Maioria das cidades do país teve sábado marcado por diversas homenagens às vítimas da tragédia, que matou 298 no total

Moradores da maioria das cidades da Holanda fizeram, neste sábado (19), um minuto de silêncio e outras homenagens para lembrar dos 193 cidadãos do país que morreram na queda de um avião da Malaysian Airlines na Ucrânia, na quinta-feira (17). O número de holandeses que estava no voo foi confirmado neste sábado (19) pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros da Holanda.

As homenagens se caraterizaram especialmente pela emoção, principalmente nas cidades de nascimento de algumas das vítimas, como Vleuten, onde residiam dois irmãos que viajavam juntos no avião. Após o minuto de silêncio, uma procissão silenciosa tomou as ruas locais.

Leia mais:
ONU diz que 80 crianças estavam entre passageiros de avião que caiu na Ucrânia

Em Hilversum, onde viviam duas famílias que tiveram vítimas na tragédia, as portas da igreja local ficaram abertas ao longo de toda a tarde para acolher aqueles que queriam rezar pelos mortos. Em Roden, residência de um casal com dois filhos que também viajava no avião, havia um livro de condolências.

Em toda a Holanda, empresas, escolas e outras instituições ligadas às vítimas, parentes têm recebido apoio psicológico. Um dos encontros foi em uma escola de Eindhoven, cujo subdiretor era um dos passageiros; outro ocorreu em Roosendaal, onde trabalhava como professor uma das vítimas.

Além das demonstrações de apoio de muitas pessoas que se juntaram para participar das homenagens, multiplicaram-se as mensagens e os sinais de solidariedade nas redes sociais, em particular, no Facebook e no Twitter.

Leia também:
Tragédias aéreas raras dão histórico macabro à Malaysia Airlines
Família escapou da morte por falta de assento no avião da Malásia; assista
Comissário do avião malaio abatido na Ucrânia perdeu a mulher no voo MH370
Graduado especialista em aids é um dos 298 mortos de avião da Malásia

Na Holanda, muitos parentes dos mortos no desastre aguardam autorização para viajar à Ucrânia a fim de ajudar a identificar as vítimas. Nos últimos dias, agentes da polícia holandesa visitaram cerca de 80 famílias para obter informações sobre tatuagens e cicatrizes e colher amostras de DNA para cooperar na identificação dos corpos.

Veja fotos da tragédia que deixou 298 mortos no leste da Ucrânia:


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.