Corte de apelação italiana inocenta Berlusconi em caso de escândalo sexual

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Ex-premiê havia sido acusado de abuso de poder e por ter tido relações sexuais com uma menor de idade; ainda cabe recurso

Uma corte de apelação na Itália derrubou, nesta sexta-feira (18), a condenação de Silvio Berlusconi por acusações de abuso de poder e por pagar para fazer sexo com uma menor de idade, em uma significativa vitória legal para o ex-premiê italiano.

2013: Berlusconi é sentenciado a sete anos por escândalo sexual

AP
Silvio Berlusconi fala ao telefone enquanto deixa o instituto italiano 'Sacra Famiglia' em Cesano Boscone, Itália


Maio: Berlusconi começa a cumprir pena de serviço comunitário em asilo da Itália

Tribunal de Milão desconsiderou inesperadamente o veredicto de culpado proferido no ano passado por um tribunal de instância inferior, que sentenciou Berlusconi a sete anos de prisão.

O caso chamou a atenção internacional e ofereceu uma espiada sobre a vida privada do italiano de 77 anos, eleito três vezes primeiro-ministro da Itália, com direito a depoimentos de testemunhas revelando festas "bunga bunga" regadas a sexo em sua casa privada com a presença de aspirantes a dançarinas.

Abril: Corte condena Berlusconi a serviços comunitários para idosos por evasão fiscal

Berlusconi foi acusado de pagar para fazer sexo com a ex-dançarina de casas noturnas Kharima el Mahroug, mais conhecida como "Ruby, a ladra de corações", quando ela ainda era menor de idade, e por abuso de autoridade para obter a libertação dela de custódia policial, quando a jovem foi acusada de roubo.

"Um veredicto que vai além de nossas expectativas mais otimistas", disse a repórteres um advogado de Berlusconi, Franco Coppi.

Berlusconi, o mais influente político da centro-direita italiana, sempre negou as acusações, dizendo que o caso foi motivado por magistrados que tentam expulsá-lo do poder. Tanto ele quanto Ruby, que tinha 17 anos quando frequentava a casa do então premiê, negaram ter tido relações sexuais.

A absolvição foi anunciada assim que Berlusconi saía de casa que trata pacientes com Alzheimer, onde ele realiza serviços comunitários após ter sido condenado por fraude fiscal. Esse é o único caso finalizado contra Berlusconi, que já enfrentou dezenas deles, principalmente por seus negócios.

O veredicto desta sexta-feira no julgamento de apelação mais sensacionalista entre os processos enfrentados por Berlusconi não é definitivo porque os promotores poderão entrar com um recurso na principal corte da Itália.

Berlusconi emitiu um comunicado aos partidários dizendo que o veredicto confirmou "o que eu sempre disse: que a grande maioria dos magistrados italianos faz seu trabalho em silêncio, com equilíbrio admirável e rigor."

*Com Reuters e AP

Leia tudo sobre: berlusconiitaliapremie italianorubyassedio sexual

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas