Candidato afegão declara vitória após resultado inicial dar vantagem a rival

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

A partidários em Cabul, Abdullah Abdullah reitera alegações de que processo eleitoral presidencial foi manchado por fraudes

O candidato presidencial afegão Abdullah Abdullah declarou vitória nas eleições do mês passado apesar de os resultados iniciais indicarem vantagem de seu rival, Ashraf Ghani. Em pronunciamento a seus partidários em Cabul, Abdullah repetiu alegações de que o processo eleitoral foi manchado por fraudes.

Dia 27: Milhares protestam no Afeganistão contra suposta fraude em eleição

AP
Candidato presidencial do Afeganistão Abdullah Abdullah fala durante encontro com seus partidários em Cabul

Abdullah: Candidato presidencial afegão pede suspensão da contagem de votos

O secretário de Estado americano, State John Kerry, previamente havia alertado contra a tentativa de se segurar ao poder após informações de que Abdullah planejava um "governo paralelo".

Em meio à tensão polícia, a explosão de uma bomba perto de Cabul deixou 16 mortos, incluindo quatro soldados da Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte). Dez civis e dois policiais também morreram o ataque contra uma clínica perto de Bagram, que abriga a maior base dos EUA no país.

Analistas sabem que um governo paralelo, como foi sugerido, poderia afetar a estabilidade, a economia e a segurança do Afeganistão, assim como suas relações com a comunidade internacional. O Exército em todo o país é uma força tão dividida que é difícil saber de que forma responderia.

Saiba mais: Entenda por que o Afeganistão é estratégico

À multidão, Abdullah afirmou que nunca "aceitaria um governo fraudulento". "Somos vencedores nessa rodada das eleições sem nenhuma dúvida", afirmou em meio a aplausos.

Entretanto, ele evitou declarar um governo paralelo, como seus partidários haviam sugerido previamente, em vez disso pedindo um país unido. "Não queremos a guerra civil, não queremos uma crise", disse. "Queremos estabilidade, unidade nacional, e não divisão."

Leia também: Invasões e conflitos marcam história do Afeganistão

Resultados preliminares anunciados na segunda-feira dão 56,44% dos votos no segundo turno de 14 de junho. Abdullah, que não conseguiu alcançar uma maioria completa no primeiro turno, alcançou 43,56%.

Ambos alegaram fraude na eleição. Os votos estão sendo recontados em quase um terço das seções eleitorais - mais de 7 mil. As recontagens podem mudar de forma significativa o resultado final, previsto para 22 de julho.

A Missão de Assistência da ONU para o Afeganistão alertou que seria "prematuro" para ambos os lados declarar vitória.

*Com BBC

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas