Saleh al-Arouri, autoridade do Hamas na Cisjordânia exilado na Turquia, aparentemente confirmou acusações pela primeira vez

Autoridade do Hamas disse que membros do grupo militante sequestraram três adolescentes israelenses cujas mortes em junho provocaram uma espiral de violência que levou à atual guerra em Gaza, na primeira vez que o movimento islâmico reconheceu envolvimento no caso.

Mais cedo: Ataque aéreo israelense mata três comandantes do Hamas em Gaza

Parentes de palestino, a quem os funcionários do hospital disseram ter sido ferido por ataque aéreo israelense, choram em um hospital de Gaza (19/08)
Reuters
Parentes de palestino, a quem os funcionários do hospital disseram ter sido ferido por ataque aéreo israelense, choram em um hospital de Gaza (19/08)


Ontem: Guerra em Gaza é retomada e Hamas diz que Israel tentou matar chefe militar

Em uma conferência em Istambul, Saleh al-Arouri, autoridade do Hamas na Cisjordânia que vive exilado na Turquia, aparentemente confirmou as acusações israelenses de que o grupo militante islâmico foi responsável pele sequestro dos adolescentes.

"Houve muita especulação sobre esta operação, alguns disseram que era uma conspiração", disse al-Arouri a delegados durante reunião da União Internacional de Acadêmicos Islâmicos, na quarta-feira, segundo gravação divulgada pelos organizadores.

Terça: Israel volta a atacar Gaza após foguetes atingirem o sul do país

"A vontade popular foi exercida em toda a nossa terra ocupada, e culminou na operação heróica das Brigadas Qassam em aprisionar os três colonos em Hebron", disse, referindo-se o braço armado do Hamas. Até então autoridades do Hamas se recusavam a confirmar ou negavam envolvimento.

Ataque 

Mais cedo, três comandantes do braço armado do Hamas foram mortos em um ataque da aviação aérea israelense em Rafah, no Sul da Faixa de Gaza, anunciou a organização palestina. Em comunicado, as brigadas Ezzedine Al Qassam identificaram os três homens como Mohammed Abou Chamala, Raëd Al Atar e Mohammed Barhoum.

Dia 18: Número de palestinos mortos no conflito em Gaza ultrapassa 2 mil

O ataque aéreo israelense ocorreu um dia após bombardeio matar mulher e filha de Mohammed Deif, um dos líderes do grupo que continua vivo, segundo informações divulgadas pelo movimento islâmico palestino.

Na madrugada desta quinta, a aviação israelense fez pelo menos oito mortos, incluindo sete em um edifício que ficou completamente destruído, ao Sul da Faixa de Gaza, disse o porta-voz dos Serviços de Emergência palestinos, Achraf Al Qodra. Não há informações se os três comandantes mortos foram registrados no balanço feito por Achraf Al Qodra.

Dia 15: Hamas acusa Israel de violar trégua na Faixa de Gaza

As tréguas respeitadas desde 11 de agosto entre o Hamas e Israel foram violadas na terça-feira, com o disparo de rockets a partir do enclave palestino, que levou os israelenses a reagir.

Os ataques acabaram por interromper os contatos indiretos entre as duas partes que estavam sendo promovidos pelo governo do Cairo, que propõe um cessar-fogo prolongado.

*Com Agência Brasil e Reuters

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.