Israel usa arsenal sofisticado contra foguetes palestinos obsoletos

Por BBC Brasil |

compartilhe

Tamanho do texto

Grande parte do arsenal do Hamas conta com tecnologia da era soviética; número de vítimas entre os palestinos vem crescendo

BBC

O conflito entre militares israelenses e braços armados do Hamas e de outros grupos palestinos na Faixa de Gaza é uma clássica batalha assimétrica. Ambos os lados estão longe de serem equiparáveis em termos de poder de fogo, mas ainda assim podem exercer grande pressão um sobre o outro.

Hoje: Número de mortos passa de 100 em Gaza enquanto foguetes atingem Israel

AFP
Israel tem à disposição arsenal mais sofisticado e soldados treinados


Hoje: EUA se oferecem para mediar conflito em Gaza

Inevitavelmente, a perda de vidas nos dois lados também é assimétrica. O número de vítimas entre os palestinos vem crescendo desde o início da operação israelense na Faixa de Gaza, território palestino pequeno e densamente povoado.

Israel argumenta que uma proporção significativa da infraestrutura do Hamas está localizada em áreas civis. As Forças de Defesa Israelenses (IDF, na sigla em inglês) dizem que são cuidadosas e tentam evitar, ao máximo, atingir civis.

No entanto, algumas de suas táticas de combate são contestáveis: grupos de direitos humanos em Israel criticam o fato de militares israelenses terem como alvos casas de suspostos comandantes militantes palestinos, localizadas em áreas populosas.

O hábito de Israel de telefonar para moradores para alertá-los antes dos bombardeios não tem sido eficiente na redução do número de vítimas. Mas quais recursos estão sendo usados pelos dois lados, enquanto a guerra vai se tornando o desfecho mais provável?

Conflito ameaça região: Chefe da ONU pede cessar-fogo

Arsenal palestino

O Hamas e outros grupos palestinos mais radicais em Gaza construíram um arsenal de foguetes obsoletos que, ao longo dos anos, aumentaram consideravelmente seu alcance. Este é um fator importante. Nenhum desses armamentos é sofisticado.

A maioria conta com tecnologia da era soviética e é composta por foguetes de artilharia construídos para serem lançados em grandes quantidades em vez de individualmente. Alguns foram contrabandeados através de túneis vindos do Sinai, no Egito; alguns são fabricados em oficinas na Faixa de Gaza, apesar de muitos deles dependerem de peças contrabandeadas trazidas do Irã e da Síria.

Bola de fogo sobe de explosão na torre de apartamentos de al-Zafer depois de um ataque aéreo de Israel na Cidade de Gaza, no norte do território (23/8). Foto: APMilitantes do Hamas vendam palestino suspeito de colaborar com Israel antes de executá-lo na Cidade de Gaza (22/8). Foto: ReutersFumaça cobre Gaza após o que testemunhas disseram ter sido um ataque aéreo israelense (19/08). Foto: ReutersPalestinos preparam chá próximos às ruínas de sua casa em Khan Younis, no sul da Faixa de Gaza (18/08). Foto: ReutersPalestina caminha pelas ruínas de casas que testemunhas disseram ter sido destruídas por ofensiva israelense na vila de Jöhr El-Deek, em Gaza (17/08). Foto: ReutersPalestina entre os restos de sua casa, que testemunhas disseram ter sido destruída durante a ofensiva israelense na vila Jöhr El-Deek, centro de Gaza (17/08). Foto: ReutersPalestino assiste às orações ao lado das ruínas de uma mesquita que testemunhas disseram ter sido destruída por ataque aéreo de Israel, em Gaza (15/08). Foto: ReutersPalestino carrega seu irmão ao lado dos restos de sua casa, que testemunhas dizem ter sido destruída por Israel, durante trégua em Gaza (13/08). Foto: ReutersSimone Camilli, 35, é o primeiro jornalista estrangeiro morto no conflito de Gaza (13/08). Foto: APSoldados israelenses patrulham Kibbutz Nahal Oz, perto da Faixa de Gaza cuja maioria dos moradores fugiu para se proteger de foguetes (10/08). Foto: Reutersmilitares israelenses retiram militante ferido após ataque a embarcação em israel (maio/2010). Foto: ReutersMulher chora durante funeral de familiar morto após ataque aéreo israelense no campo de refugiados de Nusseirat, Gaza (9/08). Foto: ReutersSoldados com a bandeira israelense em operação militar (8/08). Foto: APFumaça toma o céu na Faixa de Gaza após ataque israelense (8/08). Foto: ReutersFoto antiga mostra movimento na área onde hoje fica Israel (8/08). Foto: APPalestinos fogem de suas casas após ataque aéreo israelense nas proximidades, no norte da Faixa de Gaza (8/08). Foto: ReutersSoldado israelense carrega projétel perto da fronteira com a Faixa de Gaza (7/08). Foto: ReutersCerca de um quinto dos mortos durante a ofensiva israelense em Gaza são crianças (9/08). Foto: ReutersHomem com roupas manchadas pelo sangue é consolado em hospital em Khan Younis: cerca de 1.900 palestinos morreram em Gaza (9/08). Foto: ReutersA tia da palestina Yasmin al-Bakri, 11, a quem médicos disseram ter sido ferida em ataque aéreo israelense, segura a mão da  sobrinha em hospital de Gaza (6/08). Foto: ReutersO palestino Anas Shabat, 10, chora ao inspecionar os danos ao retornar para sua casa, destruída por ataques na cidade de Beit Hanoun, Faixa de Gaza (5/08). Foto: APPara pastor, ataques israelenses em Gaza são 'desumanos' (7/08). Foto: AFPPalestino chora após o corpo de sua mãe ser retirado de escombros de casa destruída por ataque aéreo israelense, segundo testemunhas, em Rafah, Gaza (4/08). Foto: ReutersConfronto atual pode ser apenas mais um episódio do conflito e se repetir nos próximos meses (6/08). Foto: APAtaque a escola matou ao menos dez pessoas (3/08). Foto: ReutersSoldado israelense em túnel construído pelo Hamas para atacar Israel (31/07). Foto: ReutersPalestino que, segundo os médicos, foi ferido após ataque israelense perto de mercado em Shejaia, aguarda atendimento em maca na Cidade de Gaza (30/07). Foto: ReutersPalestino carrega menina ferida no hospital Kamal Adwan. Ela recebeu tratamento após ataque israelense a uma escola da ONU, em Gaza (30/07). Foto: APPalestinos choram por um parente que os médicos dizem ter sido morto por bombardeio israelense perto de um mercado em Shejaia, em Gaza (30/07). Foto: ReutersFarah Baker, 16, mora ao lado do hospital Al-Shifa, em Gaza, e pede o fim dos conflitos pelas redes sociais (29/07). Foto: Reprodução/TwitterPalestino é amparado enquanto civis procuram por vítimas após casa ser destruída por ataque aéreo em Rafah, sul da Faixa de Gaza (29/07). Foto: ReutersHomem observa estrago em única usina elétrica de Gaza (29/07). Foto: AFPA mãe de uma criança palestina chora ao saber da morte de seu filho em hospital na cidade de Gaza (28/07). Foto: ReutersSoldado israelense detém arma sobre veículo blindado após cruzar fronteira de Gaza para Israel (28/07). Foto: ReutersCrianças palestinas seguram armas de brinquedo em frente ao Domo da Rocha durante protesto na cidade velha de Jerusalém (28/07). Foto: ReutersParentes de militante palestino da Jihad Islâmica Hazem Abu Shamala choram durante seu funeral em Khan Younis, sul de Gaza (27/7). Foto: ReutersDestroços de casa de família cristã atingida por ataque de Israel são vistos na Cidade de Gaza (27/7). Foto: ReutersSoldados israelenses são vistos durante enterro em Jerusalém de seu companheiro Amit Yeori, morto durante combates em Gaza (27/7). Foto: ReutersFumaça sobe depois de explosão no norte de Gaza (27/7). Foto: ReutersPalestinos se reúnem ao redor de escombros de prédio onde membros de uma mesma família foram mortos em ataque de Israel em Khan Younis (26/7). Foto: APPalestina carrega seus pertences após ter casa destruída (26/7). Foto: ReutersPalestinos choram durante funeral de Eid Fadhelat, 32, que foi atingido por soldados israelenses durante confronto na sexta na Cisjordânia. Foto: APMédicos palestinos retiram corpo de escombros de casa destruída por ataque de Israel em Khan Younis, no sul da Faixa de Gaza (25/7). Foto: APPessoas vão ao velório do palestino Mohammed al-Araj, morto por tropas israelenses, de acordo com médicos da região (25/7). Foto: ReutersPalestino ferido por ataque de Israel contra escola da ONU em Beit Hanoun, norte da Faixa de Gaza, grita em hospital (24/5). Foto: ReutersMenino palestino chora ao ver parentes feridos sendo levados à sala de emergência no hospital de Nasser após ataque em Khan Younis, sul de Gaza (24/7). Foto: APMãe do palestino Mahmoud al-Shawamrah chora durante seu funeral na cidade de Al-ram, Cisjordânia (22/7). Foto: ReutersPalestinos procuram por sobreviventes sob os escombros de uma casa destruída por um míssil israelense na Cidade de Gaza (21/7). Foto: APEquipe de resgate e civis palestinos removem corpo sem vida dos escombros de uma casa destruída por um míssil israelense na Cidade de Gaza (21/7). Foto: APPolicial israelense de fronteira mira sua arma durante confrontos com palestinos que protestam na Cisjordânia contra ofensiva na Faixa de Gaza (18/7). Foto: APTanque de Israel manobra para tomar posição ao longo da fronteira entre Israel e a Faixa de Gaza (17/7). Foto: APFamiliares reagem à morte de quatro crianças vítimas de ataque aéreo israelense em Gaza (16/7). Foto: ReutersMenina chora enquanto palestinos fogem de suas casas no bairro de Shajaiyeh da Cidade de Gaza City depois de alerta de ataque de Israel (16/7). Foto: APParentes de quatro crianças palestinas que, segundo médicos, foram mortos por ataque de Israel choram na Cidade de Gaza (16/7). Foto: ReutersParentes de quatro meninos mortos na praia em ataque israelense choram durante funeral na Cidade de Gaza (16/7). Foto: APPalestino inspeciona danos a posto de polícia após ataque de míssil israelense que matou quatro meninos da mesma família na Cidade de Gaza (16/7). Foto: APParentes choram enquanto seguram corpo de Sarah Omar el-Eid, 4, que foi morta por ataque de Israel contra Gaza (15/7). Foto: APFumaça sobe após ataque aéreo de Israel contra a Faixa de Gaza (15/7). Foto: APBombeiro israelense inspeciona local atingido por fogo de militantes em Ashdod (15/7). Foto: APPalestino é visto perto de destroços de construção destruída por ataque aéreo israelense em Beit Lahiya, norte da Faixa de Gaza. Foto: APParentes de menina de 4 anos morta em ataque israelense choram durante enterro em Rafah, sul da Faixa de Gaza (15/7). Foto: ReutersParentes de menina de 4 anos morta em ataque israelense choram durante enterro em Rafah, sul da Faixa de Gaza (15/7)
. Foto: ReutersMenino chora morte de criança de 4 anos por ataque israelense em Rafah, sul da Faixa de Gaza (15/7). Foto: ReutersSoldados israelenses dormem no chão ao lado de um veículo blindado fora da Faixa de Gaza (15/7). Foto: ReutersPalestinos se reúnem em mesquita ao redor de corpo de homem morto por ataque aéreo de Israel (14/7). Foto: APMenina descansa no colo do pai depois de fugir de ataques aéreos israelenses na Faixa de Gaza (14/7). Foto: APPalestinos verificam danos em mesquita 
atingida por ataque de Israel durante a madrugada na Faixa de Gaza (14/7). Foto: APFumaça e destroços sobem durante ataque 
aéreo de Israel contra prédio no campo de refugiados de Jabalya, norte da Faixa de Gaza (14/7). Foto: APPalestina reage diante de destroços de sua casa, que a polícia diz ter sido destruída em ataque aéreo israelense em Rafah, sul da Faixa de Gaza (14/7). Foto: ReutersPalestinos fogem de suas casas para se abrigar em escola da ONU na Cidade de Gaza (13/7). Foto: APPalestinos levam corpo de Mohammed Sowelim, militante morto em ataque de Israel a Gaza (12/7). Foto: APIsrael tem à disposição arsenal mais sofisticado e soldados treinados (11/7). Foto: AFPPalestinos carregam seus pertences em uma casa depois de ela ser destruída por ataque de míssil de Israel na Faixa de Gaza (11/7)
. Foto: APIsraelenses em Tel Aviv procuram abrigo enquanto sirenes avisam sobre lançamento de foguete da Faixa de Gaza (11/7). Foto: APCarros destruídos são removidos de posto de gasolina na cidade de Ashdod, Israel, que foi atingido por foguete lançado da Faixa de Gaza. Foto: APParentes de família de oito palestinos mortos em ataque de Israel choram durante velório em Khan Younis, sul da Faixa de Gaza. Foto: APFumaça sobe depois de ataques aéreos de Israel (10/7). Foto: APPalestinos fazem buscam em destroços de casa destruída onde oito membros da mesma família morreram em ataque de Israel (10/7). Foto: APParentes de oito membros de uma família palestina choram durante velório em Khan Younis, sul da Faixa de Gaza (10/7). Foto: ReutersFumaça sobe depois de ataque contra a Cidade de Gaza (10/7). Foto: APPalestinos se reúnem ao redor de destroços de carro que, segundo a polícia, foi alvo de ataque de Israel no norte da Faixa de Gaza (10/7). Foto: ReutersPessoas rezam perto de corpos de oito membros de uma mesma família palestina em Khan Younis, sul da Faixa de Gaza (10/7). Foto: ReutersMãe segura menina palestina de 4 anos que funcionários de hospital dizem que foi morta por ataque israelense em Jabaliya, norte da Faixa de Gaza (10/7). Foto: ReutersMísseis israelenses atingem túneis de 
contrabando entre o Egito e a Faixa de Gaza em Rafah, sul da Faixa de Gaza (9/7). Foto: APParentes de cinco membros de uma família do Hamas mortos por Israel choram em sua casa em Beit Hanoun, norte da Faixa de Gaza (9/7). Foto: APFumaça e destroços sobem depois de 
ataque aéreo de Israel na Faixa de Gaza (9/7). Foto: APFoguete disparado por militantes palestinos a partir da Faixa de Gaza é visto em direção a Israel. Foto: APFumaça e fogo sobem de ataque aéreo de Israel em Rafah (8/7). Foto: APPalestinos levam ferido a hospital na Cidade de Gaza (8/7). Foto: APPalestinos fazem buscas em destroços de veículo depois de ataque aéreo de Israel em Gaza (8/7). Foto: APFumaça sobe depois de ataque de míssil de Israel na Cidade de Gaza (8/7). Foto: APPalestinos fazem buscas em destroços de veículo depois de ataque aéreo de Israel em Gaza (8/7). Foto: APPalestinos tentam salvar o que podem de seus pertences de destroços de casa destruída por ataque de Israel em Gaza (8/7). Foto: APPalestinos fazem buscas em destroços de casa destruída por ataque aéreo de Israel em Gaza (8/7)
. Foto: APPalestinos olham casa destruída depois de ataque de míssil de Israel em Khan Younis, Faixa de Gaza (8/7). Foto: APIncursões em Gaza ocorreram em retaliação a ataques com foguetes contra Israel no domingo (7/7). Foto: AFPIluminador do Exército de Israel explode sobre a fronteira entre Israel e Gaza (7/7). Foto: AP

Quinta: Israel amplia ofensiva aérea contra o Hamas em Gaza

Sistemas de baixo alcance incluem morteiros pesados e os foguetes Grad e Qassam, com alcance de até 48 quilômetros e 17 quilômetros, respectivamente. Há também o foguete de longo alcance Fajr-5, conhecido como M75. Pode atingir uma distância de 75 quilômetros, ameaçando grandes cidades como Tel Aviv e Jerusalém.

Mas o uso do Fajr-5 traz grandes problemas práticos. O armamento é pesado e muito grande, com 6 m de comprimento. Requer operação mecânica e precisa ser posicionado em locais escondidos dos olhos intrometidos dos drones israelenses.

A última novidade é o aparente uso pelos palestinos do foguete Khaibar-1, um sistema ainda maior de longo alcance, que seria de fabricação síria.

Quarta: Israel intensifica ataques contra alvos do Hamas na Faixa de Gaza

O armamento teria sido utilizado no início deste mês e teria alcance de até 160 quilômetros, podendo chegar até a costa norte de Israel. O alcance deste armamentos é um fator crucial, por ameaçar a população de grandes cidades israelenses.

Isso também significa o aumento da pressão no governo de Israel, de duas formas: de um lado empurra para o aumento do conflito, mas também lembra contra o potencial custo de um conflito aberto.

O problema para o Hamas e para outros grupos armados é a habilidade limitada de manter estas operações. Fontes do setor de serviços secretos de Israel sugerem que os grupos palestinos têm milhares de foguetes de menor alcance e, no máximo, apenas alguns sistemas que chegam a centenas de quilômetros de alcance.

Terça: Israel diz estar pronto para escalada do conflito

Os líderes palestinos também estão atentos para o fato de que o novo governo do Egito tomou medidas para fechar muitos dos túneis entre a Faixa de Gaza e o Sinai, o que complica o fornecimento de mísseis e componentes no futuro.

Mas os combatentes palestinos não são totalmente passivos: claramente possuem planos de defesa bem elaborados para tentar evitar qualquer incursão israelense por terra.

Reprodução
Alcance de foguetes do Hamas


Existem também uma infraestrutura subterrânea sofisticada, e as práticas operacionais israelenses, de outros combates contra os palestinos, foram cuidadosamente estudadas.

A resposta israelense

A resposta de Israel ao aumento dos ataques com foguetes tem natureza tanto defensiva quanto ofensiva.

Assista: Vídeo mostra ataques aéreos de Israel contra a Faixa de Gaza

O diversificado poderio aéreo isralense tem sido usado em uma série de ataques contra locais de onde os foguetes palestinos estão sendo lançados, lojas de armas e contra os elementos de comando do Hamas e de outros grupos.

Até agora isso não interrompeu ataques com foguetes, mas fez subir o número de mortos e feridos entre os palestinos. Outro ponto importante da estratégia isralense, além das táticas ofensivas, é que éla conta com o sistema de defesa antimísseis Domo de Ferro para defender a população civil.

O Domo de Ferro não consegue interceptar todos os mísseis; radares e sistemas de comando analisam onde os mísseis poderão cair e interceptam apenas aqueles que estariam indo em direção a áreas civis.

Além deste sistema, Israel também está se preparando para uma operação por terra, caso seja necessária. Já enviou três brigadas para a região da fronteira com a Faixa de Gaza e os reservistas foram mobilizados.

Galeria: Veja imagens do conflito entre Israel e Hamas na Faixa de Gaza

Futuro

Se os disparos de foguetes contra Israel continuarem, os ataques aéreos de Israel também vão continuar e o número de mortos entre os palestinos vai aumentar.

Outros países estão criticando cada vez mais o governo de Israel e o país já lançou uma ofensiva diplomática. Mas, novamente, se os disparos de foguetes não pararem muitos governos aliados vão perceber o tipo de pressão exercida contra o governo israelense.

E o Hamas está sendo pressionado também. A relação do grupo com o governo do Egito se deteriorou, eles estão com problemas financeiros e a maior parte de sua infraestrutura na Cisjordânia está sendo desmontada, o que deixa o Hamas isolado.

Paradoxalmente, a fraqueza do Hamas também é um problema para Israel. A alternativa ao poder do Hamas pode ser a anarquia na região, com grupos extremistas jihadistas assumindo o controle e outros combatentes chegando à região vindos do Sinai. Isso não beneficiaria o futuro da segurança de Israel.

De qualquer forma os disparos de foguetes continuam e a possibilidade de uma incursão por terra aumenta. Israel insiste que não quer fazer uma operação terrestre. Por outro lado, o maior "feito" do Hamas poderá ser desencadear esta operação.

Leia tudo sobre: israeloriente mediopalestinosfogueteshamasofensiva contra gaza

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas