Obama tranquiliza aliados na Europa e propõe plano de segurança de US$ 1 bilhão

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Presidente dos EUA afirmou que compromisso com segurança é sagrado e que pretende ainda melhorar relação com a Rússia

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, garantiu à Polônia e a seus vizinhos do Leste Europeu nesta terça-feira (3) que o compromisso norte-americano com a sua segurança é sagrado, em declarações feitas no início de uma viagem de quatro dias com o objetivo de mostrar a determinação dos EUA em relação à intervenção russa na Ucrânia.

Ontem: Rússia vai apresentar resolução na ONU pelo fim da violência na Ucrânia

Reuters
O presidente dos EUA, Barack Obama, durante coletiva no Palácio Belveder em Varsóvia


Paz: Papa pede diálogo para superar crise na Ucrânia e República Centro-Africana

A Casa Branca revelou os planos de uma iniciativa de 1 bilhão dólares para o envio temporário de mais tropas para a Europa, mas não chegou a prometer o reforço de sua presença permanente, buscada por alguns dos aliados dos EUA na região. O governo norte-americano informou ainda que irá reavaliar o seu contingente no continente.

Falando em um hangar no aeroporto de Varsóvia, onde se reuniu com pessoal da Força Aérea norte-americana que participa de um programa conjunto com os poloneses, Obama disse que o compromisso dos EUA para com a Polônia e a região é também um dos pilares da segurança dos EUA.

"Como amigos e aliados estamos unidos juntos", afirmou

Obama, cuja estadia de dois dias em Varsóvia incluirá reuniões com o presidente eleito ucraniano, Petro Poroshenko, e outros líderes de países do leste e centro da Europa.

Veja fotos do presidente Obama

Presidente dos EUA, Barack Obama, domina bola que havia sido chutada por robô Asimo em visita ao Museu Nacional de Ciência e Inovação (Miraikan), em Tóquio (24/4)
. Foto: APPresidente dos EUA, Barack Obama, faz seu discurso sobre o Estado da União no Capitólio, em Washington (28/1). Foto: APObama segura menino durante dia do Natal em base dos marines no Havaí (25/12/2013). Foto: Pete Souza/ Casa BrancaPresidentes dos EUA, Barack Obama, e de Cuba, Raúl Castro, trocam aperto de mão em cerimônia em homenagem a Mandela (10/12/2013). Foto: Getty ImagesObama tira selfie com premiês britânico e dinamarquesa durante cerimônia em homenagem a Mandela em Johanesburgo (10/12/2013). Foto: Getty ImagesSul-africanos celebram enquanto Obama espera em túnel para entrar em estádio para homenagem a Mandela (10/12/2013). Foto: Pete Souza/ Casa BrancaMichelle Obama reage depois de Ashtyn Gardner perder o equilíbrio ao ser cumprimentada pelo cachorro Sunny (4/12/2013). Foto: APFuncionários fazem sinal positivo enquanto Obama conversa como secretário de Estado John Kerry sobre negociações para acordo com o Irã (23/11/2013). Foto: Pete Souza/ Casa BrancaBo espera enquanto Obama e primeira-dama participam de entrevista na Casa Branca (22/11/2013). Foto: Pete Souza/ Casa BrancaMenina conversa com Obama em lanchonete do Brooklyn, Nova York (25/10/2013). Foto: Pete Souza/ Casa BrancaObama é visto conversando depois de encontro na Casa Branca com a liderança democrata (15/10/2013). Foto: Pete Souza/ Casa BrancaObama visita centro de caridade em Washington (14/10/2013). Foto: APObama, primeira-dama Michelle e sua filha Malia reúnem-se com ativista paquistanesa Malala Yousafzai (12/10/2013). Foto: Pete Souza/Casa BrancaPresidente dos EUA é visto em carro 
passando por empregados de fábrica da Ford em Liberty, Missouri (20/9/2013) 
. Foto: Pete Souza/ Casa BrancaObama escreve bilhete para professora de Alanah Poullard justificando sua falta na escola (19/9/2013). Foto: Pete Souza/ Casa BrancaObama e a primeira-dama Michelle Obama participam de cerimônia pelos 12 anos dos ataques do 11 de Setembro (11/9/2013). Foto: APObama é visto durante encontro da cúpula do G20 na Rússia (6/9). Foto: ReutersObama senta-se ao lado de presidente Dilma Rousseff durante encontro do G20 em São Petersburgo, Rússia (5/9/2013). Foto: APObama sai de seu avião ao chegar em São Petersburgo, na Rússia, para a reunião do G20 (5/9/2013). Foto: APObama faz pronunciamento para marcar 50º aniversário de discurso de Martin Luther King (28/8/2013). Foto: APObama visita prisão onde Nelson Mandela ficou preso por 18 anos na África do Sul (30/6/2013). Foto: APObama tira o paletó por causa do calor na área do Portão de Brandenburgo, onde discursou em Berlim, Alemanha (19/6/2013). Foto: APPresidentes dos EUA, Barack Obama, e da Rússia, Vladimir Putin, reúnem-se em Enniskillen, Irlanda do Norte (17/6/2013). Foto: APObama abraça Tolu Olubunmi, uma ativista da imigração, antes de falar sobre a reforma migratória (11/6/2013). Foto: APObama conversa com sobreviventes de escola que foi destruída por tornado (26/5/2013). Foto: ReutersObama e funcionários da Casa Branca olham através de janela do Air Force One para ver danos deixados por tornado em Moore, Oklahoma (26/5/2013). Foto: Pete Souza/ Casa BrancaProtegido por guarda-chuva segurado por marine, Obama dá coletiva em conjunto com premiê turco, Recep Tayyip Erdogan (não visto) (16/5/2013). Foto: APObama faz pausa durante coletiva na Casa Branca, Washington (30/4). Foto: APObama brinca durante encontro com jornalistas na Casa Branca (27/4/2013). Foto: APObama ri sentado entre sua mulher e a ex-primeira-dama Barbara Bush na inauguração de Centro Presidencial George W. Bush (25/4/2013). Foto: APMichelle reage durante conversa com menino no Aeroporto de Love Field, em Dallas, Texas (24/4/2013). Foto: Pete Souza/ Casa BrancaLíder dos EUA conversa com presidente da Câmara, republicano John Boehner, no Capitólio (23/3/2013). Foto: Pete Souza/ Casa BrancaDe jaqueta preta e óculos escuros, presidente dos EUA visita a cidade antiga de Petra, Jordânia (23/3/2013). Foto: ReutersObama cumprimenta  o presidente palestino, Mahmud Abbas, em Ramallah, Cisjordânia (21/3/2013). Foto: APPresidente dos EUA, Barack Obama, olha para multidão enquanto tenta ouvir pessoa gritando durante seu discurso no Centro de Convenção Internacional em Jerusalém (21/3/2013). Foto: APPresidente dos EUA, Barack Obama, e premiê israelense, Benjamin Netanyahu, são vistos durante coletiva em Jerusalém (20/3/2013). Foto: APPresidente dos EUA, Barack Obama, e primeira-dama MIchelle dançam em baila da posse em Washington (21/01/2013). Foto: APPresidente dos EUA, Barack Obama, e sua mulher, Michelle, caminham depois de sair de limousine durante parada da posse (21/01/2013). Foto: ReutersCasa Branca divulga foto de Obama praticando tiro ao prato em Camp David, em agosto de 2012. Foto: APTensos, Obama e sua equipe acompanham desenrolar da operação que matou Bin Laden (02/05/2011). Foto: Divulgação / Casa BrancaBarack Obama (E) assume presidência dos EUA ao lado de sua mulher, Michelle, e de suas filhas, Sasha (D) e Malia (20/01/2009). Foto: AP

