"Um dos atos mais covardes que já vimos", diz presidente do Chile após atentado

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Explosão de bomba em comércio localizado no metrô de Santiago deixou ao menos oito feridos nesta segunda-feira

Horas depois da explosão de uma bomba em uma loja de uma estação no metrô de Santiago, nesta segunda-feira (8), a presidente do Chile, Michelle Bachelet, chamou o ato terrorista de abominável, ressaltando que, apesar dele, o país continua seguro. As informações são do jornal local La Nación.

Veja fotos do atentado terrorista que deixou ao menos 8 feridos no Chile:

Policial fotografa local da explosão em Santiago, no Chile (8/09). Foto: ReutersPoliciais percorrem área da explosão em Santiago, no Chile (8/09). Foto: ReutersPolicial deixa área onde ocorreu explosão em Santiago, no Chile (8/09). Foto: ReutersPoliciais impedem que pessoas se aproximem de área onde ocorreu uma explosão em Santiago, no Chile (8/09). Foto: ReutersPoliciais vigiam área onde ocorreu explosão em Santiago, no Chile (8/09). Foto: ReutersVisão do local onde ocorreu explosão em Santiago, no Chile (8/09). Foto: ReutersPolicial usa cão farejador para explorar área onde ocorreu uma explosão em Santiago, no Chile (8/09). Foto: Reuters

"Este é um dos atos mais covardes que já vimos, pois teve como objetivo machucar as pessoas, causar temor e matar inocentes", disse a mandatária em coletiva de imprensa realizada na Clínica Las Condes, onde visitou três dos oito feridos no ataque, internados no local.

Leia mais:
Ato terrorista deixa ao menos oito feridos em metrô do Chile

As pessoas visitadas não correm risco de morrer, segundo disse Bachelet, que também anunciou a realização de uma reunião de segurança para analisar toda a situação e tomar as medidas necessárias.

"Vamos usar todo o peso da lei, inclusive a convocação da lei anti-terrorismo, e os responsáveis pelos atos terão de responder na Justiça", disse ela. "Expresso, em nome do Governo e de todo o país, que estou horrorizada. Nossa solidadriedade às vítimas e a seus familiares."

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas