Corte egípcia condena ex-presidente Mubarak a 3 anos de prisão

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Ele foi condenado por roubo de dinheiro público, já seus filhos foram condenados a quatro anos de prisão pelo mesmo crime

Corte egípcia sentenciou nesta quarta-feira (21) o ex-presidente egípcio Hosni Mubarak a três anos de prisão por roubo de dinheiro público.

2013: Hosni Mubarak deixa prisão no Egito

Reuters
O ex-presidente do Egito Hosni Mubarak reage dentro de doca em delegacia nos arredores do Cairo


2011: Mulher de Mubarak é libertada após entregar bens ao Egito

"A corte ordenou que Mohamed Hosni Mubarak seja enviado à prisão por três anos", disse o juiz Osama Shaheen, enquanto Mubarak acompanhava a decisão em uma cela, tendo ao lado seus filhos, os quais foram condenados a quatro anos de prisão pelo mesmo delito.

O tribunal multou Mubarak e filhos em 21,19 bilhões de libras egípcias, cerca de 4 milhões de reais, e ordenou que eles devolvam cerca de 125 milhões de libras egípcias que a corte considerou que eles roubaram.

Nas eleições da semana que vem, o ex-chefe de inteligência de Mubarak, Abdel Fattah al-Sisi, é o favorito.

Mubarak, o primeiro governante árabe a ser julgado por seu povo após os levantes que varreram o Oriente Médio e o Norte da África, foi condenado à prisão perpétua por ordenar o assassinato de manifestantes, mas garantiu um novo julgamento por um tribunal do Cairo, em janeiro de 2013.

Veja fotos da vida de Mubarak

Foto sem data mostra Mubarak, a mulher Suzanne e os filhos Gamal (D) e Alaa (E). Foto: AFPO ex-presidente do Egito Hosni Mubarak assiste ao veredicto de seu julgamento no Cairo (02/06/2012). Foto: APMubarak discursa em rede nacional dias antes de sua renúncia (02/02/2011). Foto: APMubarak durante encontro que teve com o chanceler dos Emirados Árabes, no Cairo (8/2/2011). Foto: APPresidente americano, Barack Obama, se reúne com Hosni Mubarak no Salão Oval da Casa Branca, em Washington (foto de 1º de setembro de 2010). Foto: APEm Paris, Mubarak faz pronunciamento após reunião com o ex-presidente francês Jacques Chirac (25/7/2002). Foto: APNa Casa Branca, presidente egípcio, Hosni Mubarak (D), tem encontro com ex-líder palestino, Yasser Arafat, e o primeiro-ministro israelense, Yitzhak Rabin (E), e o ex-pr. Foto: APMubarak se reúne com ex-premiê de Israel, Yitzhak Rabin, e o então líder palestino, Yasser Arafat, em 6 de outubro de 1993, no Cairo. Foto: APEm Bagdá, Mubarak tem encontro com Saddam Hussei (C) e o rei Hussein da Jordânia (19/3/1985). Foto: APMubarak e a ex-primeira-ministra indiana, Indira Gandhi, em Nova Délhi (7/3/21983). Foto: APFoto de 1982, Mubarak discursando no 1º de maio, na Federação do Trabalho, no Cairo. Foto: APFoto de 1981 mostra Hosni Mubarak, então vice-presidente do Egito, com o ex-premiê israelense Menachen Begin, em Alexandria. Foto: AP

Após renúncia: Multidão grita: 'Egito está livre' 

Renúncia

Após permanecer no poder por quase três décadas, Hosni Mubarak, de 82 anos, renunciou à presidência do Egito em 2011 depois de 18 dias de protestos nas ruas da capital, Cairo. A renúncia foi anunciada na TV estatal pelo vice-presidente egípcio, Omar Suleiman. Segundo ele, Mubarak entregou a responsabilidade de conduzir a nação a um alto conselho militar.

O líder de 82 anos estava no poder desde 1981 e enfrentrava protestos diários por sua renúncia desde o dia 25 de janeiro. Durante praticamente 30 anos, Mubarak manteve-se no poder, tornando-se um aliado confiável dos EUA e de Israel na região, mas governando o Egito com mãos de ferro, abrindo pouco espaço para a oposição interna.

Nascido em uma família humilde em 1928 em uma pequena cidade na província de Menoufia, perto do Cairo, Mubarak formou-se na academia militar egípcia em 1949 e entrou na Força Aérea do país em 1950.

Anos depois, acumulando os postos de comandante da Força Aérea e vice-ministro da Defesa, Mubarak teve papel fundamental no planejamento do ataque surpresa contra as forças israelenses na península do Sinai, dando início à guerra de Yom Kippur em 1973.

Desde 1981, Mubarak venceu três eleições como candidato único, mas o quarto pleito convocado por ele - em 2005, após um empurrão firme dos Estados Unidos - teve as regras alteradas para permitir candidaturas rivais.

*Com Reuters e BBC

Leia tudo sobre: mubarakjulgamentoegitocairofilhos

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas