeia combates nas ruas

Por Reuters | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Após hastear bandeira negra em edifício, Estado Islâmico forçou milhares de pessoas a fugirem para divisa com Turquia

Reuters

Defensores curdos e militantes do Estado Islâmico que avançaram sobre Kobani depois de sujeitarem a cidade fronteiriça síria a um cerco de quase três semanas entraram em confronto nas ruas da cidade nesta segunda-feira (6), informou um grupo de monitoramento.

Veja fotos da guerra contra o Estado Islâmico no Oriente Médio:

Membros do Exército feminino treinam habilidades de combate antes de combaterem o Estado Islâmico em acampamento militar no Iraque (18/09). Foto: ReutersMilitar curdo lança morteiros em direção Zummar, controlada pelo Estado Islâmico, em Mosul, Iraque (15/09). Foto: ReutersMilitantes do Estado Islâmico levam soldados iraquianos capturados depois de assumir base em Tikrit, Iraque (junho/2014). Foto: APObama prometeu ofensiva com ataques aéreos na Síria e no Iraque para combater EI (12/09). Foto: ReutersMilitares curdos em tanque enfrentam militantes do Estado islâmico em Mosul, Iraque (7/09). Foto: ReutersMilitante curdo dá cobertura durante confrontos do Estado Islâmico na linha de frente da vila de Buyuk Yeniga, Iraque (4/09). Foto: ReutersMilicianos xiitas do Iraque disparam suas armas enquanto celebram a quebra de cerco do Estado Islâmico em Amerli (1/09). Foto: ReutersGrupo carrega caixão de militante xiita iraquiano da Organização Badr, que foi morto em confrontos com militantes do Estado Islâmico no Iraque (1/09). Foto: ReutersCriança chora em helicóptero militar após ser retirada pelas forças iraquianas de Amerli, ao norte de Bagdá (29/08). Foto: ReutersCurdos e militantes islâmicos lutam no norte do Iraque (12/08). Foto: ReutersIraquianos carregam retratos do primeiro-ministro iraquiano Nuri al-Maliki enquanto se reúnem em apoio a ele em Bagdá, Iraque (11/08). Foto: ReutersMilhares de iraquianos fugiram com avanço de militantes do EI, inclusive integrantes de minorias religiosas (9/08). Foto: APTropas curdas implantam segurança intensa contra os militantes islâmicos do Estado em Khazer (8/08). Foto: ReutersTropas curdas patrulham em um tanque durante operação contra militantes do Estado Islâmico em Makhmur, nos arredores da província de Nínive, Iraque (7/08). Foto: ReutersParentes choram a morte de homem da YPG, morto durante confrontos com combatentes do Estado Islâmico na cidade iraquiana de  Rabia, na fronteira do Iraque-Síria (6/08). Foto: ReutersVoluntários xiitas do Exército iraquiano se recuperam em hospital após serem feridos em confrontos com militantes do Estado Islâmico em Basra, sudeste de Bagdá (6/08). Foto: ReutersMulher visita túmulo de um parente em cemitério durante as celebrações do Eid al-Fitr, que marca o fim do Ramadã, em Bagdá (28/07). Foto: ReutersSoldado iraquiano perto de corpo de um membro do Estado Islâmico que morreu durante confrontos com forças iraquianas em Tikrit, Iraque (19/07). Foto: ReutersBandeira preta usada pelo Estado Islâmico do Iraque e do Levante flamula de delegacia danificada em Mosul, norte do Iraque (1/7). Foto: APVoluntário xiita do Conselho Supremo Islâmico Iraquiano aponta arma durante treinamento em Najaf, Iraque (26/6). Foto: ReutersMembros das forças de segurança iraquianas tomam suas posições durante reforço de segurança no oeste de Bagdá, Iraque (24/6). Foto: ReutersXiitas iraquianos se preparam para patrulhar a aldeia de Taza Khormato, na rica província petrolífera de Kirkuk, no Iraque (22/6). Foto: APCombatentes xiitas levantam suas armas e entoam palavras de ordem após autoridades pedirem ajuda para conter os insurgentes em Sadr, em Bagdá, Iraque (17/06). Foto: APManifestantes gritam em favor do Estado Islâmico do Iraque e do Levante em frente do governo provincial de Mosul (16/4). Foto: APCombatentes tribais xiitas mostram suas armas enquanto tomam parte de Dujail, ao norte de Bagdá, Iraque (16/06). Foto: ReutersCombatentes tribais xiitas levantam suas armas e gritam palavras de ordem contra sunita Exército Islâmico em Basra, Iraque (16/6). Foto: APImagem postada em site militante em 14/6 parece mostrar membros do EIIL mirando contra soldados à paisana depois de tomar base in Tikrit, Iraque. Foto: APImagem postada em site militante em 14/6 parece mostrar membros do EIIL com soldados iraquianos à paisana capturados após tomada de base em Tikrit, Iraque
. Foto: APImagem postada em site militante em 14/6 parece mostrar membros do EIIL com soldados iraquianos à paisana capturados após tomada de base em Tikrit, Iraque. Foto: APCombatentes iraquianos xiitas seguram suas armas enquanto gritam palavras de ordem contra o Estado Islâmico do Iraque e do Levante em Cidade Sadr, Bagdá (13/6). Foto: APVoluntários esperam para se juntar ao Exército e combater militantes predominantemente sunitas em Bagdá, Iraque (13/6). Foto: ReutersPresidente dos EUA, Barack Obama, fala sobre a situação no Iraque em pronunciamento na Casa Branca, em Washington (13/6). Foto: APImagem postada em Twitter militante mostra membro do Estado Islâmico do Iraque e do Levante com sua bandeira em base militar na Província de Ninevah, Iraque (12/6). Foto: APImagem publicada por militantes no Twitter mostra combatentes do Estado Islâmico do Iraque e do Levante em local na fronteira entre o Iraque e a Síria (12/6). Foto: APMuitas famílias começaram a deixar Mosul depois de ocupação por insurgentes sunitas (13/6). Foto: ReutersForças de segurança curda se posicionam do lado de fora da cidade petrolífera de Kirkuk após abandono de tropas iraquianas (12/6). Foto: APVeículos queimados pertencentes às forças de segurança iraquianas são vistos em posto de controle no leste de Mosul (11/6). Foto: ReutersPolicial federal do Iraque monta aguarda enquanto colega faz buscas em carro em posto de controle de Bagdá, Iraque (11/6). Foto: APFamílias que fogem da violência na cidade de Mosul esperam em posto de controle nos arredores de Irbil, região do Curdistão iraquiano (10/6). Foto: ReutersRefugiados que deixam Mosul se dirigem à região autônoma curda em Irbil, Iraque, a 350 km a norte de Bagdá (10/6). Foto: APMilitares se preparam para assumir suas posições durante confrontos com militantes no norte da cidade de Mosul, Iraque (9/06). Foto: AP

Mais cedo, o Estado Islâmico hasteou sua bandeira negra no topo de um edifício nos arredores da cidade e forçou milhares de habitantes majoritariamente curdos de Kobani a fugirem pela divisa próxima com a Turquia para se salvarem.

Os combatentes do grupo sunita radical avançaram cerca de 100 metros em direção ao lado leste da cidade, segundo o Observatório Sírio para os Direitos Humanos, que tem sede em Londres e monitora a guerra na Síria por meio de suas fontes no local.

Leia mais:
Estado Islâmico hasteia bandeira no leste de cidade curda síria sitiada

“A batalha agora tomou as ruas, está acontecendo dentro da cidade”, declarou Rami Abdelrahman, chefe do Observatório.

O Estado Islâmico quer tomar Kobani para consolidar sua ocupação fulminante de territórios no norte do Iraque e da Síria em nome de uma versão absolutista do islamismo sunita que está abalando o Oriente Médio.

Reuters
Militantes do grupo rebelde Estado Islâmico hasteiam bandeira em Kobani: cidade sitiada

Os ataques aéreos de aviões de guerra dos EUA e de países do Golfo Pérsico não conseguiram conter o avanço do Estado Islâmico sobre Kobani, que a facção cercou por três lados e submeteu a uma artilharia pesada.

Forçados a fugir pelos combates recentes, moradores assustados cruzaram para a Turquia por Yumurtalik, um posto de fronteira improvisado, e ambulâncias com as sirenes ligadas iam e voltavam entre a cidade síria e a Turquia.

“Podemos ouvir o som dos combates na rua”, disse enquanto fugia Parwer Ali Mohamed, tradutor do Partido de União Democrática Curda (PYD). “Mais de duas mil pessoas, incluindo mulheres e crianças, estão sendo retiradas. A polícia turca está verificando nossa bagagem agora."

Leia também:
Mais de 30 rebeldes são mortos em bombardeios no Iraque
Equipe da BBC é atacada em área ameaçada pelo Estado Islâmico
Mais de 2 mil sírios curdos deixam a Síria após avanço do Estado Islâmico

Uma bandeira negra do Estado Islâmico era visível pela divisa turca no topo de um prédio de quatro andares próximo do cenário de um dos embates mais intensos dos últimos dias.

Bombas choveram sobre áreas residenciais de Kobani e balas perdidas atingiram o território turco com frequência nos últimos dias, ferindo pessoas e danificando casas.

Durante o fim de semana, o Estado Islâmico também lutou aguerridamente pelo controle de Mistanour, uma colina estratégica com uma visão panorâmica de Kobani. Um vídeo divulgado pelo grupo no domingo (5) parece mostrar seus combatentes no controle de torres de rádio no sopé, mas a filmagem não pôde ser autenticada.

O Partido Democrático do Povo, legenda turca pró-curda, pediu manifestações nas ruas da Turquia em protesto ao ataque do Estado Islâmico contra Kobani, onde a situação está “extremamente grave”.

Cemitério
Militantes também realizaram dois atentados suicidas na cidade de Hasakah, no nordeste da Síria, informou o Observatório, matando pelo menos 30 pessoas.

“Os ataques visaram postos de verificação controlados por combatentes turcos na entrada oeste da cidade. Eles ocorreram com minutos de diferença”, declarou Abdelrahman.

“Se eles entrarem em Kobani, será um cemitério para nós e para eles. Não vamos deixá-los entrar em Kobani enquanto vivermos”, afirmou Esmat al-Sheikh, chefe da Autoridade de Defesa de Kobani, no início desta segunda-feira.

Até agora, a Turquia não se uniu à luta contra o Estado Islâmico nas proximidades de sua fronteira, a não ser pelos disparos contra os militantes do grupo em resposta aos lançamentos de morteiros que caem em solo turco.

No fim de semana, o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, prometeu retaliar se o Estado Islâmico atacar forças turcas, mas Ancara reluta em ajudar os curdos sírios próximos a Kobani por seu laços com o Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), que a Turquia combate há três décadas.

Leia tudo sobre: eiil no iraqueestado islâmicoeuasíriairaquejihadistas

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas