Porta-voz do Ministério da Defesa da Ucrânia disse que pilotos foram ejetados, mas não há informações sobre o estado deles

Dois jatos militares ucranianos foram abatidos no leste, de acordo com o Ministério da Defesa do país. Os Sukhoi-25 foram derrubados por rebeldes as 13h30h, horário local, desta quarta-feira (23) sobre a área de Savur Mogila.

Hoje: Corpos das vítimas do voo MH 17 partem da Ucrânia para a Holanda

Rebeldes fazem guarda enquanto monitores da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE) checam destroços do voo abatido na Ucrânia (22/07)
Reuters
Rebeldes fazem guarda enquanto monitores da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE) checam destroços do voo abatido na Ucrânia (22/07)


Ontem: Corpos de vítimas do voo MH17 chegam em área controlada por Kiev

O porta-voz do Ministério da Defesa, Oleksiy Dmitrashkovsky, disse que os aviões podem ter sido transportar até dois tripulantes cada. Os pilotos conseguiram se ejetar, de acordo com o escritório. Não há informações sobre o estado de saúde eles.

Um sistema de defesa aéreo abateu os jatos após os pilotos completaram uma tarefa perto de Dmytrivka, segundo informou assessoria de imprensa militar. A derrubada dos jatos aconteceu seis dias após o incidente fatal com voo MH17 da Malaysia Airlines, abatido no leste da Ucrânia com 298 pessoas a bordo. Todos morreram.

Terça: Líder rebelde entrega caixas-pretas de avião a especialistas da Malásia

O primeiro avião com os corpos das vítimas segue rumo a Holanda após decolar da cidade ucraniana Kharkivna nesta quarta. Autoridades ucranianas já acusaram rebeldes pró-Rússia de abater aeronaves militares na região.

Na semana que antecedeu a queda do voo MH17, autoridades ucranianas disseram que um Antonov An-26 de transporte e um Sukhoi Su-25 haviam sido derrubados. A mais recente queda destaca o conflito em curso nas regiões Donetsk e Luhansk, na Ucrânia oriental, entre insurgentes e as forças de segurança ucranianas.

Obama: Rússia tem responsabilidade sobre rebeldes na área onde avião malaio caiu

Caixas-pretas

A Grã-Bretanha informou nesta quarta ter recebido as duas caixas-pretas com gravações de dados do voo MH17.

"Nós podemos confirmar que as duas caixas-pretas do MH17 foram entregues pelo conselho se segurança holandês para o órgão de investigação de acidentes aéreos em Farnborough para a extração dos dados", disse um comunicado do Departamento de Transporte.

Um porta-voz do departamento afirmou que iria levar 24 horas para extrair as informações gravadas em cada caixa-preta, mas não sabia se os dados de cada uma delas poderiam ser baixados simultaneamente. Os dados serão depois enviados para investigadores internacionais que farão a análise.

Investigação: Especialistas holandeses analisam corpos do voo da Malásia

Sanções ucranianas contra russos

O primeiro-ministro ucraniano, Arseny Yatseniuk, disse nesta quarta que o governo vai impor sanções a companhias e cidadãos russos que direta ou indiretamente apoiarem “terroristas" que lutam contra tropas do governo no leste do país.

Yatseniuk disse em reunião de ministros que ele já havia estabelecido um comitê especial para trabalhar sobre as medidas punitivas.

“Eu instruo o comitê a propor, para consideração do governo, uma lista de sanções individuais e setoriais sobre cidadãos e entidades jurídicas russas que apoiam e financiam o terrorismo na Ucrânia, em 10 dias”, disse ele. O premiê não deu detalhes de quais sanções poderia adotar.

Autoridade: Presidente russo exige acesso de especialistas a local onde avião caiu

O governo central Ucraniano e o Ocidente acusam a Rússia de apoiar rebeldes separatistas no leste da Ucrânia, uma acusação negada por Moscou. Os Estados Unidos e a União Europeia impuseram uma rodada de sanções contra companhias e cidadãos russos por causa da crise na Ucrânia.

No Ocidente alguns políticos pedem sanções mais duras à Rússia após um avião da Malásia ter sido derrubado em território rebelde no leste da Ucrânia na quinta-feira, matando as 298 pessoas a bordo.

*Com Reuters, AP e CNN

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.