Furacão Odile atinge a costa do México e causa destruição em área turística

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Tempestade danificou fachadas de hotéis e deixou ruas cheias de escombros; turistas reclamam da ausência de informações

O furacão Odile atingiu a Península de Baja California com ventos fortes e chuvas torrenciais nesta segunda-feira (15), obrigando moradores e turistas de uma área turística de Los Cabos a se abrigarem.

Ontem: Furacão Odile ganha força e já ameaça península no México

AP
Turistas se sentam nas escadas de concreto da área de serviço em resort após área designada para abrigo ser destruída por furacão em Los Cabos, México


2013: Número de mortos por tempestades no México sobe para 97

A extensão dos danos do Odile ainda não estava clara antes do amanhecer, mas agora já se sabe que a tempestade danificou fachadas de hotéis, quebrou janelas e deixou ruas cheias de escombros. Janelas na área de Westin Hotel haviam sido quebradas.

O jornal Tribuna de los Cabos informou que houve feridos por estilhaços de vidro e eletrocussão e que havia sinais de trânsito quebrados por toda a cidade, além de um incêndio no resort Cascadas em Medano Beach. Não há mais detalhes sobre o incidente.

No início desta segunda, ventos máximos da tempestade estavam próximos de 185 km/h enquanto o furacão de Categoria 2 se movia sobre a península. O fenômeno foi centrado a cerca de 230 quilômetros a leste-sudeste de Cabo San Lazaro.

Pessoas agacharam-se em abrigos e salas de conferências de hoteis durante a noite de domingo enquanto a tempestade se alastrava como um poderoso furacão de Categoria 3 perto de Cabo San Lucas tinha intensidade estimada em 205 km/h.

A área está repleta de mega resorts 5 estrelas, pequenas comunidades de pescadores e bairros de moradias precárias. Meteorologistas previram uma tempestade perigosa com grandes ondas, bem como chuvas capazes de causar deslizamentos de terra e enchentes.

Enquanto ventos uivantes chicoteavam palmeiras em meio a chuva que caía lá fora, turistas foram instruídos a permanecerem em quartos seguros. Em um hotel perto de San Jose del Cabo, porém, moradores e visitantes se amontoaram em porões após as janelas explodirem.

Denise Mellor, uma turista de Orange County, Califórnia, estava frustrado com a falta de informações sobre a tempestade e disse que estava obtendo mais informações a partir de sua filha, que estava em casa, do que dos profissionais do hotel.

"É um pouco (inquietante) não termos escolha a não ser ficarmos sentados aqui e esperar que o tempo melhore", disse Denise. "Isso me traz um pouco de medo."

Autoridades mexicanas esvaziaram áreas costeiras e prepararam abrigos para até 30 mil pessoas.

"Nós seremos atingidos, não arrisque sua vida", alertou Marcos Covarrubias, governador de Baja California Sur.

Depois de chegar a Categoria 4 no domingo, Odile enfraqueceu até chegar a Categoria 3, mas ainda assim era uma grande tempestade. O centro de furacões dos EUA alertou para possíveis inundações costeiras e precipitação.

No domingo, a polícia com megafones atravessou áreas vulneráveis ​​em Cabo San Lucas instruindo os moradores a se retirarem.

"Estou indo embora. É muito perigoso aqui", disse Felipa Flores, segurando um saco plástico com alguns pertences e a mão dos seus dois filhos pequenos enquanto saía do bairro El Caribe para um abrigo contra a tempestade.

"Mais tarde vamos ser atingidos e minha casa de madeira e papelão não vai aguentar muito."

Pelo menos 22 voos foram cancelados por causa da tempestade. Alguns turistas acamparam no aeroporto internacional de Los Cabos na esperança de sair antes da tempestade, mas a possibilidade de uma catástrofe aérea encerrou as operações no final da tarde.

Luis Felipe Puente, coordenador nacional para a agência de proteção civil do México, disse que 164 abrigos foram preparados para cerca de 30 mil pessoas em Baja California Sur.

Um aviso de furacão estava em vigor a partir de Punta Abreojos de Loreto. As autoridades mexicanas declararam alerta máximo para áreas em ou próximas do caminho de Odile.

Enquanto isso, no centro do Atlântico, o furacão Edouard atingiu a Categoria 2 nesta segunda, com ventos máximos de até 165 km/h, apesar de os meteorologistas terem previsto que a tempestade ficaria longe do mar e não representaria uma ameaça para a terra.

Segundo o centro de furacões dos EUA, o centro de Edouard estava a 1.160 quilômetros a leste-sudeste de Bermuda e estava se movendo a noroeste a 24 km/h.

*Com AP

Leia tudo sobre: mexicofuracaoodilefuracao odileeua

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas