Tamanho do texto

Disparos acontecem em meio a cessar-fogo humanitário de 5 horas cujo objetivo era permitir estocagem de suprimentos

BBC

Militantes palestinos dispararam pelo menos três morteiros da Faixa de Gaza em direção a Israel, interrompendo um cessar-fogo humanitário de cinco horas, informaram forças de segurança israelenses.

Ontem: Israel anuncia 'cessar-fogo humanitário' de cinco horas em ataques contra Gaza

Saldo da operação em Gaza é de 220 palestinos e um israelense mortos
BBC Brasil
Saldo da operação em Gaza é de 220 palestinos e um israelense mortos

Mortos passam de 200: Ataque de Israel mata 4 primos de 9 a 11 anos em Gaza

Israel e o grupo palestino Hamas haviam concordado em interromper os combates temporariamente nesta quinta-feira para permitir que moradores da Faixa de Gaza buscassem suprimentos. O Exército israelense havia informado que responderia imediatamente caso a trégua fosse quebrada pelo Hamas.

O cessar-fogo foi solicitado pela Organização das Nações Unidas (ONU) e outras organizações internacionais depois de nove dias de combates que já deixaram 220 palestinos e um israelense mortos.

Ontem: Cessar-fogo fracassa e Israel retoma ataques aéreos contra Gaza

Israel lançou sua operação militar em 8 de julho com o objetivo declarado de interromper os ataques de foguetes palestinos contra seu território.

Demandas: Saiba o que Israel e o Hamas reivindicam para um acordo de cessar-fogo

No entanto, a ONU diz que a maioria dos mortos em Gaza são civis. Israel acusa o Hamas de usar a população civil como escudo para esconder a sua infraestrutura militar. A ONU diz que pelo menos 1.370 casas foram destruídas em Gaza e mais de 18 mil pessoas foram deslocadas desde o início da ofensiva.

Crianças mortas

Quatro meninos de uma mesma família estão entre os mortos por ataques israelenses na quarta-feira. Eles morreram enquanto brincavam em uma praia perto da cidade de Gaza. Testemunhas disseram que o local foi atingido duas vezes.

Saiba mais: Entenda o atual conflito entre Israel e Hamas

Militares israelenses disseram estar "investigando cuidadosamente" o incidente de "resultado trágico" e que, "com base nos resultados preliminares, o alvo deste ataque eram agentes terroristas do Hamas".

O Exército israelense costuma atingir áreas abertas do litoral que alega serem usadas por militantes como zonas de lançamentos de foguetes. O Hamas descreveu o ataque como um crime de guerra e pediu condenação da ONU.

Cenário: Conheça o dia a dia da vida repleta de restrições em Gaza

A imprensa israelense informou que o Hamas apresentou uma lista de dez pré-requisitos para uma trégua de dez anos com Israel. As exigências incluiriam a flexibilização do bloqueio econômico a Gaza, o fim dos ataques israelenses ao território e a construção de um aeroporto e um porto.

O Exército de Israel diz que seu escudo antimísseis Domo de Ferro abateu 23 foguetes lançados de Gaza na quarta-feira, enquanto outros acertaram alvos sem causar vítimas.

Poder de fogo: Israel usa arsenal sofisticado contra foguetes palestinos obsoletos

Guerra virtual: Palestinos e israelenses levam batalha para as redes sociais

Israel mobilizou dezenas de milhares de soldados na fronteira com Gaza em meio a especulações sobre uma possível invasão terrestre.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.