Décimo presidente da história do país, Reuven Rivlin faz parte da ala mais radical do Likud, partido do premiê Netanyahu

Agência Brasil

Em meio a um dos conflitos mais sangrentos dos últimos anos na Faixa de Gaza, o novo presidente de Israel, Reuven Rivlin, assumiu o cargo e prestou juramento, nesta quinta-feira (24), no Knesset, o Parlamento do país. Ele substitui Shimon Peres, símbolo do diálogo com palestinos e Prêmio Nobel da Paz de 1994, junto com Yitzak Rabin e Yasser Arafat.

Reuven Rivlin discursa no Knesset em sua cerimônia de posse como presidente, nesta quinta-feira
Reuters
Reuven Rivlin discursa no Knesset em sua cerimônia de posse como presidente, nesta quinta-feira

“Em vosso nome e sob a vossa autoridade, assumo a partir deste momento a função de décimo presidente do Estado de Israel”, afirmou Rivlin perante o Parlamento, após prestar juramento com a mão sobre o Antigo Testamento. Ele foi eleito pelos deputados israelenses em 10 de junho.

Leia também:
Israel lança ofensiva terrestre na Faixa de Gaza
Israel chama Brasil de 'anão diplomático' após críticas à ofensiva contra Gaza
EUA suspendem proibição de voos para Israel; mortos em Gaza passam de 700

Aos 74 anos, Rivlin faz parte da ala mais radical do Likud, partido do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, e já ocupou duas vezes a presidência do Parlamento, além de ter sido ministro das Comunicações no governo de Ariel Sharon. Rivlin é declaradamente contra a criação de um Estado palestino e defende colônias judaicas nos territórios ocupados.

Apesar da posição “intransigente” em relação à Autoridade Palestina, Rivlin também foi reconhecido, enquanto presidente do Parlamento, pela defesa da democracia, chegando a receber manifestações de apoio de setores mais à esquerda e da minoria árabe israelense.

*Com Agência Lusa

Veja fotos do conflito entre israelenses e palestinos:


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.