Meriam Ibrahim ainda chegou a dar à luz uma menina enquanto estava presa; caso gerou repercussão internacional

BBC

Meriam Ibrahim, de 27 anos, foi criada como uma cristã ortodoxa no Sudão
BBC
Meriam Ibrahim, de 27 anos, foi criada como uma cristã ortodoxa no Sudão

Autoridades sudanesas irão libertar uma mulher que foi condenada à morte por ter abandonado o Islã, disse um representante do Ministério de Relações Exteriores.

Meriam Ibrahim, que deu à luz uma menina enquanto estava presa, será libertada em alguns dias, disse Abdullahi Alzareg, sub-secretário do ministério. Segundo ele, o Sudão garante a liberdade religiosa e está comprometido em proteger a mulher. A sentença de morte gerou condenação internacional.

Meriam, de 27 anos, foi criada como uma cristã ortodoxa, mas um juiz sudanês decretou que ela deveria ser considerada muçulmana devido à religião de seu pai. Ela se recusou a renunciar ao cristianismo e foi condenada à morte por apostasia - abandono da religião.

A Justiça disse que ela poderia cuidar de sua filha por dois anos antes do cumprimento da sentença. O casamento cristão de Meriam, em 2011, foi anulado e ela também foi condenada a 100 chibatadas por adultério já que a união não é considerada válida sob a lei islâmica.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.