Força militar da Ucrânia diz que separatistas violaram cessar-fogo

Por Reuters |

compartilhe

Tamanho do texto

Leste do País tem nova escalada de violência; governo pediu cessar-fogo há um mês, depois que tropas sofreram perdas

Reuters

Militares da Ucrânia acusaram os separatistas apoiados pelos russos de violarem novamente o cessar-fogo de apenas alguns meses neste domingo (5), dizendo que suas forças foram atacadas em várias partes do leste, incluindo o aeroporto na grande cidade de Donetsk.

Sábado:Ucrânia diz que forças mataram 12 rebeldes no aeroporto de Donetsk

Dois funcionários de serviços ucranianos foram mortos nas últimas 24 horas e outras seis pessoas ficaram feridas, disse o porta-voz militar Volodymyr Polyovy, em entrevista coletiva na capital Kiev, acrescentando: "Os terroristas estão violando os termos do cessar-fogo."

Reuters
Comboio de militares ucranianos ocupa estrada para leste do País

Em Donetsk, reduto dos rebeldes no leste da Ucrânia, um líder militar sênior dos separatistas disse que três de seus combatentes foram mortos e outros 32 feridos nas últimas 24 horas, principalmente no combate ao redor do aeroporto da cidade.

Rebeldes vêm tentando há semanas desalojar as tropas do governo do aeroporto, um ponto estratégico para ambos os lados.

"O aeroporto é um trampolim para a cidade", disse Basulin à Reuters. "Nossa principal tarefa é empurrá-los (as forças do governo) para fora da cidade para que eles não possam mais atacar bairros residenciais."

Polyovy disse que também estava lutando em torno das cidades de Debaltseve e Shchastye, mais a leste, em direção à fronteira com a Rússia.

Basulin disse que três civis também foram mortos na área Donetsk nas últimas 24 horas e culpou as forças ucranianas por bombardearem a periferia da cidade em posições adjacentes ao aeroporto.

O militar ucraniano nega ter disparado contra alvos civis e diz que só responde ao fogo quando ele é atacado por separatistas.

Em Donetsk neste domingo blocos residenciais e ao menos uma antiga escola foram danificados por bombardeios na área de Gladkovka e as batalhas continuaram em torno do aeroporto que não fica muito distante.

O presidente ucraniano, Petro Poroshenko, pediu o cessar-fogo em 05 de setembro depois que as tropas do governo sofreram pesadas perdas em Kiev atribuídas a soldados russos que apoiavam os separatistas e que querem romper com o governo de pró-ocidental de Kiev.

Moscou que nega seus soldados estivessem diretamente envolvidos nos combates, apesar de Kiev e governos ocidentais afirmarem que é uma prova incontestável.

Poroshenko espera que o cessar-fogo, pedra angular de um plano de paz para encerrar o conflito em que mais de 3.500 pessoas foram mortas de acordo com dados da ONU, seja mantido de um modo geral até as eleições parlamentares em 26 de outubro.

Mas a trégua esteve sob grande pressão na semana passada.

Na última segunda-feira, sete soldados ucranianos foram mortos em um ataque de um único míssel de um tanque separatista e pelo menos 10 pessoas foram mortas na quarta-feira, quando morteiros atingiram um pátio da escola e uma van de transporte público nas proximidades.

Na quinta-feira à noite, um trabalhador da Cruz Vermelha Suíça foi morto quando uma bomba explodiu perto do escritório da organização internacional em Donetsk.

(Por Natalia Zinets e Gabriela Baczynska)

Leia tudo sobre: ucrâniarússia na ucrâniacessar-fogo

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas