Tribunal do Afeganistão condena sete à pena de morte por estupro coletivo

Por Agência Brasil | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Grupo foi condenado por violentar quatro mulheres em Cabul; presidente do país havia defendido que eles fossem enforcados

Agência Brasil

Um juiz afegão condenou neste domingo (7) sete homens à pena de morte em um caso de estupro coletivo de quatro mulheres ocorrido em Cabul no mês passado.

Polêmica: Caso de estupro no Afeganistão coloca polícia local em evidência

Reuters
Quatro dos sete homens condenados por estupro e roubo são julgados em tribunal de Cabul, Afeganistão

'Adúltera': Mulher presa após ter sido estuprada é libertada no Afeganistão

No banco dos réus, o grupo foi considerado culpado por raptar mulheres que chegavam a Cabul para um casamento. O presidente do Afeganistão, Hamid Karzai, já havia defendido que os homens fossem condenados à forca.

Segundo o que ficou provado no tribunal, os homens vestiam uniformes da polícia e estavam armados quando mandaram que alguns veículos encostassem, na manhã do dia 23 de agosto. Eles roubaram, bateram e violentaram as vítimas, uma delas estava grávida.

"Fomos a Paghman com as nossas famílias. Na volta, eles nos levaram. Um deles encostou uma arma na minha cabeça, tirou todas as nossas joias e começaram aquilo que já sabem", disse uma das vítimas no tribunal, vestida com uma burka, veste feminina que cobre o corpo todo e tem apenas uma pequena tela na região dos olhos.

Enquanto os manifestantes exigiam na porta do tribunal a pena de morte aos réus, dentro da sala era possível ouvir aplausos quando o chefe da polícia de Cabul, Zahir Zahir, também defendeu que os homens fossem enforcados.

Depois de proferir a sentença, o juiz disse que os sete homens ainda têm o direito de recorrer da decisão.

*Com informações da Agência Lusa

Leia tudo sobre: afeganistaoestuprokarzaijulgamentocabul

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas