Taleban paquistanês volta a atacar área do aeroporto em Karachi

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Desta vez, alvo foi uma academia das forças de segurança, mas ninguém ficou ferido. Ataques não terminaram, afirma militante

Insurgentes do Taleban paquistanês assumiram a responsabilidade por um ataque a academia das forças de segurança no aeroporto de Karachi nesta terça-feira (10), menos de 48 horas depois de militantes terem cercado o movimentado aeroporto em ação que matou mais de 30.

Ontem: Taleban assume autoria por ataque com 29 mortos em aeroporto do Paquistão

AP
Tropas das forças paramilitares carregam caixão de colega que morreu durante operação em aeroporto internacional em Karachi, Paquistão (9/06)


Domingo: Terroristas matam 5 agentes em ataque no maior aeroporto do Paquistão

Um grupo de militantes armados em motocicletas abriu fogo contra a academia da Força de Segurança do Aeroporto e fugiu. Um correspondente da Reuters perto do local escutou tiros e viu pelo menos quatro ambulâncias se dirigirem para a área. Não há de imediato informações sobre vítimas.

"Nós assumimos a responsabilidade por outro ataque bem-sucedido contra o governo", afirmou à Reuters o porta-voz do Taleban paquistanês, Shahidullah Shahid. "Nós estamos conseguindo com sucesso atacar nossos alvos e vamos continuar com muitos outros ataques como esse."

Dois dias antes, militantes invadiram um terminal de carga do aeroporto de Karachi e deixou 36 mortos, dez deles atiradores do Taleban. Pelo menos 11 membros da Força de Segurança do aeroporto foram mortos durante o ataque.

A ação

Estações de televisão paquistanesas mostraram imagens de seguranças correndo para a cena do crime e ocupando posições atrás de edifícios no bairro que fica a cerca de um quilômetro do Aeroporto Internacional de Jinnah. Os militares paquistaneses disseram que tropas do exército foram enviadas para ajudar as forças de segurança depois do tiroteio.

Assista: Ataque do Taleban em aeroporto mata 28 no Paquistão

Segundo porta-voz da Força de Segurança do Aeroporto, Ghulam Abbas Memon, ao menos dois homens armados tentaram entrar no complexo de academia de treinamento por duas portas diferentes.

"Nossos homens revidaram", disse Memon. Os atiradores, porém, conseguiram escapar. "Agora uma operação de buscas está em andamento", explicou ele.

Veja fotos sobre os atentados em aeroporto no Paquistão

Fumaça sobre Aeroporto Internacional Jinnah, Paquistão, onde forças militares combateram militantes (9/06). Foto: APPoliciais paquistaneses exibem a munição confiscada após ataque ao Aeroporto Internacional Jinnah em  Karachi, Paquistão . Foto: APCorpos das vítimas fatais após ataque do Talibã ao Aeroporto Internacional Jinnah, no Paquistão (8/06). Foto: APExército paquistanês chega a aeroporto após início de atentado terrorista em aeroporto do Paquistão (8/06). Foto: APNuvem de fumaça toma aeroporto paquistanês durante ataque terrorista (8/06). Foto: ReutersMilitar durante operação em aeroporto internacional paquistanês, onde o Talibã fez atentado terrorista (8/06). Foto: APIncêndio toma parte do aeroporto internacional que foi atingido por ataque terrorista no Paquistão (8/06). Foto: Reuters

O coronel Tahir Ali, oficial sênior da Força de Segurança do Aeroporto, disse que dois militantes fugiram para regiões vizinhas ao aeroporto.

"Não podemos correr riscos e permitir que os terroristas entrem em nossa unidade", disse ele à uma TV local. O oficial afirma que ninguém ficou ferido no incidente. "Sempre que houver um episódio desses, reagiremos."

A Autoridade de Aviação Civil, que é responsável pelos aeroportos do país, afirmou, por meio de sua página no Twitter, que todos os voos foram suspensos por causa do ataque, mas que depois as operações foram normalizadas.

O chefe da entidade, Azam Khan, disse que a mídia havia dado uma dimensão maior do que a real sobre o incidente. "O objetivo dos agressores é instaurar o pânico e não devemos dar isso a eles", informou à televisão paquistanesa.

Domingo

As autoridades paquistanesas ainda estão descobrindo corpos das vítimas fatais do ataque de domingo (8). Autoridades aeroportuárias encontraram mais sete mortos em um prédio queimado no aeroporto internacional e trouxe os restos mortais a um hospital da cidade. Os corpos estavam carbonizados e irreconhecíveis, de acordo com o chefe municipal de Karachi, Rauf Akhtar Farooqi.

Os corpos encontrados no prédio cerca de um dia após as autoridades paquistanesas confirmarem que o local estava novamente seguro, levanta mais incertezas sobre a questão da segurança em um dos aeroportos mais movimentados do país.

Segundo a mídia paquistanesa, os sete corpos são de trabalhadores que haviam se escondido no local durante o conflito entre militantes e a polícia, mas que acabaram presos e foram queimados até a morte.

Chefe da Autoridade de Aviação Civil, Mohammad Yusuf disse que as autoridades tentaram chegar ao edifício em chamas duas vezes durante o cerco, mas foram impedidos após seus veículos serem alvejados. Depois de oficiais de segurança reabrirem o aeroporto, eles voltaram a vasculhar o prédio porque houve relatos de pessoas presas ali dentro.

O Taleban paquistanês vem tentando derrubar o governo e estabelecer sua liderança linha-dura por todo o país. O governo do primeiro-ministro Nawaz Sharif tentou várias vezes negociar com os militantes para acabar com os confrontos, mas esses esforços têm sido em vão.

Esse novo ataque ao aeroporto, cujo alvo foi uma cidade vital para a economia do país, levanta questões sobre Sharif. Ele pode continuar com sua política de negociações ou escolher uma resposta mais agressiva para lidar com o grupo.

*Com AP e Reuters

Leia tudo sobre: atentado terroristaatentado no paquistaosharifkarachifarooqitalebanmemon

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas