Exército nigeriano afirma ter matado líder do grupo terrorista Boko Haram

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Abubakar Shekau seria o pseudônimo usado por Mohammed Bashir em vídeos de ameaças divulgados pelo Boko Haram

O Exército da Nigéria afirmou ter matado o homem que se identificava como líder do Boko Haram, em nota divulgada pela agência Associated Press, nesta quarta-feira (24). O terrorista foi confirmado pelas forças de segurança do país como sendo Abubakar Shekau, pseudônimo usado por Mohammed Bashir nos vídeos do grupo radical islâmico.

AFP
Especialistas americanos estão ajudando governo da Nigéria a procurar vítimas sequestrada

Não é a primeira vez que rumores dão conta da morte de Bashir. Em maio, por exemplo, sua morte chegou a ser anunciada pela imprensa nigeriana e internacional. No entanto, em nenhuma das ocasiões anteriores autoridades do Exército haviam confirmado a informação. 

Segundo o Ministério da Defesa do país, centenas de extremistas islâmicos foram mortos recentemente em uma ação no Nordeste do país, cuja data não foi especificada. A ação, sem data especificada, teria resultado na morte de vários comandantes militares do grupo, incluindo seu suposto líder. 

Veja os principais grupos terroristas da atualidade:

Boko Haram: radicais islâmicos têm atacado a Nigéria com atentados, assassinatos e sequestros para derrubar o governo e criar Estado islâmico. Foto: APBoko Haram: traduzido, nome que designa o grupo significa 'a educação ocidental é pecado'. Há temores de que estejam ligados a grupos como a Al-Qaeda. Foto: APFrente al-Nusra: a Frente de Suporte para o Povo da Síria, em tradução livre, é uma milícia islâmica criada em 2012 que atua na guerra síria. Foto: Reprodução/YoutubeFrente al-Nusra: a milícia, descrita pelos próprios rebeldes como bem estruturada, luta contra o presidente sírio, Bashar al-Assad. Foto: Wikimedia CommonsEstado Islâmico do Iraque e do Levante (EIIL): grupo jihadista visa a formar emirado islâmico  em territórios no Iraque e na Síria. Foto: APEstado Islâmico do Iraque e do Levante (EIIL): os militantes foram considerados verdadeiras ameaças regionais pelos EUA após tomarem Mosul. Foto: APAl-Shabab: grupo somali tem ligações com a Al-Qaeda e promove ataques contra o Quênia desde 2011 em resposta ao envio de tropas do país à Somália. Foto: APAl-Shabab: grupo, cujo nome significa 'A Juventude', apareceu como ala radical da extinta União das Cortes Islâmicas da Somália em 2006. Foto: ReutersEmirado do Cáucaso: os rebeldes reivindicam a criação de um Estado islâmico independente na região russa que inclui a Chechênia. Foto: Reprodução/YoutubeAl-Qaeda na Península Arábica: braço do grupo terrorista no Iêmen querem, entre outros objetivos, atacar ocidentais e derrubar a família real saudita, aliada dos EUA. Foto: Reprodução/YoutubeTaleban: grupo integra o movimento islâmico nacionalista no Paquistão e Afeganistão e visa a expulsar invasores dos EUA e da Otan. Foto: APAl-Qaeda no Magreb Islâmico: com essa nomenclatura desde 2007, grupo atua na Argélia e em parceria com terroristas de países vizinhos. Ocidentais são alvos. Foto: Reprodução/YoutubeAl-Qaeda: rede criada por Osama bin Laden nos anos 1980 objetiva acabar com a influência ocidental em países muçulmanos. Foto: Reprodução/Youtube

O Exército também afirmou que conquistou uma importante vitória nas proximidades de Konduga, localizada a apenas 35 quilômetros da cidade natal do Boko Haram, Maidguri, onde o grupo mantém seus quartéis-generais. 

Também foi anunciado que, na noite de terça-feira (23), cerca de 135 rebeldes foram rendidos em duas cidades nigerianas - Buni-Yadi e Michilka. Em Camarões, país vizinho à Nigéria, o Ministro da Defesa afirmou que nas últimas semanas 300 integrantes do Boko Haram se renderam. Eles teriam pedido asilo ao país, mas ainda não obtiveram respostas. 

A morte do suposto líder do grupo foi amplamente divulgada na mídia nigeriana ao longo de todo o dia. Ele chegou a ser dado como morto por outras fontes militares em 2009 e 2013.

*Com informações da Associated Press

Leia tudo sobre: boko haramnigériaterroristaabubakar shekau

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas