Eleições serão realizadas em outubro; chanceler Elías Jaua diz que o país tem compromisso em acompanhar processos de paz

Agência Brasil

A Venezuela vai se candidatar a membro não permanente do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU), de acordo com o ministro das Relações Exteriores venezuelano, Elías Jaua.

Ontem: Venezuela não vai reconhecer eventuais sanções dos EUA, diz Maduro

Os ministros das Relações Exteriores Sergei Lavrov, à dir., da Rússia, e Elias Jaua, da Venezuela, durante conferência em Moscou
Reuters
Os ministros das Relações Exteriores Sergei Lavrov, à dir., da Rússia, e Elias Jaua, da Venezuela, durante conferência em Moscou

Polêmica: Maduro repudia PL dos EUA sobre sanções a funcionários venezuelanos

O anúncio foi feito na quarta (28) durante a 17ª Conferência de Ministros das Relações Exteriores do Movimento de Países Não Alinhados (MPNA), que teve lugar em Argel, capital da Argélia, e foi divulgada nesta quinta (29).

"O nosso país quer fazer chegar às distintas delegações que participam da conferência ministerial do MPNA a decisão soberana de apresentar a nossa candidatura ao Conselho de Segurança, como membro não permanente, durante o período 2015-2016"., disse Jaua.

Veja fotos das manifestações na Venezuela

Segundo ele, as eleições ocorrerão no 69.º período de sessões da Assembleia Geral das Nações Unidas, no próximo mês de outubro.

De acordo com o chanceler, será a única candidatura da América Latina e do Caribe e, caso seja eleita, a participação da Venezuela coincidirá com a presidência do MPNA, que Caracas assume em 2015.

"A presença venezuelana no Conselho de Segurança, no exercício da presidência do MPNA, nos permitirá o trabalhar conjunto, em um espírito de diálogo construtivo, na promoção da paz e segurança internacional, por meio da busca de soluções pacíficas para os conflitos", disse.

Jaua lembrou que a Venezuela tem experiência "na solução pacífica de conflitos recentes na América Latina e no Caribe, especialmente no compromisso como acompanhante do processo de paz" entre o governo colombiano e as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.

"A Venezuela reitera o seu compromisso com as lutas históricas dessa organização", destacou.

O chefe da diplomacia venezuelana aproveitou para dizer que a Venezuelana está solidária com o independentista porto-riquenho Óscar López Rivera, preso há 30 anos nos Estados Unidos.

Elías Jaua aproveitou ainda para dizer que a Venezuelana está solidária com o independentista porto-riquenho Óscar López Rivera, preso há 30 anos nos Estados Unidos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.