Com a presença do antecessor Joseph Ratzinger, discurso foi feito a 40 mil idosos na Praça de São Pedro, no Vaticano

Agência Brasil

Durante discurso proferido a cerca de 40 mil idosos na Praça de São Pedro, no Vaticano, o papa Francisco lembrou que nem todos os avôs e avós têm uma família pronta para os acolher e, nesse caso, os abrigos e institutos para essas pessoas são bem-vindos, desde que sejam “realmente casas e não prisões”. “Não podem existir centros onde os anciãos vivam esquecidos e escondidos”, disse ele, neste domingo (28).

Papa Francisco cumprimenta seu antecessor, Joseph Ratzinger no Vaticano, neste domingo
Reuters
Papa Francisco cumprimenta seu antecessor, Joseph Ratzinger no Vaticano, neste domingo

O papa também ressaltou que os lares precisam ser realmente para os idosos e não para os interesses de alguém: “As residências devem ser pulmões da humanidade em um país, bairro ou paróquia. Devem ser santuários de humanidade onde quem é velho e débil é cuidado como um irmão mais velho”.

Leia também:
Papa Francisco pede ajuda da comunidade internacional no combate ao ebola
Papa ordena primeira prisão de acusado de pedofilia dentro do Vaticano

Para Francisco, "um povo que não cuida de seus idosos e avós e os maltrata é um povo sem futuro, pois perde a memória e vive separado das próprias raízes". “Uma das coisas mais bonitas em uma família é poder acariciar uma criança e deixar-se acariciar pelo avô ou pela avó”, disse ele.

Veja fotos da visita do Papa Francisco ao Brasil:

O pontífice encerrou o discurso pedindo aos homens e mulheres para que construam com paciência uma sociedade diversa, mais acolhedora, mais humana e mais inclusiva. Francisco também agradeceu a presença do alemão Joseph Ratzinger – o papa emérito Bento XVI –, que se mostrou bastante debilitado.

No Brasil, há vários casos de denúncias contra casas de acolhimento de idosos. De acordo com o Censo Suas (Sistema Único da Assistência Social), existiam em 2013 em todo o País 1.167 instituições de acolhimento cadastradas, que recebiam no total 44.416 pessoas idosas. De acordo com o Suas, cabe aos estados o acompanhamento do desenvolvimento da gestão do sistema e, consequentemente, os serviços socioassistenciais aos municípios.

Idoso deitado no chão de asilo interditado pela polícia na cidade de Águas Lindas, em Goiás
Valter Campanato/Agência Brasil
Idoso deitado no chão de asilo interditado pela polícia na cidade de Águas Lindas, em Goiás

Segundo o Ministério do Desenvolvimento Social, em caso de denúncias os gestores são notificados e devem prestar esclarecimentos. Os conselhos de Assistência Social são informados para que possam exercer o controle social da política pública, conforme estabelecido na Política Nacional de Assistência Social.

Em julho passado, em Águas Lindas (GO), no entorno do Distrito Federal, cinco abrigos foram interditados por maus-tratos a idosos, levando cinco funcionários a serem presos. Na ocasião, a juíza Célia Regina Lara determinou a transferência para os cuidados da prefeitura dos cerca de 70 idosos e internos, dentre os quais jovens com problemas mentais e dependentes químicos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.