Governo chileno reforça medidas de segurança após atentado no metrô

Por Reuters |

compartilhe

Tamanho do texto

Atentado a bomba deixou 14 feridos em Santiago nesta segunda-feira(08). Nenhum grupo assumiu a explosão

Reuters

A presidente chilena, Michelle Bachelet, reuniu-se nesta terça-feira com os chefes de segurança do país para reforçar as medidas de proteção após o atentado a bomba que deixou 14 feridos em Santiago na segunda-feira, na semana do golpe de Estado que levou o ditador Augusto Pinochet ao poder.

"Um dos atos mais covardes que já vimos", diz presidente do Chile após atentado

Ato terrorista deixa ao menos oito feridos em metrô do Chile

Policial fotografa local da explosão em Santiago, no Chile (8/09). Foto: ReutersPoliciais percorrem área da explosão em Santiago, no Chile (8/09). Foto: ReutersPolicial deixa área onde ocorreu explosão em Santiago, no Chile (8/09). Foto: ReutersPoliciais impedem que pessoas se aproximem de área onde ocorreu uma explosão em Santiago, no Chile (8/09). Foto: ReutersPoliciais vigiam área onde ocorreu explosão em Santiago, no Chile (8/09). Foto: ReutersVisão do local onde ocorreu explosão em Santiago, no Chile (8/09). Foto: ReutersPolicial usa cão farejador para explorar área onde ocorreu uma explosão em Santiago, no Chile (8/09). Foto: Reuters

A mandatária socialista, que qualificou o atentado de “abominável”, disse que seriam tomadas medidas para garantir que o Chile, uma das economias mais estáveis da região, continue sendo um país seguro, após o pior atentado desde o retorno da democracia, em 1990.

Uma bomba fabricada com um extintor cheio de pólvora e um temporizador foi colocada em uma galeria comercial ao lado da estação de metrô e causou vários tipos de ferimentos, incluindo fraturas expostas e a amputação de parte de um dedo de uma mulher.

Nas ruas de Santiago, podia-se ver nesta terça-feira uma maior presença policial, e o sistema metroviário desativou as lixeiras em suas estações como medida preventiva.

O subsecretário de Interior, Mahmud Aleuy, afirmou esperar que o atentado de segunda-feira não provoque novos incidentes perto da data histórica de 11 de setembro de 1973, quando o socialista Salvador Allende foi derrubado.

“É previsível que as pessoas possam se entusiasmar com este tipo de coisas… vamos reforçar a segurança da cidade com todos os instrumentos que temos disponíveis”, disse ele à rádio local Cooperativa.

As autoridades não indicaram quem poderiam ser os autores do atentado de segunda-feira. Nenhum grupo até agora assumiu reponsabilidade pela explosão.

Leia tudo sobre: atentadochilemetrôatentado terrorista

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas