'Nosso ponto de vista sobre como resolver o conflito é muito próximo', disse; segundo Putin, Exército precisa deixar a região

Reuters

O presidente russo, Vladimir Putin, disse nesta quarta-feira (3) que seus pontos de vista e os do presidente ucraniano, Petro Poroshenko, estão "muito próximos" quanto a encontrar uma solução política para o conflito no leste da Ucrânia, e que um acordo entre Kiev e os rebeldes poderia ser alcançado até sexta-feira.

Mais cedo: Ucrânia anuncia cessar-fogo permanente; Kremlin nega

Vladimir Putin fala à imprensa após conversar com o presidente ucraniano Petro Poroshenko em Minsk (27/08)
AP
Vladimir Putin fala à imprensa após conversar com o presidente ucraniano Petro Poroshenko em Minsk (27/08)


Ontem: Secretário-geral da ONU descarta solução militar para crise na Ucrânia

"Nossos pontos de vista sobre o modo de resolver o conflito, pelo que me parece, são muito próximos", disse Putin a repórteres na capital da Mongólia, Ulan Bator, confirmando ter conversado mais cedo nesta quarta-feira com Poroshenko.

Putin disse ainda que as forças ucranianas têm de encerrar a operação militar no leste da Ucrânia, e monitores internacionais precisariam ir até a região.

Segundo o presidente russo, a troca de presos, um corredor humanitário para os refugiados e envio de ajuda estão entre medidas para resolução de conflito na Ucrânia. O líder dos rebeldes pró-Rússia na região de Donbass, leste da Ucrânia, disse que a retirada das forças ucranianas do "nosso território" era a principal condição para a paz na área controlada pelos separatistas.

Segunda: Exército se retira de aeroporto na Ucrânia; líder acusa Rússia de agressão

Domingo: Moscou e Kiev fazem troca de soldados capturados

Vladimir Antyufeyev, vice-premiê da autoproclamada República Popular de Donetsk, disse à Reuters por telefone que as negociações entre Rússia e Ucrânia por um cessar-fogo eram uma "provocação", porque a Rússia não era uma das partes envolvidas no conflito.

"Um cessar-fogo é sempre bom, mas nossa principal preocupação ainda permanece: a retirada das tropas ucranianas de nosso território. Esse é o único caminho razoável", disse ele.

Artilharia

Fortes explosões de projéteis de artilharia abalaram nesta quarta a periferia da cidade ucraniana de Donetsk, no leste da Ucrânia, pouco depois de Kiev e Moscou terem dito que haviam chegado a um acordo sobre medidas destinadas a acabar com a violência.

Ameaça: Tropas ucranianas se preparam para ataque "liderado por russos"

Um correspondente da Reuters em Donetsk disse que as explosões podiam ser ouvidas no noroeste da cidade e que fumaça cinza emergia de uma área perto do aeroporto da cidade. Cerca de 1 milhão de pessoas vivam em Donetsk antes do início do conflito

A Ucrânia disse nesta quarta-feira que seu presidente, Petro Poroshenko, e o presidente russo, Vladimir Putin, tinham chegado a um acordo sobre os passos a serem adotados para um cessar-fogo no conflito de Kiev com os rebeldes pró-Rússia, mas o Kremlin negou que Putin tenha tratado de um cessar-fogo porque a "Rússia não é uma das partes em conflito".

Tensão: Putin pede para discutir soberania no leste da Ucrânia; UE dá ultimato

"As partes chegaram a um entendimento mútuo sobre as medidas que irão facilitar o estabelecimento da paz", dissera um comunicado do gabinete de Poroshenko, substituindo uma declaração anterior em que falava de um "cessar-fogo permanente".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.