Suspeito de invadir a Casa Branca enfrenta acusações em tribunal

Por Reuters |

compartilhe

Tamanho do texto

Omar Gonzalez escalou barreira na noite de sexta (19) levando uma faca; segurança do local foi reforçada nesta segunda (22)

Reuters

O homem que pulou as grades e entrou na Casa Branca em uma enorme falha de segurança deve aparecer em um tribunal nesta segunda-feira (22), em meio a relatos de que as autoridades norte-americanas estão considerando maneiras de aumentar a segurança nos arredores da residência presidencial.

Agosto: Agência ambiental dos EUA envia à Casa Branca metas para biocombustível

Reuters
Membros do Serviço Secreto vigiam de perto a entrada do Pórtico Norte da Casa Branca, em Washington


Em 2016: Senador liberal dos EUA diz que avalia concorrer à Presidência 

Omar Gonzalez, de 42 anos, que escalou a barreira na noite de sexta-feira levando uma faca, é esperado na corte distrital dos Estados Unidos em Washington, de acordo com um porta-voz do tribunal.

Ele enfrenta acusações de entrar ilegalmente em um prédio ou terreno restrito portando "uma arma letal ou perigosa" e, se condenado, pode enfrentar até 10 anos de prisão.

Embora o presidente norte-americano, Barack Obama, e sua família não estivessem na Casa Branco no momento, o incidente abalou a confiança nas habilidades do Serviço Secreto em proteger o mandatário.

A agência, já abalada por uma série de outros lapsos recentes de segurança, está considerando maneiras de expandir a zona de segurança ao redor da Casa Branca para evitar que turistas e o público em geral cheguem muito perto, informaram relatos na imprensa.

Uma das medidas possíveis inclui o bloqueio de calçadas ao redor da Casa Branca ou revistar turistas antes de permitir a passagem deles pelos caminhos adjacentes ao edifício. Adicionalmente, os visitantes do complexo, que são revistados nas entradas, poderiam ser revistados alguns quarteirões antes, segundo afirmaram os jornais New York Times e Washington Post.

Representantes do Serviço Secreto não responderam a um pedido de comentário sobre o assunto, mas a agência, que aumentou a segurança na Casa Branca após o incidente da última sexta-feira, disse anteriormente que estava revisando sua resposta.

Na noite da última sexta-feira, pouco depois de Obama e suas filhas terem partido para a residência de Camp David, Gonzalez teria escalado a cerca da Casa Branca e conseguiu passar para o gramado e adentrou na residência pelas portas ao norte.

Depois de ter sido detido, Gonzalez, um sargento aposentado do Exército que serviu no Iraque, disse a um agente do Serviço Secreto que "estava preocupado que a atmosfera estava entrando em colapso e precisava dar a informação ao presidente dos Estados Unidos para que ele pudesse dizer ao povo", informou uma declaração emitida pelos promotores.

Embora episódios com pessoas pulando a cerca da Casa Branca sejam razoavelmente normais, o incidente da última sexta foi particularmente preocupante pois o intruso conseguiu de fato adentrar o edifício. Críticos disseram estar chocados com a falha de segurança, dizendo que ela pode dar confiança a agressores ainda mais agressivos. O incidente é também é a última de uma série de falhas de segurança com o presidente.

No mês passado, uma criança conseguiu passar por entre as grades da Casa Branca. O Serviço Secreto também foi criticado após um escândalo de prostituição dem 2012 e uma falha de 2009 envolvendo um casal não convidado a um jantar de Estado da Casa Branca, embora um relatório do Departamento de Segurança Nacional não tenha responsabilizado o Serviço Secreto por conduta inadequada.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas