Exército do Líbano e militantes entram em confronto e encerram cessar-fogo

Por Reuters | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Exército do Líbano e militantes entram em confronto e encerram cessar-fogo

Reuters

Um cessar-fogo entre o Exército libanês e militantes islâmicos foi encerrado nesta terça-feira (5), quando os confrontos recomeçaram em uma cidade perto da fronteira com a Síria, onde os dois lados se enfrentam desde sábado, disse uma fonte de segurança.

Leia mais:
Milícia sunita expulsa rivais de cidade síria
Rebeldes declaram criação de Estado Islâmico em áreas tomadas no Iraque e Síria
Bombardeio aéreo sugere fusão entre conflitos no Iraque e Síria

A fonte afirmou que o cessar-fogo acordado em Arsal mais cedo na terça-feira entrou em colapso quando uma posição do Exército ficou sob fogo.

Libaneses se revoltam e são contidos com bombas de gás após funeral de Wissam Al-Hassan, chefe da inteligência no país. Foto: APMultidão acompanhou funeral de ex-chefe da inteligência do Líbano, morto em atentado. Foto: AFPEnterro do general Wissan al-Hassan, morto em atentado em Beirute, reúne milhares. Foto: EFEForças de segurança inspecionam estragos provocados por atentado em Beirute. Foto: AFPEm protesto contra atentado foram montaram barricadas em algumas ruas com pneus queimados. Foto: AFPFeridos são vistos em local de explosão em Beirute. Foto: APInvestigadores inspecionam cratera formada após explosão de um carro-bomba em Beirute. Foto: APMulher é carregada por voluntários após ataque terrorista em Beirute. Foto: APHomem ferido é retirado de local de explosão no Líbano. Foto: APEquipes carregam ferido em explosão no Líbano. Foto: APCarros são incendiados por explosão no Líbano. Foto: APExplosão deixa mortos e causa danos no centro de Damasco. Foto: APMuçulmanos sunitas protestam contra a morte do general Wissam al-Hassan, chefe do departamento de inteligência do Líbano. Foto: AP

O cessar-fogo deveria durar 24 horas a partir de 19h (13h no horário de Brasília) e tinha objetivo de permitir que os mediadores investigassem o paradeiro de 22 soldados desaparecidos e atender às necessidades humanitárias de dezenas de milhares de civis na região.

Leia tudo sobre: líbanofimcessar-fogoeiil

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas