Anúncio foi feito nesta terça por porta-voz do presidente russo Dmitry Peskov; Parlamento deve votar sobre o pedido na quarta

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, pediu ao parlamento para cancelar resolução que sancionava o uso da força militar na Ucrânia, disse seu porta-voz, Dmitry Peskov, nesta terça-feira (24).

Ontem: Separatistas da Ucrânia aceitam cessar-fogo até 27 de junho, diz líder

Vladimir Putin participa de cerimônia em homenagem a morte de soldado do lado de fora do Kremlin em Moscou, Rússia (22/06)
AP
Vladimir Putin participa de cerimônia em homenagem a morte de soldado do lado de fora do Kremlin em Moscou, Rússia (22/06)


Sexta: Presidente da Ucrânia anuncia cessar-fogo unilateral de uma semana

A ação acontece enquanto rebeldes pró-Rússia no leste da Ucrânia anunciaram que respeitariam cessar-fogo declarado pelo presidente ucraniano, Petro Poroshenko , na semana passada, aumentando as esperanças de um fim aos meses de combates que mataram centenas e tiraram milhares de suas casas.

Segundo Peskov, Putin escreveu para o chefe da alta câmara do Parlamento russo pedindo que seu pedido para o uso de intervenção militar no país, realizado no dia 1º de março, fosse revogado.

Putin emitiu o pedido ao parlamento depois que o então presidente pró-russo da Ucrânia Viktor Yanukovych foi deposto em fevereiro , após meses de protestos de rua. Em março, a região ucraniana da Criméia foi anexada pela Rússia depois de ter sido ocupada por tropas que Putin admitiu terem sido forças do exército russo.

Proposta: Plano de paz da Ucrânia prevê zona-tampão na fronteira com a Rússia

A solicitação de Putin marca mais um esforço do Kremlin em acalmar a crise antes de uma visita do presidente a Viena, nesta terça, onde o líder russo se reunirá com a Organização para agentes de segurança e de cooperação que ajudou a intermediar as negociações de paz entre Kiev e Moscou. Kiev e os governos ocidentais têm frequentemente acusado a Rússia de apoiar os rebeldes e acumular tropas na fronteira com a Ucrânia se preparando para uma possível invasão.

Veja fotos sobre a ocupação militar russa na Ucrânia

Quinta: Otan diz que mais tropas da Rússia se instalam na fronteira com Ucrânia

Mercados russos, abalados pela crise na Ucrânia e uma série de sanções impostas pelos EUA e a União Europeia contra as autoridades russas e empresários, subiram 1,6% nesta terça-feira após o anúncio de Peskov, atingindo quatro meses de alta.

A resolução de março foi aprovada por unanimidade pela alta câmara do Parlamento russo. Na terça-feira, o membro do parlamento Valery Shnyakin disse que a casa votaria no mais recente pedido de Putin na quarta (25), de acordo com a RIA Novosti.

O cessar-fogo no leste da Ucrânia parecia estar vigente em grande parte da região nesta terça. Soldados em um posto de controle em Dovhenke, a 50 quilômetros ao norte do reduto rebelde de Slovyansk, foram vistos relaxando perto de barricadas ou praticando exercícios.

Dia 16: Rússia corta fornecimento de gás da Ucrânia em aumento de tensão com Kiev

Vladislav Seleznev, porta-voz da operação ucraniana no leste, disse que as forças rebeldes atacaram uma base ucraniana ao norte de Slovyansk na segunda, mas não houve combates durante a noite.

Em outro ponto de verificação controlado pelo governo fora da Slovyansk, porém, as tropas disseram terem sofrido ataques com tiro na manhã desta terça e os cerca de 15 soldados que equipam o posto de controle pareceram estarem tenso com a situação.

*Com AP

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.