'Sob essas circunstâncias, Israel vai fazer o que tem de fazer para defender o seu povo', disse Netanyahu à rede de TV CNN

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, disse neste domingo (27) que o grupo militante palestino Hamas violou sua própria oferta de trégua humanitária de 24 horas em Gaza .

Por feriado muçulmano:  Hamas anuncia trégua de 24 horas em Gaza

Tanque israelense dispara em direção a Gaza perto da fronteira entre Israel e o território palestino
AP
Tanque israelense dispara em direção a Gaza perto da fronteira entre Israel e o território palestino

Sábado: Número de mortos em Gaza passa de mil; Israel tem 42 mortos

Questionado se Israel aceitaria a oferta, Netanyahu disse à rede de TV americana CNN: "O Hamas não aceita o seu próprio cessar-fogo, continua disparando contra nós enquanto falamos."

Netanyahu acrescentou que, "sob essas circunstâncias, Israel vai fazer o que tem de fazer para defender o seu povo”. Ao programa "State of the Union with Candy Crowley", o premiê negou que as forças israelenses estejam tendo civis como alvo em sua Operação Margem de Segurança. "Enfrentamos um território inimigo muito cruel", disse, acusando o Hamas de se esconder por trás de "escudos humanos civis".

Sexta: Ataque de Israel mata 20 palestinos da mesma família

Netanyahu afirmou também que o Exército manterá as operações para desmantelar os túneis do Hamas que ligam Gaza ao território israelita, assim como os locais onde o grupo armazena armamentos.

Saiba mais: Entenda o atual conflito entre Israel e Hamas

“Israel faz o que qualquer país faria, tal como os EUA fariam se uma parte do território estivesse sob fogo e onde uma pessoa tem entre 60 a 90 segundos para chegar a um abrigo”, declarou Netannyahu.

Os 20 dias de guerra mataram mais de 1.060 palestinos, em sua maioria civis, e deixaram quase 6 mil feridos, de acordo com funcionários de saúde palestinos. Israel perdeu 43 soldados. Dois civis israelenses e um trabalhador tailandês foram mortos por ataques de foguete e morteiro lançados de Gaza.

O presidente da Autoridade Palestina, Mahmud Abbas, está formando uma delegação que se dirigirá para a capital egípcia, Cairo, para se engajar em mais diplomacia no conflito, disse à CNN Mohammad Shtayyeh, um conselheiro graduado de Abbas.

Veja também: Leia todas as notícias sobre o conflito entre Israel e o Hamas

Fumaça de ataques aéreos de Israel sobem sobre a Cidade de Gaza, no norte do território palestino (27/7)
AP
Fumaça de ataques aéreos de Israel sobem sobre a Cidade de Gaza, no norte do território palestino (27/7)

O Hamas anunciou a trégua um dia depois de ter rejeitado uma oferta de Israel na noite de sábado (26) , disparando mais foguetes contra o país. Em resposta, o Exército israelense retomou as operações no território palestino .

Israel lançou uma grande campanha aérea em Gaza em 8 de julho e, posteriormente, enviou soldados para o território controlado pelo grupo militante Hamas, em uma operação que, diz, tem o objetivo de impedir o lançamento de foguetes contra seu território e de destruir tunéis usados por militantes para atravessar em direção a Israel e lançar ataques.

Sob fogo: Mais de 30 de brasileiros permanecem na Faixa de Gaza

Até agora, o Exército descobriu 31 túneis e destruiu metade deles. Desde 8 de julho, os militantes lançaram cerca de 2,5 mil foguetes contra Israel.

*Com AP

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.