Henning diz que "por causa da decisão do nosso Parlamento de atacar o Estado Islâmico, eu vou pagar o preço"

BBC

Um vídeo divulgado na internet nesta sexta-feira parece mostrar a decapitação de mais um refém por membros do grupo extremista que se auto-denomina "Estado Islâmico".

A vítima que aparece no vídeo é o britânico Alan Henning, sequestrado na Síria quando trabalhava na entrega de ajuda humanitária no último mês de dezembro.

A autenticidade do vídeo ainda não foi confirmada
Reprodução
A autenticidade do vídeo ainda não foi confirmada

As imagens têm as mesmas características de vídeos semelhantes que mostravam a decapitação de outros reféns.

O "Estado Islâmico" já decapitou três reféns desde o mês de agosto. Os militantes dizem que essa é uma resposta aos ataques aéreos de potências ocidentais no território controlado pelo grupo, que ocupa áreas do Iraque e da Síria.

Na África, extremistas da facção Jund al-Khilifa, simpatizantes do Estado Islâmico, também decapitaram um refém francês.

Henning trabalhou como taxista na cidade de Salford (norte da Inglaterra) antes de se envolver com ajuda humanitária.

Os extremistas haviam ameaçado matá-lo em um vídeo anterior que registrou o assassinato do também britânico David Haines.

Na terça-feira, a mulher de Henning havia feito um apelo por sua libertação. "Ele é inocente", disse ela.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.