ONG estima que entre 160 e 190 homens foram mortos em pelo menos dois lugares dentro e ao redor de Tikrit, no norte do país

Reuters

Fotografias e imagens de satélites indicam que insurgentes do grupo Estado Islâmico do Iraque e do Levante (EIIL) realizaram execuções em massa na cidade de Tikrit, norte do país, informou a ONG Human Rights Watch nesta sexta-feira (27).

Hoje: Bombardeio aéreo sugere fusão entre conflitos no Iraque e Síria

Voluntário xiita do Conselho Supremo Islâmico Iraquiano aponta arma durante treinamento em Najaf, Iraque (26/06)
Reuters
Voluntário xiita do Conselho Supremo Islâmico Iraquiano aponta arma durante treinamento em Najaf, Iraque (26/06)


Ontem: Obama pede ao Congresso US$ 500 milhões para rebeldes sírios

O EIIL, composto por radicais islâmicos que querem recriar califados medievais do Iraque a Síria, avançaram sobre grande parte do norte do Iraque quase sem resistência, tomando cidades como Mosul e Tikrit, assumindo controle de postos de fronteira e se aproximando a uma distância de cerca de 100 quilômetros da capital, Bagdá.

De acordo com a Human Rights Watch (HRW), entre 160 e 190 homens foram mortos em pelo menos dois lugares dentro e ao redor de Tikrit - cidade-natal do finado ditador iraquiano Saddam Hussein - de 11 a 14 de junho.

Milícia sunita: Entenda o que é Estado Islâmico do Iraque e do Levante

A entidade afirmou ainda que o total de mortos pode ser muito maior, e que a dificuldade de localizar os corpos e chegar ao local não permitiram uma investigação completa. Fotos publicadas no website do HRW mostram uma fileira de homens com a cabeça para baixo em trincheiras sendo baleados por um grupo de homens.

Veja fotos sobre a ação da milícia no Iraque

Efeito: Onda de refugiados sírios pressiona tecido social e econômico de vizinhos

“As fotos e imagens de satélite de Tikrit fornecem forte evidência de um terrível crime de guerra que precisa de mais investigação”, disse o diretor de emergências do Human Rights Watch, Peter Bouckaert, em um comunicado. “Eles e outras forças violentas devem saber que os olhos dos iraquianos e do mundo estão observando.”

A Organização das Nações Unidas (ONU) informou na terça que ao menos 1 mil, maioria civis, acabaram sendo mortos e um número equivalente ficou ferido em combate e outras formas de violência no Iraque em junho, à medida que o EIIL avançava pelo norte. A cifra inclui um número confirmado de vítimas de execuções sumárias cometidas pelo EIIL, assim como prisioneiros mortos por forças iraquianas.

Maliki: Premiê confirma ataque aéreo sírio contra extremistas do EIIL no Iraque

Ofensiva

Helicópteros iraquianos dispararam contra um câmpus universitário em Tikrit, no norte do país, para forçar a saída de insurgentes que ocuparam a cidade durante a violenta ofensiva que lhes garantiu o controle da maior parte das regiões de maioria sunita, levando-os a se aproximar de Bagdá.

Dia 23: Kerry chega a Bagdá em missão de apoio contra milícia sunita

Tikrit caiu há 15 dias nas mãos dos rebeldes sunitas liderados pelos combatentes do EIIL. As forças iraquianas lançaram o ataque aéreo na cidade na quinta, enviando comandos para um estádio em helicópteros. Ao menos um caiu depois de ficar sob fogo dos insurgentes.

Saiba mais: Leia todas as notícias sobre o avanço da milícia sunita no Iraque

"Eu e minha família partimos esta manhã. Pudemos ouvir disparos. Os helicópteros estão atacando a área", disse Farhan Ibrahim Tamimi, professor universitário que fugiu de Tikrit rumo a uma cidade vizinha.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.