Casa Branca instala cerca temporária para reforçar segurança após invasão

Por Reuters | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Barreira foi erguida dias depois de veterano da guerra no Iraque entrar no edifício onde vive presidente norte-americano

Reuters

Com o objetivo de evitar novas invasões e garantir a segurança do presidente dos EUA e de sua família, foi erguida, nesta terça-feira (23), uma segunda cerca ao longo de parte do terreno da Casa Branca, afastando pedestres dos turistas que visitam diariamente o local. 

Reuters
Instalada nesta terça-feira, barreira separa turistas de pedestres em frente à residência de Obama

A nova barricada, que chega à altura da cintura e interdita parte da calçada do lado da avenida Pensilvânia, que dá acesso à Casa Branca, fica a cerca de 2,4 metros da cerca comum, encimada por pontas.

A barreira foi erguida dias depois de o veterano da guerra do Iraque Omar Gonzalez, 42 anos, ter escalado a cerca principal, de 2,1 metros de altura, corrido pelo gramado e entrado na residência presidencial por uma porta aberta, na sexta-feira (19).

Leia mais:
Suspeito de invadir a Casa Branca enfrenta acusações em tribunal
Homem que invadiu Casa Branca tinha 800 cartuchos de arma no carro, diz promotor

Gonzalez, que segundo autoridades transportava um canivete e 800 cartuchos de munição no carro, foi dominado por agentes do Serviço Secreto e acusado de entrada ilegal. O presidente dos EUA, Barack Obama, e sua família não estavam no local na ocasião do incidente.

Reuters
O veterano da guerra do Iraque que invadiu a residência presidencial, Omar Gonzalez

“Este cercado temporário será usado enquanto o Serviço Secreto conduz uma análise abrangente do incidente na cerca”, declarou o porta-voz da agência, Brian Leary, em um comunicado por e-mail.

O comitê de supervisão da Câmara dos Deputados agendou uma audiência sobre a violação de segurança para 30 de setembro. O Serviço Secreto está encarregado de proteger líderes norte-americanos e chefes de Estado e do governo em visitas ao país.

A agência estuda maneiras de ampliar a zona de segurança ao redor da Casa Branca para manter o público mais distante e aumentar as revistas pessoais.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas