Hamas rejeita cessar-fogo unilateral; Israel promete manter ofensiva

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Líder do grupo militante islâmico afirmou que não concordará com medida unilateral; mais de 566 palestinos já foram mortos

O principal líder do Hamas na Faixa de Gaza sinalizou nesta segunda-feira (21) que o grupo militante islâmico não vai concordar com um cessar-fogo unilateral com Israel. Enquanto isso, o ministro da Defesa de Israel comprometeu-se a continuar lutando "enquanto for necessário" - levantando nova dúvida sobre possível mediação.

Esforço: John Kerry viaja ao Oriente Médio para pressionar por cessar-fogo em Gaza

AP
Equipe de resgate e civis palestinos removem corpo sem vida dos escombros de uma casa destruída por um míssil israelense na Cidade de Gaza


Hoje: Projéteis israelenses atingem hospital e matam ao menos quatro em Gaza

O chefe da ONU, Ban Ki-moon, e o secretário de Estado dos EUA, John Kerry, seguiram para o Cairo nesta segunda para tentar acabar com o conflito mais letal entre Israel e o Hamas em Gaza em pouco mais de cinco anos.

Enquanto isso, os conflitos continuam inabaláveis, com ataques israelenses deixando famílias inteiras soterradas sob escombros e militantes do Hamas militantes disparando mais de 50 foguetes e tentando esgueirar-se até Israel através de dois túneis. 

Somente nesta segunda-feira o número de palestinos mortos ultrapassou 100, empurrando o total de vítimas fatais desde o dia 8 de julho para ao menos 566, de acordo com autoridades palestinas, acrescentando que aproximadamente 3.350 foram feridos.

Sete soldados israelenses também foram mortos nesta segunda em confrontos com militantes palestinos, informou o Exército israelense. Isso elevou o número total de mortos de Israel a 27, incluindo dois civis. Os militares israelenses informaram que quatro soldados foram mortos em uma troca de tiros com combatentes do Hamas que tentavam passar por um túnel e que os outros três foram mortos em batalhas em Gaza.

Em meio a crise: ONU pede cessar-fogo imediato em Gaza

EUA

Nesta segunda, o presidente Barack Obama reafirmou acreditar que Israel tem o direito de se defender contra os foguetes lançados pelo Hamas contra seu território. No entanto, ele afirmou que a ação militar em Gaza já fez "dano significativo" para a infra-estrutura terrorista do Hamas e disse que não quer ver mais civis sendo mortos.

Aviões de combate israelenses atingiram casas e arranha-céus em Gaza deixando dois ou mais membros de uma única família sob os escombros, disse Ashraf al-Kidra, um oficial de saúde palestino. Ao menos 11 morreram e 30 ficaram feridos após ataque aéreo a um prédio da Faixa de Gaza com 40 apartamentos, disseram autoridades.

"Isso não mostra a crueldade de Israel?", disse um dos membros da família, Sabri Abu Jamea. "Nós somos os mentirosos? As provas estão aqui nas geladeiras do necrotério. As provas estão nos frigoríficos."

Ontem: Obama expressa preocupação sobre número crescente de mortos em Gaza

Projéteis de tanque israelense também atingiram o hospital Al Aqsa na cidade de Deir el-Balah matando ao menos cinco e ferindo cerca de 70, disse al-Kidra. Segundo o médico Fayez Zidane, o terceiro e quarto andares e a recepção foram danificados. Por causa disso, os pacientes foram levados para andares inferiores.

Bola de fogo sobe de explosão na torre de apartamentos de al-Zafer depois de um ataque aéreo de Israel na Cidade de Gaza, no norte do território (23/8). Foto: APMilitantes do Hamas vendam palestino suspeito de colaborar com Israel antes de executá-lo na Cidade de Gaza (22/8). Foto: ReutersFumaça cobre Gaza após o que testemunhas disseram ter sido um ataque aéreo israelense (19/08). Foto: ReutersPalestinos preparam chá próximos às ruínas de sua casa em Khan Younis, no sul da Faixa de Gaza (18/08). Foto: ReutersPalestina caminha pelas ruínas de casas que testemunhas disseram ter sido destruídas por ofensiva israelense na vila de Jöhr El-Deek, em Gaza (17/08). Foto: ReutersPalestina entre os restos de sua casa, que testemunhas disseram ter sido destruída durante a ofensiva israelense na vila Jöhr El-Deek, centro de Gaza (17/08). Foto: ReutersPalestino assiste às orações ao lado das ruínas de uma mesquita que testemunhas disseram ter sido destruída por ataque aéreo de Israel, em Gaza (15/08). Foto: ReutersPalestino carrega seu irmão ao lado dos restos de sua casa, que testemunhas dizem ter sido destruída por Israel, durante trégua em Gaza (13/08). Foto: ReutersSimone Camilli, 35, é o primeiro jornalista estrangeiro morto no conflito de Gaza (13/08). Foto: APSoldados israelenses patrulham Kibbutz Nahal Oz, perto da Faixa de Gaza cuja maioria dos moradores fugiu para se proteger de foguetes (10/08). Foto: Reutersmilitares israelenses retiram militante ferido após ataque a embarcação em israel (maio/2010). Foto: ReutersMulher chora durante funeral de familiar morto após ataque aéreo israelense no campo de refugiados de Nusseirat, Gaza (9/08). Foto: ReutersSoldados com a bandeira israelense em operação militar (8/08). Foto: APFumaça toma o céu na Faixa de Gaza após ataque israelense (8/08). Foto: ReutersFoto antiga mostra movimento na área onde hoje fica Israel (8/08). Foto: APPalestinos fogem de suas casas após ataque aéreo israelense nas proximidades, no norte da Faixa de Gaza (8/08). Foto: ReutersSoldado israelense carrega projétel perto da fronteira com a Faixa de Gaza (7/08). Foto: ReutersCerca de um quinto dos mortos durante a ofensiva israelense em Gaza são crianças (9/08). Foto: ReutersHomem com roupas manchadas pelo sangue é consolado em hospital em Khan Younis: cerca de 1.900 palestinos morreram em Gaza (9/08). Foto: ReutersA tia da palestina Yasmin al-Bakri, 11, a quem médicos disseram ter sido ferida em ataque aéreo israelense, segura a mão da  sobrinha em hospital de Gaza (6/08). Foto: ReutersO palestino Anas Shabat, 10, chora ao inspecionar os danos ao retornar para sua casa, destruída por ataques na cidade de Beit Hanoun, Faixa de Gaza (5/08). Foto: APPara pastor, ataques israelenses em Gaza são 'desumanos' (7/08). Foto: AFPPalestino chora após o corpo de sua mãe ser retirado de escombros de casa destruída por ataque aéreo israelense, segundo testemunhas, em Rafah, Gaza (4/08). Foto: ReutersConfronto atual pode ser apenas mais um episódio do conflito e se repetir nos próximos meses (6/08). Foto: APAtaque a escola matou ao menos dez pessoas (3/08). Foto: ReutersSoldado israelense em túnel construído pelo Hamas para atacar Israel (31/07). Foto: ReutersPalestino que, segundo os médicos, foi ferido após ataque israelense perto de mercado em Shejaia, aguarda atendimento em maca na Cidade de Gaza (30/07). Foto: ReutersPalestino carrega menina ferida no hospital Kamal Adwan. Ela recebeu tratamento após ataque israelense a uma escola da ONU, em Gaza (30/07). Foto: APPalestinos choram por um parente que os médicos dizem ter sido morto por bombardeio israelense perto de um mercado em Shejaia, em Gaza (30/07). Foto: ReutersFarah Baker, 16, mora ao lado do hospital Al-Shifa, em Gaza, e pede o fim dos conflitos pelas redes sociais (29/07). Foto: Reprodução/TwitterPalestino é amparado enquanto civis procuram por vítimas após casa ser destruída por ataque aéreo em Rafah, sul da Faixa de Gaza (29/07). Foto: ReutersHomem observa estrago em única usina elétrica de Gaza (29/07). Foto: AFPA mãe de uma criança palestina chora ao saber da morte de seu filho em hospital na cidade de Gaza (28/07). Foto: ReutersSoldado israelense detém arma sobre veículo blindado após cruzar fronteira de Gaza para Israel (28/07). Foto: ReutersCrianças palestinas seguram armas de brinquedo em frente ao Domo da Rocha durante protesto na cidade velha de Jerusalém (28/07). Foto: ReutersParentes de militante palestino da Jihad Islâmica Hazem Abu Shamala choram durante seu funeral em Khan Younis, sul de Gaza (27/7). Foto: ReutersDestroços de casa de família cristã atingida por ataque de Israel são vistos na Cidade de Gaza (27/7). Foto: ReutersSoldados israelenses são vistos durante enterro em Jerusalém de seu companheiro Amit Yeori, morto durante combates em Gaza (27/7). Foto: ReutersFumaça sobe depois de explosão no norte de Gaza (27/7). Foto: ReutersPalestinos se reúnem ao redor de escombros de prédio onde membros de uma mesma família foram mortos em ataque de Israel em Khan Younis (26/7). Foto: APPalestina carrega seus pertences após ter casa destruída (26/7). Foto: ReutersPalestinos choram durante funeral de Eid Fadhelat, 32, que foi atingido por soldados israelenses durante confronto na sexta na Cisjordânia. Foto: APMédicos palestinos retiram corpo de escombros de casa destruída por ataque de Israel em Khan Younis, no sul da Faixa de Gaza (25/7). Foto: APPessoas vão ao velório do palestino Mohammed al-Araj, morto por tropas israelenses, de acordo com médicos da região (25/7). Foto: ReutersPalestino ferido por ataque de Israel contra escola da ONU em Beit Hanoun, norte da Faixa de Gaza, grita em hospital (24/5). Foto: ReutersMenino palestino chora ao ver parentes feridos sendo levados à sala de emergência no hospital de Nasser após ataque em Khan Younis, sul de Gaza (24/7). Foto: APMãe do palestino Mahmoud al-Shawamrah chora durante seu funeral na cidade de Al-ram, Cisjordânia (22/7). Foto: ReutersPalestinos procuram por sobreviventes sob os escombros de uma casa destruída por um míssil israelense na Cidade de Gaza (21/7). Foto: APEquipe de resgate e civis palestinos removem corpo sem vida dos escombros de uma casa destruída por um míssil israelense na Cidade de Gaza (21/7). Foto: APPolicial israelense de fronteira mira sua arma durante confrontos com palestinos que protestam na Cisjordânia contra ofensiva na Faixa de Gaza (18/7). Foto: APTanque de Israel manobra para tomar posição ao longo da fronteira entre Israel e a Faixa de Gaza (17/7). Foto: APFamiliares reagem à morte de quatro crianças vítimas de ataque aéreo israelense em Gaza (16/7). Foto: ReutersMenina chora enquanto palestinos fogem de suas casas no bairro de Shajaiyeh da Cidade de Gaza City depois de alerta de ataque de Israel (16/7). Foto: APParentes de quatro crianças palestinas que, segundo médicos, foram mortos por ataque de Israel choram na Cidade de Gaza (16/7). Foto: ReutersParentes de quatro meninos mortos na praia em ataque israelense choram durante funeral na Cidade de Gaza (16/7). Foto: APPalestino inspeciona danos a posto de polícia após ataque de míssil israelense que matou quatro meninos da mesma família na Cidade de Gaza (16/7). Foto: APParentes choram enquanto seguram corpo de Sarah Omar el-Eid, 4, que foi morta por ataque de Israel contra Gaza (15/7). Foto: APFumaça sobe após ataque aéreo de Israel contra a Faixa de Gaza (15/7). Foto: APBombeiro israelense inspeciona local atingido por fogo de militantes em Ashdod (15/7). Foto: APPalestino é visto perto de destroços de construção destruída por ataque aéreo israelense em Beit Lahiya, norte da Faixa de Gaza. Foto: APParentes de menina de 4 anos morta em ataque israelense choram durante enterro em Rafah, sul da Faixa de Gaza (15/7). Foto: ReutersParentes de menina de 4 anos morta em ataque israelense choram durante enterro em Rafah, sul da Faixa de Gaza (15/7)
. Foto: ReutersMenino chora morte de criança de 4 anos por ataque israelense em Rafah, sul da Faixa de Gaza (15/7). Foto: ReutersSoldados israelenses dormem no chão ao lado de um veículo blindado fora da Faixa de Gaza (15/7). Foto: ReutersPalestinos se reúnem em mesquita ao redor de corpo de homem morto por ataque aéreo de Israel (14/7). Foto: APMenina descansa no colo do pai depois de fugir de ataques aéreos israelenses na Faixa de Gaza (14/7). Foto: APPalestinos verificam danos em mesquita 
atingida por ataque de Israel durante a madrugada na Faixa de Gaza (14/7). Foto: APFumaça e destroços sobem durante ataque 
aéreo de Israel contra prédio no campo de refugiados de Jabalya, norte da Faixa de Gaza (14/7). Foto: APPalestina reage diante de destroços de sua casa, que a polícia diz ter sido destruída em ataque aéreo israelense em Rafah, sul da Faixa de Gaza (14/7). Foto: ReutersPalestinos fogem de suas casas para se abrigar em escola da ONU na Cidade de Gaza (13/7). Foto: APPalestinos levam corpo de Mohammed Sowelim, militante morto em ataque de Israel a Gaza (12/7). Foto: APIsrael tem à disposição arsenal mais sofisticado e soldados treinados (11/7). Foto: AFPPalestinos carregam seus pertences em uma casa depois de ela ser destruída por ataque de míssil de Israel na Faixa de Gaza (11/7)
. Foto: APIsraelenses em Tel Aviv procuram abrigo enquanto sirenes avisam sobre lançamento de foguete da Faixa de Gaza (11/7). Foto: APCarros destruídos são removidos de posto de gasolina na cidade de Ashdod, Israel, que foi atingido por foguete lançado da Faixa de Gaza. Foto: APParentes de família de oito palestinos mortos em ataque de Israel choram durante velório em Khan Younis, sul da Faixa de Gaza. Foto: APFumaça sobe depois de ataques aéreos de Israel (10/7). Foto: APPalestinos fazem buscam em destroços de casa destruída onde oito membros da mesma família morreram em ataque de Israel (10/7). Foto: APParentes de oito membros de uma família palestina choram durante velório em Khan Younis, sul da Faixa de Gaza (10/7). Foto: ReutersFumaça sobe depois de ataque contra a Cidade de Gaza (10/7). Foto: APPalestinos se reúnem ao redor de destroços de carro que, segundo a polícia, foi alvo de ataque de Israel no norte da Faixa de Gaza (10/7). Foto: ReutersPessoas rezam perto de corpos de oito membros de uma mesma família palestina em Khan Younis, sul da Faixa de Gaza (10/7). Foto: ReutersMãe segura menina palestina de 4 anos que funcionários de hospital dizem que foi morta por ataque israelense em Jabaliya, norte da Faixa de Gaza (10/7). Foto: ReutersMísseis israelenses atingem túneis de 
contrabando entre o Egito e a Faixa de Gaza em Rafah, sul da Faixa de Gaza (9/7). Foto: APParentes de cinco membros de uma família do Hamas mortos por Israel choram em sua casa em Beit Hanoun, norte da Faixa de Gaza (9/7). Foto: APFumaça e destroços sobem depois de 
ataque aéreo de Israel na Faixa de Gaza (9/7). Foto: APFoguete disparado por militantes palestinos a partir da Faixa de Gaza é visto em direção a Israel. Foto: APFumaça e fogo sobem de ataque aéreo de Israel em Rafah (8/7). Foto: APPalestinos levam ferido a hospital na Cidade de Gaza (8/7). Foto: APPalestinos fazem buscas em destroços de veículo depois de ataque aéreo de Israel em Gaza (8/7). Foto: APFumaça sobe depois de ataque de míssil de Israel na Cidade de Gaza (8/7). Foto: APPalestinos fazem buscas em destroços de veículo depois de ataque aéreo de Israel em Gaza (8/7). Foto: APPalestinos tentam salvar o que podem de seus pertences de destroços de casa destruída por ataque de Israel em Gaza (8/7). Foto: APPalestinos fazem buscas em destroços de casa destruída por ataque aéreo de Israel em Gaza (8/7)
. Foto: APPalestinos olham casa destruída depois de ataque de míssil de Israel em Khan Younis, Faixa de Gaza (8/7). Foto: APIncursões em Gaza ocorreram em retaliação a ataques com foguetes contra Israel no domingo (7/7). Foto: AFPIluminador do Exército de Israel explode sobre a fronteira entre Israel e Gaza (7/7). Foto: AP

Violência: Israel lança ofensiva terrestre na Faixa de Gaza

“As baixas entre civis são tragicamente inevitáveis devido a exploração brutal e sistemática de casas, hospitais e mesquitas em Gaza”, disse o Exército israelense.

Os militares têm dito com frequência que faz grandes esforços para minimizar as baixas entre civis, mas que o Hamas coloca os habitantes de Gaza em perigo ao esconder armas e combatentes em áreas residenciais.

Durante confrontos, o exército israelense afirmou que dez militantes infiltrados do Hamas foram mortos ao tentar atravessar um túnel depois de serem interceptados e alvejados por aviões israelenses.

Sábado: Soldados israelenses são mortos por militantes do Hamas

O Hamas também disparou mais de 50 foguetes contra Israel, incluindo dois em Tel Aviv, sem causar ferimentos ou danos. Desde o início da operação israelense, o Hamas disparou quase 2 mil foguetes contra Israel.

O ministro da Defesa de Israel, Moshe Yaalon disse que a operação militar em Gaza não tem limite de tempo.

"Se necessário, vamos recrutar mais reservistas a fim de continuar a operação durante o tempo necessário até concluir a tarefa e conquistar a calma em todo o território de Israel, especialmente a partir da Faixa de Gaza", disse Yaalon a uma comissão parlamentar.

Israel aceitou um apelo egípcio de cessar-fogo unilateral na semana passada, mas retomou a operação militar depois que o Hamas rejeitou a proposta. O grupo islâmico diz que quer garantias de que Israel e Egito irão facilitar o bloqueio às fronteiras de Gaza antes de aceitar o plano de paz.

Dia 17: Hamas dispara pelo menos três morteiros durante trégua com Israel

Ismail Haniyeh, líder do Hamas em Gaza, assinalou nesta segunda que o grupo está aderindo a sua posição. Ele disse que o objetivo da batalha é quebrar o bloqueio de sete anos ao território palestino, que foi imposto por Israel e Egito depois que o Hamas invadiu Gaza em 2007. Durante o ano passado, o Egito reforçou ainda mais as restrições, levando o Hamas a uma profunda crise financeira.

Haniyeh disse em um discurso transmitido pela televisão que "nós não podemos voltar atrás, não podemos voltar para a morte silenciosa" do bloqueio. Ele afirmou que todos os 1,7 milhão de moradores de Gaza compartilham essa demanda.

Mortos passam de 200: Ataque de Israel mata 4 primos de 9 a 11 anos em Gaza

"Gaza decidiu pôr fim ao bloqueio através do seu sangue e de sua coragem", disse ele.

Kerry deixou Washington nesta segunda em direção ao Cairo onde pretende unir  esforços diplomáticos para retomar a trégua que havia sido acordada em novembro de 2012. Ele deve exortar ao Hamas que aceite o plano de cessar-fogo fomentado pelo Egito.

O plano de cessar-fogo do Cairo é apoiado pelos EUA e Israel. Mas o Hamas rejeitou o plano egípcio e está contando com os governos da Turquia e Catar para uma proposta alternativa. Qatar e Turquia têm ligações com a Irmandade Muçulmana, que também está ligada ao Hamas, mas foi banida no Egito.

Saiba mais: Entenda o atual conflito entre Israel e Hamas

Israel invadiu Gaza na semana passada, precedida por uma campanha aérea de dez dias. Os ataques aéreos e de artilharia têm como alvo áreas de fronteira da Faixa de Gaza, em uma tentativa de destruir túneis e lançadores de foguetes.

*Com AP

Leia tudo sobre: ofensiva contra gazafaixa de gazaisraelcessar fogoeuakerry

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas