Voo AH5017 estava sendo operado pela companhia espanhola Swiftair; ele seguia de Burkina Fasso à capital da Argélia, Argel

Um avião da companhia aérea Air Algerie com 116 pessoas a bordo desapareceu dos radares quando seguia de Burkina Fasso à capital argelina, informaram funcionário do governo francês e agência de notícias argelina nesta quinta-feira (24).

Fevereiro:  Queda de avião militar no leste da Argélia deixa 1 sobrevivente e 102 mortos

Logotipo do escritório da companhia aérea Air Algerie na avenida Opera em Paris, França
AP
Logotipo do escritório da companhia aérea Air Algerie na avenida Opera em Paris, França


Aviação: Tragédias aéreas raras dão histórico macabro à Malaysia Airlines

Os serviços de navegação aéreos perderam o controle do MD-83 cerca de 50 minutos após decolar de Ouagadougou, capital do Burkina Fasso, as 21h55 de quarta, horário local, segundo a agência de notícias argelina APS.

Isso significa que o avião havia desaparecidohoras antes de a notícia ter se tornado pública. Não ficou imediatamente claro porque a companhia aérea ou funcionários do governo demoraram para anunciar o desaparecimento.

Terror: Bomba mata 7 membros das forças de segurança da Argélia

O voo AH5017 da Air Algerie estava sendo operado pela companhia aérea espanhola Swiftair, disse a empresa em um comunicado. O sindicato dos pilotos espanhóis disse que o avião foi operado por uma tripulação espanhola.

Segundo o ministro dos Transportes francês, Frederic Cuvillier, o avião desapareceu sobre o norte do Mali. Ele falou de um centro de crise criado pelo Ministério das Relações Exteriores francês.

Veja fotos de desaparecimentos aéreos misteriosos pelo mundo

Malaysia Airlines: Saiba como foram as horas finais do voo desaparecido da Malásia

A trajetória de voo que seguia de Ouagadougou a Argel não foi divulgado. Ougadougou fica em uma linha quase reta ao sul de Argel, passando por Mali, onde há indícios de agitação política.

O norte do Mali estava sob o controle dos separatistas de etnia tuaregues quando foi tomado por extremistas islâmicos da Al-Qaeda ligados a golpe militar em 2012. Uma intervenção liderada pelos franceses no ano passado espalhou os extremistas, mas os tuaregues têm os empurrado de volta contra as autoridades do governo em Bamako.

Autoridade francesa disse parecer improvável que os combatentes no Mali tivessem algum tipo de armamento que pudesse derrubar um avião.

Um funcionário não autorizado a falar com a imprensa afirmou, sob condição de anonimato, que os militantes possuem armas de ombro, mas não potentes o suficiente para abater uma aeronave de passageiros.

Swiftair, uma companhia aérea privada espanhola, disse que o avião deixou Burkina Fasso com 110 passageiros e seis tripulantes rumo a Argel as 21h17 de quarta - horário local - , mas não tinha chegado à capital argelina no horário previsto, que era a 1h10 desta quinta. As nacionalidades dos passageiros não foram divulgadas.

"De acordo com os procedimentos, a Air Algerie lançou seu plano de emergência", diz nota emitida pela companhia aérea. 

A comapanhia aérea espanhola disse que não foi possível fazer contato com o avião e estava tentando verificar o que havia acontecido. Segundo a empresa, a tripulação incluía dois pilotos e quatro funcionários de cabine.

O MD-83 é parte de uma série de jatos de longo alcance construídos desde o início de 1980 pela McDonnell Douglas, um fabricante de avião dos EUA que agora é propriedade da Boeing Co.

*Com AP

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.