Analistas dizem que tensão pode diminuir; no passado, porém, ordens semelhantes não foram cumpridas, de acordo com Otan

BBC

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, ordenou nesta segunda-feira que tropas russas deixem a fronteira da Ucrânia, segundo uma nota divulgada pelo Kremlin.

Após referendo: Ucrânia aceita negociar, mas sem a presença de insurgentes

Presidente da Rússia, Vladimir Putin, coordena reunião de membros do Conselho de Segurança no Kremlin, em Moscou (maio/2014)
AP
Presidente da Rússia, Vladimir Putin, coordena reunião de membros do Conselho de Segurança no Kremlin, em Moscou (maio/2014)


Pesquisa: Ucrânia é mais leal à Europa do que aos russos

As tropas posicionadas nas regiões de Rostov, Belgorod e Bryansk receberam a ordem para retornar às suas bases permanentes. A Rússia já divulgou ordens recentemente para retirada de tropas, mas a aliança militar Otan afirma que elas nunca foram cumpridas.

Analistas acreditam que as tensões na região podem diminuir na Ucrânia caso a Rússia retire parte dos 40 mil soldados que possui lá.

"Em conexão com o término da fase de treinamento de primavera que havia sido planejada (...) nos sítios nas regiões de Rostov, Belgorod e Bryansk, Putin ordenou que o ministro da Defesa retire as tropas que fizeram parte deste exercício", diz a nota divulgada às agências de notícias russas.

Veja fotos da ocupassão russa na Ucrânia

Presidene ucraniano: Referendo no leste da Ucrânia é passo para 'abismo'

As tensões entre Rússia e o Ocidente estão altas desde fevereiro, quando o presidente ucraniano pró-Kremlin, Viktor Yanukovych, foi derrubado do poder - após meses de manifestações de rua.

Depois do episódio, a Rússia anexou a região da Crimeia. Forças de segurança ucranianas chegaram a entrar em confronto com milícias pró-Rússia no leste do país.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.