Jornalista foi sequestrado duas vezes em 2012; novas imagens seguem o padrão das primeiras, com John Cantlie no cativeiro

BBC

Foi divulgado nesta terça-feira (23) um segundo vídeo do jornalista britânico John Cantlie , que vem sendo mantido refém por militantes do grupo que se autodeclara Estado Islâmico.

Hoje: Bombardeios liderados pelos EUA matam 70 militantes do Estado Islâmico

Assista abaixo:

Mais cedo: EUA dão início a ataques aéreos contra o Estado Islâmico na Síria

O novo vídeo surge menos de uma semana depois do primeiro. O jornalista foi sequestrado duas vezes em 2012. Na primeira, conseguiu escapar do cativeiro, mas depois voltou às mãos do Estado Islâmico.

Em sua aparição mais recente, Cantlie critica Estados Unidos e aliados, que lançaram na madrugada os primeiros ataques aéreos ao Estado Islâmico na Síria. O Estado Islâmico matou três reféns e vem ameaçando assassinar o voluntário do programa britânico de ajuda humanitária na Síria Alan Henning.

Síria: ONU se prepara para êxodo de 400 mil curdos sob ameaça do Estado Islâmico

Na segunda-feira, Estados Unidos e diversos aliados árabes lançaram uma ofensiva aérea contra os militantes na Síria.

Jornalista e fotógrafo experiente, Cantlie foi feito refém na Síria pela segunda vez. Ele havia sido sequestrado em julho de 2012, quando ficou amarrado e vendado por uma semana. Ele conseguiu escapar com ajuda do Exército Livre da Síria.

Cantlie reclamou da ação militar tardia dos Estados Unidos na Síria
Arquivo pessoal
Cantlie reclamou da ação militar tardia dos Estados Unidos na Síria

Ontem: EUA rejeitam proposta do Irã sobre concessões nucleares em troca de apoio

O jornalista voltou ao país no fim de 2012 e durante esta viagem acabou sequestrado novamente. O novo vídeo, que dura em torno de seis minutos, segue o padrão do primeiro, mostrando o jornalista em cativeiro.

Vestido com uma veste da cor laranja, assim como outros reféns do Estado Islâmico, Cantlie afirma que o Ocidente "dormiu no ponto e foi pego de surpresa pelo rápido avanço do Estado Islâmico", e, embora ações tenham sido postas em prática agora, "a força e o zelo dos combatentes do grupo" foram subestimados.

Assista: Refugiada síria dá à luz ao fugir do Estado Islâmico

"Desde o Vietnã não testemunhávamos tamanho potencial para um problema (maior)", disse ele no vídeo.

O Estado Islâmico tomou o controle de enormes áreas da Síria e do Iraque, impondo uma versão mais rigorosa do Islã e declarando um califado.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.