Líder da Coreia do Norte reclama dos erros do serviço de previsão do tempo

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Acredita-se que os frequentes desastres naturais do país, como secas e inundações, pioraram a crônica escassez de alimentos

Muitas pessoas em todo o mundo reclamam das previsões do tempo que não se cumprem, mas o líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, resolveu fazer algo a respeito.

Alerta: Coreia do Norte faz, por fax, ameaça de ataque 'implacável' à Coreia do Sul

AP
Líder norte-coreano Kim, Jong-un (C), usa binóculos para observar território sul-coreano em unidade militar na ilhota de Jangjae (7/3/2013)

Kim, a terceira geração de sua família no governo, está usando sua posição para alertar os meteorologistas contra "muitas previsões incorretas" causadas por sistemas de observação antigos.

Ainda será preciso ver se a viagem de campo feita ao estatal Serviço Hidrometeorológico, relatada pela mídia estatal na terça-feira, levará a previsões mais precisas. Mas foi um raro reconhecimento oficial da orgulhosa, ainda que empobrecida Coreia do Norte, de suas dificuldades com uma tecnologia que está desatualizada.

Também é um reflexo do objetivo declarado de Kim de melhorar o meio de vida econômico e público. Outra grande meta é construir armas nucleares, algo que atraiu condenação internacional e várias sanções econômicas.

Saiba mais: Veja o infográfico sobre o mundo nuclear

Acredita-se que os frequentes desastres naturais do país, como secas e inundações, pioraram a crônica escassez de alimentos.

Segundo a mídia estatal, Kim, que assumiu o poder depois da morte de seu pai, Kim Jong-il, em dezembro de 2011, visitou as salas de previsão, comunicação e satélite "para aprender em detalhes sobre a observação meteorológica e a previsão do tempo".

Kim afirmou que houve "muitas previsões incorretas já que a observação meteorológica não foi posta em uma base moderna e científica", de acordo com a Agência Central de Notícias da Coreia. Ele acrescentou que o país precisava de observações meteorológicas mais apropriadas para proteger a população e a propriedade dos desastres.

*Com AP

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas