Malaysia Airlines: Famílias oferecem recompensa por informações sobre o voo

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Líder do projeto, Ethan Hunt acredita que o incentivo vai ajudar a revelar pistas sobre avião; grupo visa arrecadar US$ 5 milhões

Três meses após o desaparecimento do avião da Malaysia Airlines, os parentes das pessoas a bordo do voo MH370 lançam neste domingo (8) um esforço para levantar US$ 5 milhões, cerca de 11 milhões de reais, e dar continuidade às investigações e até recompensa por informações concisas sobre o Boeing.

Maio: Avião malaio não está em área onde sinais foram ouvidos, segundo investigação

AP
Tripulação aguarda enquanto navios são implantados nas buscas dos desaparecidos do voo malaio no sul do Índico (abril/2014)


Malásia: Nasce filho de um dos tripulantes do avião malaio desaparecido desde março

Um esforço multinacional para vasculhar as águas agitadas do Oceano Índico meridional não encontrou uma única pista concreta sequer sobre o paradeiro da aeronave, desaparecida desde 8 de março com 239 pessoas a bordo.

Após semanas de buscas subaquáticas esgotantes, as autoridades disseram que os quatro pings detectados como possíveis sinais da caixa-preta do avião e que foram usados ​​para estreitar a zona de buscas não eram do voo malaio. A busca subaquática foi adiada no final de maio.

Buscas: Malásia revisará dados para iniciar nova fase de buscas por voo desaparecido

Mas os parentes ainda exigem respostas, o que levou a recompensa por informações concisas sobre o Boeing.

"Esse mistério é sem precedentes na história da aviação e temos que trabalhar como uma comunidade coletiva com um objetivo de encontrar a verdade, o avião e os passageiros", disse Ethan Hunt, líder do projeto.

Ele acredita que alguém sabe onde o avião está e que o dinheiro vai ser um incentivo para que a pessoa se pronuncie.

Veja o desespero dos familiares após desaparecimento do avião malaio 

Parentes de passageiros chineses do voo desaparecido da Malásia choram durante protesto em frente de embaixada do país em Pequim (25/3). Foto: APIrmã de passageiro de avião desaparecido da Malásia chora ao assistir programa sobre o voo MH370 em sua casa em Medan, Sumatra do Norte, Indonésia (25/3). Foto: APChinesa é amparada por seus familiares após pronunciamento do premiê malaio que confirmou a queda do voo da Malaysia Airlines, em Pequim, China. Foto: APChinesa entra em desespero ao saber que o avião desaparecido da Malaysia Airlines caiu no oceano Índico, após coletiva de imprensa em Pequim, China. Foto: APParentes das vítimas do voo se desesperam ao saber da queda do avião no Índico, em Pequim, China. Foto: ReutersHomem se desespera ao saber que avião desaparecido da Malaysia Airlines caiu no Índico após coletiva de imprensa em Pequim, China. Foto: ReutersFamiliares não se conformam com a queda do avião da Malaysia Airlines. Na foto, parentes após coletiva de imprensa em Pequim, China. Foto: ReutersParente de passageiro do voo da Malaysia Airlines fica em estado de choque ao saber que avião caiu no Índico após coletiva de imprensa em Pequim, China. Foto: ReutersFamílias dos passageiros são amparados após saberem da queda do avião em coletiva de imprensa na China. Foto: ReutersFamiliares se abraçam após saberem da queda do voo desaparecido da Malaysia Airlines, em Pequim, China. Foto: ReutersMulher chora durante coletiva de imprensa sobre o desaparecimento do voo da Malaysia Airlines durante coletiva de imprensa na China (22/03) . Foto: ReutersFamiliar de um dos passageiros a bordo do voo desaparecido da Malaysia Airlines aguarda por novas informações em Pequim, China (22/03). Foto: ReutersParentes das vítimas do voo da Malaysia Airlines rezam enquanto aguardam por mais informações, em Pequim, China (22/03). Foto: ReutersParentes dos passageiros a boardo do voo da Malaysia Airlines assistem à noticiário sobre o avião em Pequim, China (17/03) . Foto: APParentes dos chineses a bordo do avião que havia desaparecido aguardam notícias em Pequim, China (março/2014). Foto: APFamiliares dos passageiros a bordo do voo da Malaysia Airlines deixam sala de hotel após reunião com oficiais malaios, em Pequim, China (março/2014). Foto: APParente de um dos passageiros chineses no voo da Malaysia Airlines chora em frente de jornalistas em Sepang, Malásia (março/2014). Foto: AP

Investigação: Buscas por voo da Malásia podem levar um ano

"Com ajuda da multidão, acreditamos que podemos alcançar o nosso principal objetivo que é recuperar o avião", disse Hunt.

Uma empresa de investigação global vai acompanhar as pistas credíveis e trabalhar com autoridades para encontrar o voo, de acordo com ele. O avião desapareceu no trajeto Kuala Lumpur-Pequim e acredita-se que a aeronave tenha saído de sua rota sobre o Oceano Índico e seguido para a oeste da Austrália, onde as autoridades afirmam que a aeronave tenha caído.

Dados: Malásia divulga relatório preliminar sobre desaparecimento do voo MH370

A área de buscas foi reduzida após os primeiros pings serem detectados. Sem evidências tangíveis encontradas no local depois das buscas submarinas, que custam cerca de US$ 40 mil, ou ao menos 89 mil reais, por dia para operar.

A Austrália informou que vai negociar com empresas privadas para realizar a próxima fase das buscas, que deve começar entre o final de julho ou de agosto.

*Com CNN

Leia tudo sobre: malaysia airlinesvoo desaparecidorecompensafamiliashuntaustraliabuscas

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas