Exército tenta romper ocupação de insurgentes no leste do país e anuncia retomada de vilas; há soldados mortos, diz porta-voz

A luta se intensificou ao redor da cidade ucraniana oriental de Luhansk nesta segunda-feira (14) enquanto forças governamentais intensificam esforços para romper linhas rebeldes e reivindicar mais um território da insurgência.

Ontem: Rússia ameaça Ucrânia depois que projétil atravessa a fronteira

Militante de Donetsk diz adeus a sua família enquanto ela parte como refugiada para a Rússia
Reuters
Militante de Donetsk diz adeus a sua família enquanto ela parte como refugiada para a Rússia


Pelo fim da crise: Merkel e Putin pedem maior esforço de paz na Ucrânia

De acordo com Ministério da Defesa, tropas do governo haviam retomado várias vilas ao redor da cidade controlada por insurgentes e reabriu corredor para o aeroporto.

Porta-voz da República Popular das Pessoas de Luhansk disse à Associated Press que os combatentes separatistas destruíram comboio armado ucraniano na aldeia de Heorhiivka, a 10 km a oeste do aeroporto. Ela diz que pelo menos três soldados ucranianos foram mortos no confronto.

Dia 11: Ataque rebelde mata 19 soldados da Ucrânia

Nas últimas duas semanas, o governo reduziu pela metade o território controlado pelos combatentes pró-Rússia, que foram forçados a recuar para as cidades de Luhansk e Donetsk.

Ameaças

No domingo, a Rússia ameaçou a Ucrânia com “consequências irreversíveis”, depois que um homem morreu atingido por morteiro disparado para o outro lado da fronteira ucraniana, descrevendo o incidente como uma agressão que precisa ser devidamente tratada.

Dia 10: Ucrânia perde três soldados em conflito; França e Alemanha pressionam Putin

Embora ambos os lados tenham relatado tiroteios além-fronteiras no passado, o incidente parece ser o primeiro em que Moscou relata mortes do seu lado da fronteira, durante o conflito que já dura três meses e já matou centenas de pessoas, na Ucrânia.

Kiev chamou a acusação de que suas forças haviam disparado através da fronteira, de “total bobagem”, e sugeriu que o ataque pode ter sido obra de rebeldes tentando provocar Moscou para que ela intervenha em seu nome. Os rebeldes negaram ser os responsáveis.

Alemanha e Rússia

A chanceler alemã, Angela Merkel, e o presidente russo, Vladimir Putin, concordaram que a situação na Ucrânia "tem uma tendência de degradação" e pediram por uma intensificação nos esforços de paz, como informou porta-voz de Putin, Dmitry Peskov, no domingo.

Dia 6: Forças ucranianas retomam controle de mais duas cidades do leste

Eles têm estado em contato telefônico regular por conta da crise na Ucrânia, e Merkel pediu a Putin que use sua influência sobre os separatistas no leste ucraniano para ajudar a colocar um fim nos combates da região.

Dia 5: Forças militares expulsam insurgentes de cidade no leste da Ucrânia

"Tanto Putin quanto Merkel salientaram a necessidade de retomar urgentemente o trabalho para um grupo de contato na Ucrânia, possivelmente no formato de uma videoconferência. É a opinião comum de ambos que, para que o grupo de contato retome seu trabalho, um cessar-fogo precisa ser declarado o mais rápido possível", disse Peskov.

*Com AP e Reuters

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.