Sexta: Ucrânia vai manter ofensiva no leste; corpos de russos estão sendo repatriados

Relação com a Rússia

Obama afirmou também que Vladimir Putin deve tomar medidas para reconstruir a confiança abalada pelas ações da Rússia na Ucrânia. Segundo presidente americano, Putin "tem uma escolha a fazer" na Ucrânia. Ele pediu ainda que o presidente russo continue a retirada de suas tropas da fronteira com o território ucraniano e convença os separatistas pró-Rússia a recuarem.

Se os Estados Unidos verem um "comportamento responsável" da Rússia, Obama disse, "Acho que é possível tentar reconstruir um pouco da confiança que foi quebrada". Mas ele alertou que isso levará "algum tempo."

Crise: Rússia pede autorização da Ucrânia para enviar ajuda humanitária ao leste

Obama disse que sempre teve uma “boa relação de negócios” com o seu homólogo russo, e que Putin também transmitiu a mesma mensagem a ele em conversas privadas e também públicas. O presidente americano disse que Washington quer boas relações com a Rússia e não estava interessado em ameaçá-lo, mas adverte que as sanções impostas ao longo da anexação da Criméia serão mantidas e que mais foram elaborados, caso haja mais desestabilização no Oriente.

Ele acrescentou que estava "certo" de que cruzaria com Putin enquanto os dois líderes estiverem na França no final da semana para eventos que marcam o 70º aniversário do "Dia D". E afirmou ainda estar ansioso para o primeiro encontro com o presidente eleito na Ucrânia, Petro Poroshenko, marcado para quarta-feira (4).

*Com Reuters e CNN

Leia tudo sobre: obamaputinrussia na ucraniacrise na ucraniaporoshenkowashingtonucraniaeuropapolonia

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas