Mãe de jornalista sequestrado suplica a líder rebelde para libertar seu filho

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Steven Sotloff aparece de joelhos, sendo ameaçado por rebelde, no mesmo vídeo em que James Foley é decapitado

Mãe do jornalista freelancer Steven J. Sotloff, Shirley Sotloff divulgou um vídeo no qual suplica ao líder dos rebeldes do Estado Islâmico para poupar a vida de seu filho, capturado pelo grupo no ano passado, na Síria. O material foi divulgado pelo jornal norte-americano The New York Times, nesta quarta-feira (27).

Reuters
Steven Sotloff é ameaçado de morte por rebelde do grupo que aterroriza Síria e Iraque

"Envio esta mensagem a você, Abu Bakr al Baghdadi al-Quraishi al Hussaini, o califa do Estado Islâmico", disse Shirley logo na mensagem inicial do vídeo, usando o título que o líder do grupo assumiu para si há alguns meses, antes mesmo de os rebeldes proclamarem a criação de um califado em parte dos territórios iraquiano e sírio. "Meu filho Steven está em suas mãos, um jornalista que viajou ao Oriente Médio para mostrar o sofrimento de seu povo. Ele sempre tentou ajudar os mais fracos."

Leia mais:
EUA preparam opções militares para pressionar Estado Islâmico na Síria
ONU acusa Síria de usar gás venenoso contra inimigos e diz que EI é criminoso

Apesar do doloroso momento, Shirley evita demonstrar no vídeo grandes emoções, guardadas essencialmente à mensagem, toda legendada em árabe. "Não vemos o Steven há mais de um ano e sentimos muito a sua falta. Queremos vê-lo a salvo, em casa. Como mãe, peço a você para não puni-lo por assuntos dos quais ele não tem controle. Peço a você para usar sua autoridade para poupar a vida dele, seguindo os ensinamentos do profeta Maomé preconizados no 'grande livro' [Alcorão]. Quero aquilo que toda mãe deseja: ver os filhos dos meus filhos crescendo. Imploro para que não me tire isso."

Reprodução
Shirley Sotloff, mãe do jornalista que aparece sendo ameaçado após James Foley ser decapitado

Diretor do Centro de Estudos da Radicalização do Terrorismo da Fundação para Defesa das Democracias de Washington, EUA, Daveed Gartenstein-Ross criticou o uso da palavra califa por parte Shirley, pois, ao usar o termo para se dirigir a al Baghdadi - reconhecido por uma minúscula parte dos muçulmanos como tal -, ela poderia impulsionar outros a fazerem o mesmo. No entanto, Gartenstein-Ross afirmou que provavelmente faria o mesmo se estivesse no lugar da mãe de Steven.

Leia também:
Saiba de onde vem o dinheiro que financia o Estado Islâmico
Sequestrado duas vezes, jornalista decapitado tinha 'atração pelo conflito'
Americano solto por militantes islâmicos agradece esforços dos EUA e do Catar

"O apelo foi feito para humanizar Sotloff e criar pressão sobre Baghdadi", analisou ele. "Foi o movimento certo, porque, uma vez nas mãos do Estado Islâmico, as chances de sobrevivência de um cidadão americano são mínimas."

Até então desaparecido, Steven Sotloff voltou aos holofotes ao aparecer em vídeo divulgado pelo grupo ajoelhado no mesmo local onde James Foley foi decapitado, na semana passada. Nas imagens, o rebelde que o ameaça afirma que a vida do jornalista está nas mãos do presidente dos EUA, Barack Obama.

Veja fotos do grupo que tem aterrorizado sírios e iraquianos:

Leia tudo sobre: steven sotloffshirley sotloffeuajames foleyiraque

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas