Israel mata adolescente palestino em operação de buscas na Cisjordânia

Por Reuters |

compartilhe

Tamanho do texto

Mohammed Dudin, 15 anos, foi morto na vila de Dura; outros 25 foram presos na operação para encontrar jovens desaparecidos

Reuters

Tropas israelenses mataram um adolescente palestino na Cisjordânia ocupada e prenderam outros 25 nesta sexta-feira (20), dando continuidade à operação contra militantes islâmicos e às buscas de casa em casa por três jovens israelenses que desapareceram há oito dias.

Ontem: Israel entra em confronto com palestinos durante busca por desaparecidos

Reuters
Palestinos mascarados simpatizantes do Hamas simulam a prisão de soldados israelenses durante ação em apoio aos palestinos na Cisjordânia


Dia 13: Israel vasculha Cisjordânia em busca de adolescentes desaparecidos

Médicos palestinos disseram que Mohammed Dudin, de 15 anos, foi morto na vila de Dura, próxima à cidade de Hebron, na Cisjordânia. Os militares de Israel disseram que soldados dispararam munição real quando pedras e bombas incendiárias foram jogadas contra eles durante uma ofensiva para realizar prisões.

Israel afirmou ter prendido 25 pessoas durante a noite em cerca de 200 cidades, campos de refugiados e pequenos municípios na Cisjordânia, totalizando 330 prisões -incluindo 240 membros do Hamas, grupo Islâmico que Israel acusa de ter sequestrado três adolescentes israelenses que desapareceram perto de um assentamento judaico na semana passada. Dudin foi o segundo palestino morto desde que a operação começou.

Veja fotos sobre o desaparecimento do grupo

Iluminador do Exército de Israel explode sobre a fronteira entre Israel e Gaza (7/7). Foto: APAções contra Gaza ocorreram em retaliação a ataques com foguetes contra Israel no domingo (7/7). Foto: AFPTariq Abu Khdeir, cidadão dos EUA que parentes dizem ter sido espancado e preso por policiais israelenses durante confrontos desatados pela morte de Mohammed Abu Khdeir (6/7). Foto: APMilitantes palestinos seguram armas durante coletiva na cidade de Gaza (5/7). Foto: ReutersSuha, mãe de Mohammed Abu Khudair, mostra foto do filho no celular em sua casa em Shuafat, subúrbio árabe de Jerusalém (2/7). Foto: ReutersPalestino usa um estilingue para atirar  pedra em direção à polícia israelense durante confrontos em Shuafat, subúrbio árabe de Jerusalém (2/7). Foto: ReutersPrimeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu (D), é visto perto de pais de adolescentes encontrados mortos na Cisjordânia (1/7). Foto: APIsraelense chora durante funeral de três adolescentes israelenses encontrados mortos na Cisjordânia (1/7). Foto: APPalestino inspeciona danos causados na casa de Amer Abu Aisheh, um dos dois palestinos vistos por Israel como suspeitos pelo sequestro e morte de jovens, na Cisjordânia (1/7). Foto: APIsraelenses seguram bandeira com as fotos de três jovens israelenses que desapareceram na Cisjordânia em 12 de junho (29/6). Foto: APPalestinos mascarados simpatizantes do Hamas simulam a prisão de soldados israelenses durante ação em apoio aos palestinos na Cisjordânia (20/6). Foto: ReutersPalestinos se preparam para lançar pedras durante confrontos com soldados israelenses em Jenin, Cisjordânia (19/6)
. Foto: APParentes de palestino morto em ação de Israel choram na casa da família no campo de refugiados de Jalazoun, nos arredores de Ramallah, Cisjordânia (16/6). Foto: APPalestinos carregam corpo de jovem morto em operação de Israel no campo de refugiados de Jalazoun, nos arredores de Ramallah, Cisjordânia (16/6). Foto: APIsraelense chora durante preces em sinagoga por adolescentes desaparecidos na Cisjordânia (15/6). Foto: APFamília palestina observa soldados israelenses durante operação militar de busca por três adolescentes desaparecidos perto de Hebron, Cisjordânia (15/6). Foto: APSoldados israelenses prendem palestino na cidade de Hebron, Cisjordânia, durante buscas por adolescentes desaparecidos (14/6). Foto: APSoldados israelenses se posicionam perto da cidade cisjordana de Hebron enquanto buscam três adolescentes desaparecidos (13/6) . Foto: AP

Dia 15: Premiê de Israel acusa Hamas de sequestrar adolescentes desaparecidos

Cerca de 1.150 localidades foram vasculhadas até agora, disseram militares israelenses, em sua missão de revidar contra o Hamas e buscar Gil-Ad Shaer e Naftali Fraenkel, de 16 anos, e Eyal Yifrah, de 19.

Troca de tiros

Forças israelenses trocaram tiros com palestinos na quinta (19), informou o Exército, na batalha de rua mais violenta na Cisjordânia ocupada desde o início das buscas por três adolescentes israelenses desaparecidos há uma semana.

Autoridades médicas disseram que três palestinos sofreram ferimentos a bala nos conflitos que aconteceram durante a madrugada em Jenin, um refúgio de militantes e palco de conflitos violentos em um levante palestino há uma década. Não foram registradas baixas israelenses.

Dia 16: Buscas por jovens devem demorar, diz premiê de Israel; 150 são presos

Em um comunicado, as Forças Armadas disseram que cerca de 300 palestinos, incluindo alguns que "arremessaram explosivos e abriram fogo", entraram em confronto com soldados que entraram em Jenin procurando os três estudantes secundaristas.

Israel diz que o grupo islamita Hamas foi o responsável pelo sequestro na quinta-feira passada, quando os jovens pegavam carona perto de um assentamento judaico. Fotógrafos da Reuters em Jenin relataram ter ouvido tiros durante a noite, mas foram afastados dos locais de conflito pelo Exército israelense.

Leia tudo sobre: israelpalestinosoriente mediohamascisjordania

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas