'Explosiva descompressão maciça' derrubou avião da Malaysia Airlines, diz Kiev

Por Reuters |

compartilhe

Tamanho do texto

Análises da caixa-preta com os dados mostram que aeronave foi destruída por estilhaços vindos da explosão de um foguete

Reuters

Análises da caixa-preta com os dados de voo do avião malaio derrubado mostram que foi destruído por estilhaços vindos da explosão de um foguete e caiu devido a "grande descompressão explosiva", disse uma autoridade do setor de segurança da Ucrânia nesta segunda-feira (28).

Mais cedo: Queda do voo malaio pode indicar crime de guerra, segundo a ONU

Reuters
Membros da polícia holandesa a caminho de Donetsk, Ucrânia


O porta-voz do Conselho de Segurança da Ucrânia, Andriy Lysenko, declarou em entrevista à imprensa em Kiev que a informação foi dada por peritos que analisam os registros de voo do avião derrubado em território sob controle dos separatistas no leste da Ucrânia, em 17 de julho.

A Grã-Bretanha está encarregada de baixar os dados das duas caixas-pretas recuperadas no local do desastre e entregar a informação para investigadores internacionais que farão a análise.

Ontem: Equipe holandesa cancela ida a local onde avião da Malásia na Ucrânia

O governo da Ucrânia e o Ocidente acusam os rebeldes de terem derrubado o avião. A Rússia responsabiliza o governo ucraniano pela queda, na qual morreram todas as 298 pessoas a bordo.

Sanções

A Rússia não vai impor medidas de retaliação nem “cair em histeria” por conta das sanções econômicas impostas pelo Ocidente, disse o ministro das Relações Exteriores do país, Sergei Lavrov, nesta segunda, tentando assumir uma posição superior em meio a crescentes tensões do país com o Ocidente.

Atirador protege área onde caiu Boeing 777 da Malaysian Airlines (24/7). Foto: ReutersGuardas de honra levam caixão de uma das vítimas do voo malaio abatido na Ucrânia no aeroporto de Kharkiv (23/7). Foto: ReutersRebeldes fazem guarda enquanto monitores da Osce checam destroços do voo abatido na Ucrânia (22/7). Foto: ReutersEquipes resgatam corpos em meio aos escombros de avião que caiu na Ucrânia (21/7). Foto: APPeter Van Vilet, líder da equipe holandesa de investigações forenses, sai de vagão após inspecionar trem refrigerado na Ucrânia (21/7). Foto: APLíder separatista Aleksander Borodai, ao centro, entrega caixas-pretas do voo MH17a Mohamed Sakri (D.), da Malásia (21/7). Foto: Maxim Zmeyev/Reuters/NewscomBoa parte das cidades da Holanda tiveram o sábado (19) marcado por homenagens aos 193 cidadãos mortos em queda de avião na Ucrânia (19/7). Foto: AP PhotoReprodução de vídeo divulgada por Kiev nesta sexta (18/7) supostamente mostra caminhão carregando lançador de míssil Buk usado para abater avião malaio. Foto: ReproduçãoA malaia Siti Dina chora após ver o nome da filha na lista de passageiros a bordo do voo MH17 da Malaysia Airlines em aeroporto de Sepang, Malásia (18/07). Foto: ReutersHomem (azul) cuja família estava a bordo do voo MH17 consola outro que tinha acabado de chegar com a esposa para confirmar mortes (18/07). Foto: ReutersMulher reage a notícias sobre a queda de avião da Malaysia Airlines no leste da Ucrânia no aeroporto internacional de Kuala Lumpur em Sepang, Malásia (18/07). Foto: APParentes de passageiros a bordo do voo malaio que caiu na Ucrânia chegam a ao aeroporto internacional de Kuala Lumpur, Malásia (18/07). Foto: ReutersReação de uma mulher em frente a embaixada holandesa em Moscou, Rússia (18/07). Foto: Reuters'Nós sentimos muito, muito, muito. É uma vergonha terrível', diz mensagem deixada em frente a embaixada da Holanda em Moscou, Rússia (18/07). Foto: ReutersGaroto deixa flores em frente a embaixada da Holanda em Moscou, Rússia (18/07). Foto: ReutersMembros do Ministério de Emergência ucraniano procuram corpos perto do local onde avião malaio caiu na Ucrânia (18/07). Foto: ReutersTapete cobre corpo de passageiro do voo malaio que caiu em vila perto de Donetsk, Ucrânia (18/07). Foto: ReutersFlores sobre pertences pessoais de passageiros do voo malaio abatido perto de Donetsk, Ucrânia (18/07). Foto: ReutersPertences pessoais de passageiros do voo malaio abatido perto de Donetsk, Ucrânia (18/07). Foto: ReutersMulher afirma que parente estava no avião da Malaysia Airlines e se emociona(17/07). Foto: ReutersDestroços de avião da Malásia e corpos são encontrados no leste da Ucrânia (17/07). Foto: ReutersDestroços de avião da Malásia e corpos são encontrados no leste da Ucrânia (17/07). Foto: ReutersSegundo uma autoridade da Ucrânia, a aeronave teria sido abatida por um míssil lançado por militantes pró-Rússia (17/07). Foto: Reprodução TwitterSegundo uma autoridade da Ucrânia, a aeronave teria sido abatida por um míssil lançado por militantes pró-Rússia (17/07). Foto: Reprodução TwitterSegundo uma autoridade da Ucrânia, a aeronave teria sido abatida por um míssil lançado por militantes pró-Rússia (17/07). Foto: ReproduçãoBoeing com 295 passageiros voava de Amsterdã para Kuala Lumpur (17/07). Foto: ReutersAvião da Malásia cai na Ucrânia perto da fronteira russa (17/07). Foto: Reprodução TwitterBoeing com 295 passageiros voava de Amsterdã para Kuala Lumpur (17/07). Foto: ReutersVídeo feito após queda do avião da Malásia que caiu na Ucrânia (17/07) . Foto: Reprodução TwitterAvião da Malásia cai na Ucrânia perto da fronteira russa (17/07). Foto: ReproduçãoAvião da Malásia cai na Ucrânia perto da fronteira russa (17/07). Foto: Reprodução/TwitterAvião da Malásia cai na Ucrânia perto da fronteira russa
. Foto: ReutersAvião da Malásia cai na Ucrânia perto da fronteira russa
. Foto: Reprodução/TwitterAvião da Malásia cai na Ucrânia perto da fronteira russa
. Foto: ReutersVisão geral mostra o local onde um Boeing 777 da Malaysia Airlines caiu em Grabovo, na região de Donetsk, Ucrânia. Foto: Reuters

Dia 24: Atiradores expulsam investigadores do local onde caiu avião na Ucrânia

Em coletiva, Lavrov disse esperar uma investigação objetiva sobre o incidente do avião da Malásia no leste da Ucrânia, em 18 de julho. Líderes ocidentais dizem que o voo MH17 foi quase certamente abatido por engano por separatistas apoiados pela Rússia que utilizaram um míssil fornecido pelos russos, matando 298 pessoas a bordo.

A Rússia enfrenta mais sanções da Europa por seu papel na crise ucraniana, a qual deixou os laços da Rússia com o Ocidente no pior estado desde o fim da Guerra Fria, mas Lavrov disse que tais medidas podem tornar a Rússia mais independente economicamente.

Dia 23: Holanda realiza cerimônia solene para receber corpos das vítimas do voo MH17

“Eu garanto a você: nós vamos superar quaisquer dificuldade que possam aparecer em certas áreas da economia, e talvez nos tornemos mais independentes e mais confiantes em nossa própria força”, disse o chanceler.

“Não podemos ignorar isso. Mas cair em histeria e responder a um golpe com outro golpe não está à altura de um grande país."

Saiba mais: Leia todas as notícias sobre o voo MH17

Membros da União Europeia, furiosos pela queda do MH17, que partira de Amsterdã, devem chegar a uma decisão final na terça sobre as medidas que incluirão fechar os mercados de capitais do bloco a bancos estatais russos, um embargo às vendas de armamentos e restrições a tecnologias de energia.

Leia tudo sobre: voo mh17ucraniakievexplosaomalaysia airlinesrussia na ucranialavrovrussia

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas