Preso na França suspeito de atentado ao Museu Judaico da Bélgica

Por Agência Brasil | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

O suspeito transportava um fuzil Kalashnikov e um revólver do mesmo tipo que foi utilizado em Bruxelas, capital belga

Agência Brasil

Um francês suspeito de ter causado a morte de quatro pessoas no ataque ao Museu Judaico da Bélgica no dia 24 de maio foi preso em Marselha, no sul da França, informaram hoje (1º) os meios de comunicação locais. A prisão teria ocorrido sexta-feira (30).

Veja as imagens do terrorista que atacou o Museu Judaico:

Neste domingo, um juiz belga emitiu mandado de detenção e extradição do suspeito, identificado como Mehdi Nemmouche. O porta-voz do Ministério Público da Bélgica, Eric Van der Sypt, ainda não informou quando poderá ser cumprida a extradição.

Leia também: Mortos no ataque ao Museu Judeu eram turistas israelenses

O suspeito transportava um fuzil Kalashnikov e um revólver do mesmo tipo que foi utilizado em Bruxelas, capital belga, quando foi preso sob a acusação de homicídio e tentativa de homicídio, indicaram fontes judiciais citadas pela imprensa local.

Ele foi detido em uma estação de ônibus e era citado pela Direção Geral de Segurança Interna, que suspeitava que em 2013 se deslocou à Síria para lutar na guerra civil do país. Na bagagem, trazia também munições, uma pequena câmara de uso esportivo e uma boina parecida com a que usava o autor do ataque, de acordo com as imagens captadas.

Leia tudo sobre: françabélgicamuseu judaicomundoigmundo

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas