Malásia recebe corpos de vítimas do voo MH17

Por Reuters |

compartilhe

Tamanho do texto

Pessoas fizeram um minuto de silêncio para receber primeiros 20 corpos das vítimas malaias que foram mortas na tragédia

Reuters

Pessoas fizeram um minuto de silêncio e vestiram preto por toda Malásia, nesta sexta-feira (22), dia de luto no país sul-asiático para marcar a volta dos primeiros 20 corpos dos cidadãos mortos na queda de um avião no mês passado.

Ontem: Corpos de vítimas do voo MH17 são levados para a Malásia

Reuters
Parente de vítima do voo MH17 da Malaysia Airlines ora enquanto avião com restos mortais das vítimas chega para cerimônia de repatriação na Malásia


Dia 7: Governo da Ucrânia suspende cessar-fogo no local onde voo MH17 caiu

O voo MH17 da Malaysian Airlines caiu depois de aparentemente ter sido abatido por um míssil sobre o leste da Ucrânia em 17 de julho, agravando um ano trágico para o país na esteira do chocante desaparecimento de outro avião da empresa aérea, em março.

Bandeiras foram postas a meio mastro e os jornais pintaram suas primeiras páginas de preto em homenagem às 20 vítimas entre os 43 malaios mortos no avião, que levava 298 pessoas entre passageiros e tripulação, na maioria holandeses.

O rei da Malásia, Abdul Halim Mu'adzam Shah, e o primeiro-ministro, Najib Razak, uniram-se aos parentes das vítimas e funcionários da Malaysia Airlines em uma cerimônia no Aeroporto Internacional de Kuala Lumpur para receber o voo especial de Amsterdã com os restos mortais.

Dia 1: Especialistas recuperam restos mortais em local da queda de avião na Ucrânia

“Hoje pranteamos a perda de nosso povo. Hoje, começamos a trazê-los para casa”, disse Najib em comunicado.

Veja fotos do avião que foi abatido na Ucrânia

Atirador protege área onde caiu Boeing 777 da Malaysian Airlines (24/7). Foto: ReutersGuardas de honra levam caixão de uma das vítimas do voo malaio abatido na Ucrânia no aeroporto de Kharkiv (23/7). Foto: ReutersRebeldes fazem guarda enquanto monitores da Osce checam destroços do voo abatido na Ucrânia (22/7). Foto: ReutersEquipes resgatam corpos em meio aos escombros de avião que caiu na Ucrânia (21/7). Foto: APPeter Van Vilet, líder da equipe holandesa de investigações forenses, sai de vagão após inspecionar trem refrigerado na Ucrânia (21/7). Foto: APLíder separatista Aleksander Borodai, ao centro, entrega caixas-pretas do voo MH17a Mohamed Sakri (D.), da Malásia (21/7). Foto: Maxim Zmeyev/Reuters/NewscomBoa parte das cidades da Holanda tiveram o sábado (19) marcado por homenagens aos 193 cidadãos mortos em queda de avião na Ucrânia (19/7). Foto: AP PhotoReprodução de vídeo divulgada por Kiev nesta sexta (18/7) supostamente mostra caminhão carregando lançador de míssil Buk usado para abater avião malaio. Foto: ReproduçãoA malaia Siti Dina chora após ver o nome da filha na lista de passageiros a bordo do voo MH17 da Malaysia Airlines em aeroporto de Sepang, Malásia (18/07). Foto: ReutersHomem (azul) cuja família estava a bordo do voo MH17 consola outro que tinha acabado de chegar com a esposa para confirmar mortes (18/07). Foto: ReutersMulher reage a notícias sobre a queda de avião da Malaysia Airlines no leste da Ucrânia no aeroporto internacional de Kuala Lumpur em Sepang, Malásia (18/07). Foto: APParentes de passageiros a bordo do voo malaio que caiu na Ucrânia chegam a ao aeroporto internacional de Kuala Lumpur, Malásia (18/07). Foto: ReutersReação de uma mulher em frente a embaixada holandesa em Moscou, Rússia (18/07). Foto: Reuters'Nós sentimos muito, muito, muito. É uma vergonha terrível', diz mensagem deixada em frente a embaixada da Holanda em Moscou, Rússia (18/07). Foto: ReutersGaroto deixa flores em frente a embaixada da Holanda em Moscou, Rússia (18/07). Foto: ReutersMembros do Ministério de Emergência ucraniano procuram corpos perto do local onde avião malaio caiu na Ucrânia (18/07). Foto: ReutersTapete cobre corpo de passageiro do voo malaio que caiu em vila perto de Donetsk, Ucrânia (18/07). Foto: ReutersFlores sobre pertences pessoais de passageiros do voo malaio abatido perto de Donetsk, Ucrânia (18/07). Foto: ReutersPertences pessoais de passageiros do voo malaio abatido perto de Donetsk, Ucrânia (18/07). Foto: ReutersMulher afirma que parente estava no avião da Malaysia Airlines e se emociona(17/07). Foto: ReutersDestroços de avião da Malásia e corpos são encontrados no leste da Ucrânia (17/07). Foto: ReutersDestroços de avião da Malásia e corpos são encontrados no leste da Ucrânia (17/07). Foto: ReutersSegundo uma autoridade da Ucrânia, a aeronave teria sido abatida por um míssil lançado por militantes pró-Rússia (17/07). Foto: Reprodução TwitterSegundo uma autoridade da Ucrânia, a aeronave teria sido abatida por um míssil lançado por militantes pró-Rússia (17/07). Foto: Reprodução TwitterSegundo uma autoridade da Ucrânia, a aeronave teria sido abatida por um míssil lançado por militantes pró-Rússia (17/07). Foto: ReproduçãoBoeing com 295 passageiros voava de Amsterdã para Kuala Lumpur (17/07). Foto: ReutersAvião da Malásia cai na Ucrânia perto da fronteira russa (17/07). Foto: Reprodução TwitterBoeing com 295 passageiros voava de Amsterdã para Kuala Lumpur (17/07). Foto: ReutersVídeo feito após queda do avião da Malásia que caiu na Ucrânia (17/07) . Foto: Reprodução TwitterAvião da Malásia cai na Ucrânia perto da fronteira russa (17/07). Foto: ReproduçãoAvião da Malásia cai na Ucrânia perto da fronteira russa (17/07). Foto: Reprodução/TwitterAvião da Malásia cai na Ucrânia perto da fronteira russa
. Foto: ReutersAvião da Malásia cai na Ucrânia perto da fronteira russa
. Foto: Reprodução/TwitterAvião da Malásia cai na Ucrânia perto da fronteira russa
. Foto: ReutersVisão geral mostra o local onde um Boeing 777 da Malaysia Airlines caiu em Grabovo, na região de Donetsk, Ucrânia. Foto: Reuters

Medidas: Ucrânia corta abastecimento de alimentos a reduto de rebeldes no leste

No país multi-étnico, onde as tensões entre diferentes grupos e religiões costumam ser intensas, a população se uniu na dor e todos fizeram orações para os mortos.

“Vemos malaios unidos por uma causa hoje. Mas o assunto não está encerrado enquanto os criminosos não forem sujeitos à justiça”, disse Anthony Loke, parlamentar da oposição.

Antes de serem levados a Amsterdã, corpos e destroços do voo MH17 ficaram espalhados por campos floridos em Donetsk, região do leste ucraniano em poder dos rebeldes antigoverno suspeitos de terem abatido o avião malaio acreditando se tratar de um avião militar da Ucrânia.

Investigação: Confrontos impedem a chegada de peritos holandeses no local onde voo caiu

Os combates entre os separatistas pró-Rússia e forças ucranianas atrapalharam as investigações e a busca por mais restos.

A queda do voo MH17 ocorreu quatro meses após o desaparecimento do voo MH370, com 239 pessoas a bordo. Nenhum vestígio da aeronave ou dos passageiros, que seguiam de Kuala Lumpur a Pequim. foi encontrado desde então.

“Está sendo um ano difícil, mas a vida segue adiante, e estamos aqui para apoiar continuamente uns aos outros”, disse uma comissária de bordo com uniforme e segurando uma rosa branca.

Leia tudo sobre: voo mh17malasiamalaysia airlinesamsterdavitimasrussiaucrania

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas