Recep Tayyip Erdogan toma posse como presidente da Turquia

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Erdogan deve nomear o chanceler Ahmet Davutoglu, aliado leal ao líder turco, para formar um novo governo após a cerimônia

Recep Tayyip Erdogan foi empossado nesta quinta-feira (28) como primeiro presidente eleito pelo povo na Turquia, posição que irá mantê-lo no cargo e conduzir o país por pelo menos mais cinco anos.

Dia 10: Premiê Tayyip Erdogan vence as eleições presidenciais na Turquia

AP
Recep Tayyip Erdogan, novo presidente da Turquia, faz juramento de posse no Parlamento em Ancara, Turquia


Julho: Mulheres devem evitar rir em público em nome da decência, diz vice-premiê turco

Erdogan deve nomear o chanceler Ahmet Davutoglu - seu sucessor designado como primeiro ministro e aliado leal - para formar um novo governo após a cerimônia no Palácio do Planalto.

Ao prestar juramento no parlamento, Erdogan disse que "Como presidente eu juro pela minha honra e orgulho que eu vou proteger o Estado, a sua independência, a unidade indivisível da nação e que agirei de acordo com a Constituição, o Estado de direito, a democracia e com o princípio da república secular."

Política: Premiê da Turquia oficializa candidatura à presidência, que terá mais poderes

Após saudação com 101 disparos de armas, Erdogan se dirigiu ao mausoléu do fundador da nação, Mustafa Kemal Ataturk, para homenagear sua memória com uma coroa de flores.

Legisladores do principal partido de oposição da Turquia deixaram o parlamento minutos antes de Erdogan chegar. A ação foi uma forma de protestar contra o homem que eles acusam de não respeitar a Constituição do país. Um legislador foi visto jogando uma cópia da constituição para o porta-voz do presidente do Parlamento, reclamando que ele não estava autorizado a falar.

Kemal Kilicdaroglu, líder do partido da oposição, esnobou a cerimônia de inauguração. Ele acusou Erdogan de violar a Constituição por não deixar o cargo como primeiro-ministro imediatamente após sua eleição como presidente.

Junho: Premiê turco chama repórter da CNN de 'agente' por cobertura dos protestos

Erdogan "vai jurar lealdade à Constituição, mas vai mentir. Não quero testemunhar essa mentira", disse Kilicdaroglu anteriormente.

O novo presidente tem dominado a política da Turquia há uma década e ganhou as primeiras eleições presidenciais diretas da Turquia no dia 10 de agosto. Entre as medidas que pretende firmar, ele já indicou querer transformar o cargo em uma posição de mais poder no país.

Na quarta, Erdogan refutou as acusações de que Davutoglu seria apenas seu "fantoche". Ele disse que os dois iriam trabalhar "de mãos dadas" para alcançar metas que ele estabeleceu para o país, como a promulgação de uma nova Constituição nacional.

Maio: Erdogan é alvo de protestos violentos ao visitar mina em Soma, Turquia

Dezenas de dignitários estrangeiros estão participando da cerimônia de posse, mas a representação dos principais aliados da Turquia no Ocidente é baixa - os EUA, por exemplo, enviaram seu embaixador em Ancara.

A imagem de Erdogan no Ocidente foi atingida por suas tendências cada vez mais autoritárias e por alegações de corrupção que o líder turco rejeitou como uma conspiração para derrubá-lo.

*Com AP

Leia tudo sobre: presidenteturquiaerdoganpossecerimonia de posseeuaataturkdavutoglo

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas