Estado Islâmico divulga vídeo com suposto jornalista britânico John Cantlie

Por Reuters |

compartilhe

Tamanho do texto

Nas imagens, Cantlie diz que divulgará série de fatos sobre o EI que vai contrapor a imagem do grupo divulgada pelo ocidente

Reuters

Os militantes do Estado Islâmico combatendo no Iraque e na Síria divulgaram um vídeo nesta quinta-feira (18) que afirmam mostrar o jornalista britânico John Cantlie no cativeiro.

Hoje: Líderes muçulmanos britânicos pedem libertação de refém ao Estado Islâmico

Assista:

Nas imagens, Cantlie diz que em breve irá revelar "fatos" sobre o grupo que irão se contrapor à imagem divulgada na mídia ocidental.

O Estado Islâmico já decapitou dois jornalistas americanos e um assistente humanitário britânico nas últimas semanas, afirmando ser uma represália aos ataques aéreos dos Estados Unidos contra o grupo em solo iraquiano.

Mais cedo: EI toma 16 aldeias curdas no norte da Síria; curdos pedem ajuda

Mas no novo vídeo de aproximadamente três minutos publicado em redes sociais, o homem identificado como Cantlie aparenta boa saúde e promete "comunicar alguns fatos" em uma série de "programas", dando a entender que haverá novas mensagens gravadas.

"Agora vejam, sei o que vocês estão pensando, 'ele só está fazendo isso por ser prisioneiro, está com uma arma na cabeça, está sendo forçado a fazer isso'. Certo?", afirma o homem, vestindo uma camisa laranja e com o cabelo cortado curto.

AP
Vídeo divulgado na internet pelo Al-Furqan, braço de mídia do Estado Islâmico, mostra o jornalista britânico John cativo Cantlie, refém do grupo provavelmente na Síria

Obama: EUA não vão travar outra guerra em solo no Iraque

"Bem, é verdade. Sou prisioneiro. Isso não posso negar. Mas visto que fui abandonado por meu governo e que meu destino agora está nas mãos do Estado Islâmico, não tenho nada a perder."

O presidente dos EUA, Barack Obama, tem tentado formar uma coalizão internacional para destruir o grupo radical sunita, que vem explorando o caos no Iraque e na Síria para ocupar porções de território nos dois países. Obama declarou recentemente em um discurso que não irá hesitar em atacar a facção também na Síria.

No novo vídeo dos militantes, intitulado "Um minuto de sua atenção, mensagens do detido britânico John Cantlie", o homem que se identifica como Cantlie afirma ter sido capturado pelo Estado Islâmico depois de chegar à Síria em novembro de 2012.

EUA: General não descarta recomendar uso de tropas terrestres no Iraque

Ele diz ter trabalhado para jornais e revistas na Grã-Bretanha, entre eles Sunday Times, Sun e Sunday Telegraph, e já havia sido capturado em julho de 2012. Ele e um fotógrafo holandês, Jeroen Oerlemans, foram soltos pelo "Exército Livre da Síria" e ficaram levemente feridos no resgate.

"Depois de duas guerras desastrosas e imensamente impopulares no Afeganistão e no Iraque, por que nossos governos parecem tão determinados a se envolver em mais um conflito impossível de vencer?", indaga o homem.

Membros do Exército feminino treinam habilidades de combate antes de combaterem o Estado Islâmico em acampamento militar no Iraque (18/09). Foto: ReutersMilitar curdo lança morteiros em direção Zummar, controlada pelo Estado Islâmico, em Mosul, Iraque (15/09). Foto: ReutersMilitantes do Estado Islâmico levam soldados iraquianos capturados depois de assumir base em Tikrit, Iraque (junho/2014). Foto: APObama prometeu ofensiva com ataques aéreos na Síria e no Iraque para combater EI (12/09). Foto: ReutersMilitares curdos em tanque enfrentam militantes do Estado islâmico em Mosul, Iraque (7/09). Foto: ReutersMilitante curdo dá cobertura durante confrontos do Estado Islâmico na linha de frente da vila de Buyuk Yeniga, Iraque (4/09). Foto: ReutersMilicianos xiitas do Iraque disparam suas armas enquanto celebram a quebra de cerco do Estado Islâmico em Amerli (1/09). Foto: ReutersGrupo carrega caixão de militante xiita iraquiano da Organização Badr, que foi morto em confrontos com militantes do Estado Islâmico no Iraque (1/09). Foto: ReutersCriança chora em helicóptero militar após ser retirada pelas forças iraquianas de Amerli, ao norte de Bagdá (29/08). Foto: ReutersCurdos e militantes islâmicos lutam no norte do Iraque (12/08). Foto: ReutersIraquianos carregam retratos do primeiro-ministro iraquiano Nuri al-Maliki enquanto se reúnem em apoio a ele em Bagdá, Iraque (11/08). Foto: ReutersMilhares de iraquianos fugiram com avanço de militantes do EI, inclusive integrantes de minorias religiosas (9/08). Foto: APTropas curdas implantam segurança intensa contra os militantes islâmicos do Estado em Khazer (8/08). Foto: ReutersTropas curdas patrulham em um tanque durante operação contra militantes do Estado Islâmico em Makhmur, nos arredores da província de Nínive, Iraque (7/08). Foto: ReutersParentes choram a morte de homem da YPG, morto durante confrontos com combatentes do Estado Islâmico na cidade iraquiana de  Rabia, na fronteira do Iraque-Síria (6/08). Foto: ReutersVoluntários xiitas do Exército iraquiano se recuperam em hospital após serem feridos em confrontos com militantes do Estado Islâmico em Basra, sudeste de Bagdá (6/08). Foto: ReutersMulher visita túmulo de um parente em cemitério durante as celebrações do Eid al-Fitr, que marca o fim do Ramadã, em Bagdá (28/07). Foto: ReutersSoldado iraquiano perto de corpo de um membro do Estado Islâmico que morreu durante confrontos com forças iraquianas em Tikrit, Iraque (19/07). Foto: ReutersBandeira preta usada pelo Estado Islâmico do Iraque e do Levante flamula de delegacia danificada em Mosul, norte do Iraque (1/7). Foto: APVoluntário xiita do Conselho Supremo Islâmico Iraquiano aponta arma durante treinamento em Najaf, Iraque (26/6). Foto: ReutersMembros das forças de segurança iraquianas tomam suas posições durante reforço de segurança no oeste de Bagdá, Iraque (24/6). Foto: ReutersXiitas iraquianos se preparam para patrulhar a aldeia de Taza Khormato, na rica província petrolífera de Kirkuk, no Iraque (22/6). Foto: APCombatentes xiitas levantam suas armas e entoam palavras de ordem após autoridades pedirem ajuda para conter os insurgentes em Sadr, em Bagdá, Iraque (17/06). Foto: APManifestantes gritam em favor do Estado Islâmico do Iraque e do Levante em frente do governo provincial de Mosul (16/4). Foto: APCombatentes tribais xiitas mostram suas armas enquanto tomam parte de Dujail, ao norte de Bagdá, Iraque (16/06). Foto: ReutersCombatentes tribais xiitas levantam suas armas e gritam palavras de ordem contra sunita Exército Islâmico em Basra, Iraque (16/6). Foto: APImagem postada em site militante em 14/6 parece mostrar membros do EIIL mirando contra soldados à paisana depois de tomar base in Tikrit, Iraque. Foto: APImagem postada em site militante em 14/6 parece mostrar membros do EIIL com soldados iraquianos à paisana capturados após tomada de base em Tikrit, Iraque
. Foto: APImagem postada em site militante em 14/6 parece mostrar membros do EIIL com soldados iraquianos à paisana capturados após tomada de base em Tikrit, Iraque. Foto: APCombatentes iraquianos xiitas seguram suas armas enquanto gritam palavras de ordem contra o Estado Islâmico do Iraque e do Levante em Cidade Sadr, Bagdá (13/6). Foto: APVoluntários esperam para se juntar ao Exército e combater militantes predominantemente sunitas em Bagdá, Iraque (13/6). Foto: ReutersPresidente dos EUA, Barack Obama, fala sobre a situação no Iraque em pronunciamento na Casa Branca, em Washington (13/6). Foto: APImagem postada em Twitter militante mostra membro do Estado Islâmico do Iraque e do Levante com sua bandeira em base militar na Província de Ninevah, Iraque (12/6). Foto: APImagem publicada por militantes no Twitter mostra combatentes do Estado Islâmico do Iraque e do Levante em local na fronteira entre o Iraque e a Síria (12/6). Foto: APMuitas famílias começaram a deixar Mosul depois de ocupação por insurgentes sunitas (13/6). Foto: ReutersForças de segurança curda se posicionam do lado de fora da cidade petrolífera de Kirkuk após abandono de tropas iraquianas (12/6). Foto: APVeículos queimados pertencentes às forças de segurança iraquianas são vistos em posto de controle no leste de Mosul (11/6). Foto: ReutersPolicial federal do Iraque monta aguarda enquanto colega faz buscas em carro em posto de controle de Bagdá, Iraque (11/6). Foto: APFamílias que fogem da violência na cidade de Mosul esperam em posto de controle nos arredores de Irbil, região do Curdistão iraquiano (10/6). Foto: ReutersRefugiados que deixam Mosul se dirigem à região autônoma curda em Irbil, Iraque, a 350 km a norte de Bagdá (10/6). Foto: APMilitares se preparam para assumir suas posições durante confrontos com militantes no norte da cidade de Mosul, Iraque (9/06). Foto: AP

Irã: "Decapitações do Estado Islâmico são vergonha para humanidade"

"Vou mostrar a vocês a verdade por trás dos sistemas e da motivação do Estado Islâmico, e como a mídia ocidental, a mesma organização para a qual eu costumava trabalhar, é capaz de distorcer e manipular essa verdade para o público doméstico", afirma.

Cantlie diz que outros governos ocidentais negociaram a libertação de seus reféns, mas que os governos da Grã-Bretanha e dos EUA escolheram agir diferente.

Dia 16: EUA atacam pela primeira vez o Estado Islâmico em região próxima a Bagdá

"Eles negociaram com o Estado Islâmico e levaram seus cidadãos para casa, enquanto os britânicos e norte-americanos foram deixados para trás."

Na quarta, a Câmara dos Deputados dos EUA aprovou o plano de Obama de treinar e armar rebeldes sírios moderados como demonstração de apoio à sua campanha militar para "degradar e destruir" o Estado Islâmico.

Saiba mais: Leia todas as notícias sobre o Estado Islâmico

"Talvez eu sobreviva, e talvez eu morra. Mas quero aproveitar a oportunidade para comunicar alguns fatos que vocês podem verificar. Fatos que, se vocês ponderarem, podem ajudar a salvar vidas", disse o homem identificado como Cantlie.

Leia tudo sobre: eiiliraqueeuasiriaobamagra bretanhafoleycantlie

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas