O líder sucede Hamid Karzai na primeira passagem de poder entre dois chefes de Estado democraticamente eleitos no país

Agência Brasil

Ashraf Ghani prestou nesta segunda-feira (29) juramento como presidente do Afeganistão durante cerimônia de posse na capital Cabul. O ato solene ocorre a poucos meses da retirada da Otan, Organização do Tratado do Atlântico Norte, do país.

Dia 21: Ghani é eleito presidente do Afeganistão

Novo presidente do Afeganistão, Ashraf Ghani Ahmadzai, centro, chega para ser empossado em Cabul
Reuters
Novo presidente do Afeganistão, Ashraf Ghani Ahmadzai, centro, chega para ser empossado em Cabul


Julho: Candidato afegão declara vitória após resultado inicial dar vantagem a rival

O economista, de 65 anos, sucede Hamid Karzai, o único que dirigiu o Afeganistão desde a queda dos talebans em 2001, cumprindo-se assim a primeira passagem do poder entre dois chefes de Estado democraticamente eleitos na história do país.

"Hoje, depois de 13 anos à frente do governo, tenho orgulho de transferir o poder para um novo presidente", disse Hamid Karzai, durante a solenidade no Palácio Presidencial.

“Eu prometo, diante de Deus, que vou obedecer e apoiar a santa religião do Islã. Eu vou respeitar a Constituição e as leis e aplicá-las”, declarou Ashraf Ghani ao prestar juramento, acrescentando: “Eu vou defender a independência e a soberania do Afeganistão, proteger os direitos e interesses do país e do povo”.

Essa transição democrática coloca oficialmente um ponto final a três meses de crise política sobre os resultados da eleição que enfraqueceu o país. Ashraf Ghani e o seu rival Abdullah Abdullah reivindicaram a vitória no segundo turno das eleições presidenciais de 14 de junho, marcadas por denúncias de fraudes.

Entretanto, após pressão das Nações Unidas e dos Estados Unidos, os dois adversários aceitaram, na semana passada, formar um governo de união nacional.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.