Tamanho do texto

De acordo com porta-voz do Pentágono, almirante John Kirby, bombas e mísseis estão sendo utilizados contra os terroristas

Os Estados Unidos começaram a ofensiva de combate ao grupo Estado Islâmico na noite de segunda-feira com ataques aéreos na região da Síria.

Ontem: EUA rejeitam proposta do Irã sobre concessões nucleares em troca de apoio

Combatentes da al-Qaeda ligados ao Estado Islâmico, marcham em Raqqa, na Síria (jan/2014)
AP
Combatentes da al-Qaeda ligados ao Estado Islâmico, marcham em Raqqa, na Síria (jan/2014)


Ataque: Curdos dizem ter interrompido avanço do Estado Islâmico contra cidade síria

De acordo com o porta-voz do Pentágono, o almirante John Kirby, bombas e mísseis estão sendo utilizados para atacar os militantes do Estado Islâmico em território sírio.

Ele confirmou a ação por meio de sua conta oficial no Twitter, mas não deu mais detalhes sobre a ofensiva.

"Considerando que essas operações estão em andamento, não podemos dar mais detalhes no momento."

Ameaça: Estado Islâmico pede para seguidores atacarem cidadãos dos EUA e França

Os ataques começam duas semanas depois do anúncio do presidente Barack Obama, avisando que os Estados Unidos e seus países aliados fariam uma ofensiva para combater o EI. Segundo Obama, o objetivo seria "enfraquecer e destruir" o grupo jihadista.

Os militantes do EI já assumiram o controle de grandes áreas nos territórios de Síria e Iraque, capturaram e executaram soldados, sequestraram jornalistas e ameaçaram o assassinato em massa a minorias religiosas que vivem no Iraque.

Mais cedo: Filho de brasileira deixa a Bélgica para se juntar ao Estado Islâmico

Rússia: Putin pretende cooperar com países parceiros contra o Estado Islâmico

Desde agosto, os Estados Unidos foram responsáveis por 190 ataques aéreos no Iraque.

Decisão

A decisão de iniciar os ataques na Síria, segundo o porta-voz do Pentágono, foi feita pelo chefe do Comando Central do Exército americano, General Lloyd Austin.

Como a BBC apurou, outros países árabes também estão envolvidos nos ataques aéreos em território sírio.

Crise: Estado Islâmico amplia cerco a cidade síria; refugiados vão à Turquia

Em discurso transmitido ao vivo e internacionalmente na televisão há duas semanas, Barack Obama disse que qualquer grupo que ameaçasse os Estados Unidos "não poderia encontrar abrigo seguro". Ele também afirmou que "não hesitaria em atacar o EI na Síria".

Após o anúncio do presidente, o Congresso votou a medida e aprovou os ataques à região para combater o grupo jihadista na semana passada.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.