Ao menos 400 dependentes químicos fogem de centro de reabilitação no Vietnã

Por BBC Brasil | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Para ONG, pacientes internados à força vivem em condições semelhantes as de 'campos de trabalho forçado' nesses centros

BBC

Pelo menos 400 dependentes de drogas fugiram de um centro de reabilitação no norte do Vietnã onde estavam internados compulsoriamente para receber tratamento contra o vício.

Crack: Os dramas de dependentes químicos ricos e pobres no Brasil

AFP
No Vietnã, usuários de droga passam por internação compulsória em centros de reabilitação


Brasil: Dependentes de classe média usam roupa de grife na clínica de reabilitação

A imprensa local informou que o grupo derrubou os portões do Centro Gia Minh, perto da cidade de Hai Phong, no domingo.

Algumas horas depois, cerca de 30 dos dependentes foragidos retornaram ao centro de reabilitação de forma voluntária, de acordo com a agência de notícias AFP. A polícia ainda está procurando pelos outros.

Grupos de Direitos Humanos já haviam condenado as condições ruins dos centros de reabilitação de drogas do país. Segundo a correspondente da BBC no Vietnã, Nga Pham, a dependência química é considerada um problema social grave.

No Vietnã, o governo impõe programas compulsórios de reabilitação e é comum ver usuários de drogas sendo presos. Em alguns casos, a família é quem entrega os parentes viciados para os centros de recuperação.

Melhores políticas

Segundo o site de notícias vietnamita Thanh Nien News, alguns dos fugitivos chegaram a cometer atos de vandalismo em várias casas da cidade. Uma foto divulgada pela página mostra dezenas dos dependentes usando shorts, alguns sem camisa, andando pela rua em massa.

O vice-prefeito da cidade, Nguyen Huy Hoang, disse à mídia local que o plano de fuga estava sendo articulado desde sábado e tinha como objetivo pressionar as autoridades por "melhores políticas" para os centros de reabilitação.

Outra autoridade da cidade disse à AFP que outras reclamações dos dependentes incluíam o período de tratamento nos centros, que foi estendido recentemente de dois para três anos, além da redução de verbas para comida.

É a segunda fuga em maior escala que acontece em um centro de reabilitação do Vietnã na última década. Segundo o Thanh Nien, a última vez que isso tinha acontecido foi em 2005, quando centenas de dependentes fugiram dos locais de tratamento. Atualmente, estima-se que a "população" de dependentes em drogas no Vietnã varie entre 140 mil e 183 mil.

Direitos Humanos

A Human Rights Watch (HRW) chegou a condenar publicamente as condições dos centros públicos de reabilitação, chamando os locais de "um pouco melhores do que campos de trabalho forçado".

A organização de Direitos Humanos afirma que, nesses lugares, os usuários de drogas são mantidos confinados sem responder a processo por anos, forçados a trabalhar muito por um pagamento irrisório (ou nenhum pagamento) e sofrem tortura e violência físicas.

De acordo com a correspondente da BBC no Vietnã Nga Pham, porém, o governo vietnamita negou os relatos da HRW e disse que as estatísticas do país mostram uma redução no uso de drogas graças ao tratamento e ao programa de reabilitação governamental.

Leia tudo sobre: dependentes quimicosvietnanga phamhrwhoangminh

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas