Do lado israelense, 27 soldados e dois civis morreram até agora, segundo a ONU; conflito já dura 15 dias no total

Agência Brasil

No décimo quinto dia da ofensiva israelense na Faixa de Gaza, o número de palestinos mortos já passa de 600, a maioria, civis, entre eles 121 crianças, segundo informações da Organização das Nações Unidas (ONU). Do lado israelense, 27 soldados e dois civis morreram até agora. Um soldado está desaparecido.

Nesta terça-feira (22), foguetes lançados por Israel atingiram uma escola da ONU e locais utilizados pela imprensa internacional.

Leia mais:
Companhias aéreas dos EUA e da Europa cancelam voos para Israel
Hamas rejeita cessar-fogo unilateral; Israel promete manter ofensiva
Projéteis israelenses atingem hospital e matam ao menos cinco em Gaza

“Uma escola de meninas da Agência da ONU para Refugiados da Palestina [UNRWA, na sigla em inglês] em Gaza atingida diretamente por bombardeios israelenses provoca mais deslocamentos e destruição”, escreveu a agência no Twitter.

Mais de 118 mil palestinos abandonaram seus lares por causa dos bombardeios. Os refúgios da ONU estão lotados e em Gaza, uma faixa de 360 quilômetros quadrados, não há para onde fugir. As saídas para Israel e para o Egito estão fechadas.

A agência da ONU confirma ter encontrado em pelo menos dois de seus abrigos munição de grupos terroristas, provavelmente do Hamas e da Jihad Islâmica, mas afirma que isso não pode ser uma desculpa para que Israel não poupe o pessoal médico e as crianças dos ataques.

A imprensa internacional também foi atingida nesta terça. Um avião de combate israelense bombardeou, sem provocar vítimas, o último andar de uma torre de apartamentos no centro de Gaza, onde estão localizadas a sede da rede de televisão Al Jazeera e os escritórios da agência de notícias norte-americana Associated Press.

Veja fotos do conflito que já registrou mais de 600 mortes:

“Disseram-nos que foi um erro, mas que seria melhor que não voltássemos a nos aproximar da área”, explicou um dos jornalistas, protegido com colete e capacete.

Na busca pelos túneis subterrâneos do Hamas, as tropas israelenses bombardeiam instalações civis, como um hospital, atingido na segunda-feira (21). Durante a madrugada, pelo menos sete palestinos morreram em um novo bombardeio, cinco deles da mesma família. A aviação israelense também atingiu uma mesquita construída no centro de Gaza, poucas horas antes da oração diária dos fieis.

Nesta terça-feira, Israel registrou o desaparecimento de um de seus soldados. O militar foi declarado “desaparecido e presumidamente morto” pelo Exército israelense. Tudo indica que o tanque em que o soldado estava foi atingido por um foguete e explodiu.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.