Não houve declaração imediata de possíveis vítimas; mais cedo, Exército israelense acusou militantes do Hamas de violar trégua

O Exército israelense voltou a atacar a Faixa de Gaza nesta terça-feira (19) em resposta ao lançamento de foguetes pelo Hamas. Não houve nenhuma declaração imediata sobre as possíveis vítimas dos novos ataques.

Mais cedo: Israelenses e palestinos renovam trégua sob risco de mais violência

Fumaça cobre a Faixa de Gaza após ataque aéreo israelense, de acordo com testemunhas
Reuters
Fumaça cobre a Faixa de Gaza após ataque aéreo israelense, de acordo com testemunhas


Balanço: Número de palestinos mortos no conflito em Gaza ultrapassa 2 mil

Em um comunicado emitido nesta terça, o Exército acusou militantes palestinos de violarem o cessar-fogo.

Os ataques aéreos ocorreram minutos depois de militantes palestinos dispararam três foguetes contra Israel, quebrando um cessar-fogo temporário e colocando em perigo as negociações no Egito para acabar com a guerra entre Israel e o Hamas. Autoridades disseram que os foguetes caíram em áreas abertas e não deixaram feridos.

De acordo com as Forças Armadas israelenses, três foguetes lançados da Faixa de Gaza atingiram o sul de Israel nesta terça horas antes de expirar uma trégua com grupos militantes palestinos. Um porta-voz dos militares israelenses disse que os foguetes atingiram áreas abertas próximas à cidade de Beersheba e que não houve registro de vítimas.

Testemunhas da Reuters em Gaza disseram ter escutado o som de foguetes sendo lançados do enclave palestino.

Domingo: Netanyahu descarta ceder a alerta do Hamas em acordo para fim da guerra

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, ordenou que os militares ataquem "alvos de terror" em Gaza após o lançamento dos foguetes, segundo uma autoridade do governo.

Negociações por paz

O chefe da delegação palestina nas conversas de paz com Israel alertou mais cedo nesta terça-feira que a violência em Gaza poderia irromper novamente, a menos que ocorresse progresso para um acordo duradouro antes do prazo final de meia-noite para as negociações mediadas pelo Egito.

Hamas: Israel precisa aceitar demandas palestinas ou enfrentar guerra longa

Após acordo de última hora que estederia o prazo em 24 horas a fim de buscar uma trégua, Azzam al-Ahmad, importante líder do movimento Fatah, do presidente Mahmoud Abbas, disse que não houve "nenhum progresso sobre nenhum ponto" nas conversas para resolver o conflito em Gaza.

Ele acusou Israel de "manobrar e estagnar" o processo, à medida que diferenças em alguns pontos principais continuaram a conter os esforços para se chegar a um acordo de longo prazo entre Israel e grupos militantes na Faixa de Gaza, dominada pelo Hamas.

*Com Reuters e AP

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.