Após novos dados, busca por voo desaparecido da Malásia muda de local

Por BBC Brasil | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Investigações vão se concentrar ao sul da costa oeste no país; o avião desapareceu no dia 8 de março com 239 pessoas a bordo

BBC

O governo australiano anunciou que vai alterar a área de buscas do avião que caiu quando fazia o voo MH370, da MalaysiaAirlines, no dia 8 de março. A decisão leva em conta uma nova análise de dados de satélite.

Dia 17: Empresa de satélite acredita ter 'chave' para localizar voo malaio desaparecido

Governo da Austrália
Faixa laranja indica nova área de buscas do voo MH370


Malaysia Airlines: Famílias recebem indenizações de US$ 50 mil

Segundo o vice-primeiro-ministro australiano, Warren Truss, as buscas cobrirão uma área a 1,8 mil quilômetros ao sul da costa oeste do país. O avião da Malaysia Airlines desapareceu dos radares com 239 pessoas a bordo quando seguia de Kuala Lampur para Pequim.

Na semana passada, a empresa britânica de satélites Inmarsat disse à BBC que a equipe de buscas ainda não havia começado a procurar na área que seus especialistas acreditam ter sido o mais provável destino final do voo MH370.

Veja fotos sobre as buscas pelo voo MH370

Comandante James Lybrand, à dir., capitão Nick Woods, comandante do navio, à esq., buscam sinais do sinalizador ao sul do Índico (5/04). Foto: APPiloto em caça da Austrália participa das buscas pelo voo da Malásia Airlines no Oceano Índico (4/04). Foto: ReutersCapitão do Royal New Zealand Air Force (RNZAF), Rob Shearer, lê missão a bordo de caça enquanto sobrevoa o Índico (4/04). Foto: ReutersSargento Sean Donaldson se prepara para implantar marcador de fumaça a bordo do Royal New Zealand Air Force (RNZAF), enquanto sobrevoa o Índico (4/04). Foto: ReutersMembro da tripulação do Royal New Zealand Air Force (RNZAF) P3 Orion durante as buscas no Índico (4/04). Foto: ReutersTripulante de um Força Aérea Real da Nova Zelândia busca pelo voo desaparecido da Malásia no Índico (1/04). Foto: APPilotos japoneses buscam avião desaparecido da Malásia no Oceano Índico perto da Austrália (1/04). Foto: APVeículo Submarino Autônomo (AUV) no cais da base naval HMAS Stirling em Perth, Austrália, ajuda nas buscas pelos 'pings' do avião malaio (30/03). Foto: APMembro da tripulação Sean Donaldson lança boia com marcação de GPS do avião Royal New Zealand Air Force P-3K2 direto no Índico (29/03). Foto: APSilhueta de um membro da tripulação analisa bloco de notas de outras embarcações que participam das buscas no Índico (29/03). Foto: APImagem divulgadas no dia 16 foram captadas por satélites pela Austrália (28/03). Foto: ReproduçãoMembros da tripulação a bordo do AP-3C Orion, da força aérea australiana,  observam mapas de navegação em busca do voo desaparecido da Malaysia Airlines, no Índico (28/03). Foto: APPotências relutariam em tornar públicas imagens de radar para não revelar tecnologias (28/03). Foto: APSargento Matthew Falanga observa imagens de radar da Força Aérea Australiana durante buscas por destroços do avião da Malaysia Airlines, no Oceano Índico (27/03). Foto: APEngenheiro de voo Ron Day,à dir., a bordo de avião da Força Aérea Australiana, ajuda nas buscas pelo voo da Malaysia Airlines, no Índico (26/03). Foto: APEmpresa britânica Inmarsat recebe 'pings' de aeronaves como a da Malaysia Airlines que sumiu (25/03). Foto: BBCBarco inflável é lançado durante as buscas por destroços do avião desaparecido da Malaysia Airlines, no sul do Índico (23/03). Foto: APAutoridades francesas analisam objetos no oceano índico que podem ser o avião desaparecido da Malaysia Airlines (23/03). Foto: APNavio da Marinha australiana visto da janela de um avião da força aérea da Austrália, enquanto buscam pelo avião desaparecido malaio, no Índico (22/03). Foto: APMilitares da Força Aérea da Austrália participam de buscas por avião desaparecido da Malásia (20/3). Foto: APOficial Lang Van Ngan, das forças armadas do Vietnã, olha pela janela durante buscas pelo voo desaparecido da Malaysia Airlin (14/03). Foto: APHomem observa telão mostrando diferentes decolagens no Aeroporto Internacional de Kuala Lumpur, Malásia (13/3). Foto: Reuters

Desespero: Famílias oferecem recompensa por informações sobre o voo malaio

Os especialistas da Immarsat usaram os horários e frequências de sinais de conexões entre o avião e seus satélites para deduzir que o avião caiu no sul do Oceano Índico. Até então, as buscas estavam concentradas mais a nordeste da área identificada pela companhia britânica.

Maio: Avião não está em área onde sinais foram ouvidos, segundo investigação

Ainda não está claro, porém, se a nova área anunciada nesta quinta-feira segue as recomendações da Inmarsat. Ao longo dos últimos meses, navios e aviões foram empregados em buscas intensas em uma área do Oceano Índico a oeste da Austrália.

Malásia: Nasce filho de um dos tripulantes do avião malaio desaparecido desde março

Os navios chegaram a captar ruídos semelhantes aos emitidos por caixas-pretas e enviaram um veículo submarino autônomo para procurar destroços, mas nunca encontraram indícios de que o avião tivesse caído naquela região.

Leia tudo sobre: malaysia airlinesvoo malaiotrussaustralia

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas