Alemanha expulsa a principal autoridade de inteligência dos EUA

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Medida é tomada pela suspeita de novos casos de espionagem em meio à saia justa de 1 ano pelas atividades da NSA no país

A Alemanha tomou nesta quinta-feira o dramático passo de expulsar a principal autoridade de inteligência dos EUA em Berlim em resposta à suspeita de dois casos de espionagem americana e à saia justa de um ano em relação à interceptação de comunicações pela Agência Nacional de Segurança dos EUA (NSA).

Agente duplo: Chanceler alemã diz que suspeita de espionagem dos EUA é grave

AP
Foto de 25/10/2013 mostra bandeira acima da embaixada dos EUA em frente do Reichstag, que abriga o Parlamento alemão, em Berlim

Dia 4: Alemanha prende suposto agente duplo dos EUA

A medida reflete a crescente impaciência alemã com o que é percebido como a indiferença dos EUA de ser flagrado espionando um aliado próximo.

"O representante dos serviços de inteligência dos EUA na embaixada americana foi requisitado a deixar a Alemanha", disse o porta-voz do governo, Steffen Seibert, em uma declaração.

"O pedido ocorreu contra o pano de fundo de uma investigação em andamento de promotores federais, assim como de questões que foram apresentadas há meses sobre as atividades das agências de inteligência dos EUA na Alemanha", acrescentou. "O governo vê o assunto muito seriamente."

Revista: Telefone da chanceler alemã está grampeado pelos EUA desde 2002

Seibert afirmou que a Alemanha continua a buscar uma cooperação "próxima e confiável" com seus parceiros ocidentais, "especialmente os EUA".

O governo americano rejeitou a fazer comentários diretos sobre a decisão. Mas a porta-voz da Casa Branca Caitlin Hayden disse que a relação de segurança e de inteligência com a Alemanha era muito importante para os EUA.

"Ela mantém os alemães e americanos seguros. É essencial que a cooperação continue em todas as áreas, e nós continuaremos a estar em contato com o governo alemão em canais apropriados", disse.

Dezembro: ONU aprova resolução contra espionagem apresentada por Brasil e Alemanha

Pouco depois de a decisão ser anunciada, a chanceler Angela Merkel disse aos repórteres que a Alemanha e os EUA tiveram "abordagens muito diferentes" ao papel das agências de inteligência.

Ela pontuou a necessidade de maior confiança entre os aliados, uma posição que repetidamente expressou desde o surgimento no ano passado de informações de que a NSA ouviu ligações de seu celular.

Em casos separados nos últimos dez dias, um homem foi preso e uma investigação foi aberta contra outro pela suspeita de que trabalharam para um serviço de inteligência estrangeiro. A mídia alemã informou que os homens são suspeitos de transmitir segredos aos EUA.

O ministro do Interior Thomas de Maiziere disse que a abrangência dos casos e quem está envolvido ainda não estão claros, mas que ocorrem conversas em todos os níveis com os EUA.

"Se a situação continua com o que atualmente sabemos, a informação colhida por essa suspeita de espionagem é risível", disse Maiziere "Entretanto, o dano político já é desproporcional e sério."

*Com AP

Leia tudo sobre: alemanhaeuainteligênciansa

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas